PREPARE O CAMINHO DO SENHOR

 Clique aqui para baixar o material: PREPARE O CAMINHO DO SENHOR

Vol. 1 (edição de janeiro de 1965, reeditada em 1974)

Versão completa

 

PALAVRAS PROFÉTICAS DO SENHOR JESUS, COM ANÁLISES PROFUNDAS DE J. LELAND EARLS

 

 

…………………………….///……………………………

 

 

Observações do Pr. Waltenir

 

  1. O tema “PREPARE O CAMINHO DO SENHOR”, é composto de Profecias dadas pelo Senhor Jesus Cristo à Sua Igreja, seguida de comentários interpretativos feitos pelo Pastor J. [John] Leland Earls em 1965 e reeditados em 1974. [Volume 1, da página 1 a 26]
  2. Esta compilação trás, também, os temas: “PREPARE O CAMINHO DO SENHOR”, da página 26 a 83, [volume 2], mais o tema ELIAS VEM PRIMEIRO, da página 83 até 106, e por último, A AGITAÇÃO DE TODAS AS COISAS, da página 107 até a 129
  3. Fiz a tradução do inglês para o português no “Google Tradutor”, e fiz as correções e adaptações que entendi cabíveis, de acordo com meu conhecimento escatológico e coloquei entre colchetes […], alguns comentários… destacando com várias cores, o que entendi ser relevante.
  4. Que o Senhor te abençoe e te abra o entendimento, para entender o que está vindo, e te prepare, com a sua família, para receber o Messias Jesus Cristo, para instauração do Seu Reino Milenial.
  5. Maranatha!

 

………………………………………………///………………………………………………..

 

 

O PROPÓSITO DE DEUS SE DESDOBRA

 

 

[Nota do Editor: Este ensinamento não deve ser confundido com o comentário de mesmo nome, publicado no terceiro volume de Os Filhos Manifestados de Deus quase 3 anos depois. Não há relação entre os dois artigos].

 

É muito emocionante, mas também muito preocupante, perceber que Deus está se movendo, pelo Seu Espírito neste mesmo dia em que vivemos, para REVELAR aos Seus servos, aquilo que em breve acontecerá. Verdadeiramente o Senhor é FIEL naquilo que prometeu. Pois lemos em Amós 3:7: “Certamente o Senhor Deus não fará coisa alguma, sem ter revelado o seu segredo aos seus servos, os profetas”, ousamos acreditar que esta escritura é VERDADEIRA? Deus está revelando a Si mesmo e ao Seu plano? Julgue por si mesmo ao ler a seguinte profecia que foi dada na noite de 4 de agosto de 1964. Certamente o propósito de Deus para a consumação desta era, está sendo revelado a nós mais claramente, à medida que somos capazes de recebê-lo. “As coisas encobertas pertencem ao Senhor nosso Deus; mas as coisas que são REVELADAS pertencem a nós e a nossos filhos para sempre “. (Deuteronômio 29:29). Louvado seja o Seu Nome!

 

 

[profecia]

 

“Muitas coisas acontecerão nesta terra, diz o Senhor. Pois eu decretei isso e isso acontecerá. Você acha que o homem pode frustrar Minha Palavra, que declara meu plano de que todas as nações se envolverão em um combate mortal em um dia de julgamento e retribuição”?  Sim, e eu digo que muita confusão cairá sobre meu povo, nos dias que estão por vir. Por três vezes trarei terror sobre esta nação. [EUA].

 

“Do Oriente [Leste] causarei consternação. Pois do Oriente surgirá uma praga, um flagelo, que causará grande lamentação e aflição, e trará perigo à nação. Mas o fim ainda não chegou. [Pr. Waltenir. COVID-19]?

 

“Depois disso, diz o Senhor, virá um perigo do Sul. Pois em grande terror e angústia, as nações se levantarão, sob a bandeira da foice, para flagelar esta terra com consternação e medo. Pois do Sul virá o terror da revolução, à medida que as nações se levantam para derrubar os jugos que as prendem, mas não conhecem a verdade, nem sabem que caminho seguir, mas na ignorância aclamarão a liderança que os desviará. E fabricarão armas de destruição, [que irão] ferir aqueles que eles acreditam terem sido seus algozes, e grande será o grito de angústia que virá do povo desta terra, ao contemplarem a consternação e o medo que vêm do Sul.

 

“E então vem uma grande esperança do Oeste. Pois na parte mais ocidental desta terra, começarei um grande movimento, para trazer avivamento ao meu povo. Pois eu escolhi este lugar, até mesmo esta cidade (Portland, Oregon), para ser um dos lugares-chave para este avivamento ser dado. Você ousa acreditar que isso é verdade?

Eu digo, se você acreditar, você verá, diz o Senhor, E desta costa Oeste, espalharei este avivamento até que cercará a terra, para trazer descanso, esperança e conforto ao meu povo, diz o Senhor.

 

“Pois esta é uma preparação, diz o Senhor; uma preparação para o terceiro e último tempo de grande consternação que sobrevirá ao meu povo. Pois este será um tempo de grandes trevas e lágrimas; sim, e de grande destruição. Pois grande destruição virá do Norte, diz o Senhor, pois o inimigo virá como uma inundação. Porque do Norte trarei grande destruição sobre esta terra e sobre o seu povo, diz o Senhor “E muitos perecerão naquele dia. Pois será uma obra rápida e um tempo rapidamente englobado, pois em verdade ninguém escaparia se minha graça não tivesse decretado um tempo de abreviação, diz o Senhor Todo-Poderoso, que fez o céu e a terra e tudo o que neles há, e ninguém poderá deter minha mão. Pois meu povo se tornou lamentavelmente ímpio, diz o Senhor, e minha espada de julgamento virá para purificar, purificar e varrer a terra, para que eu possa começar de novo a construir, a plantar e a trazer adiante um povo que me honrará e que se tornará o núcleo de uma confederação mundial do meu povo; que se tornarão povos e nações de justiça para todo o mundo ver.   Pois a verdadeira justiça brotará como de uma terra seca; como o brotar e florescer daquilo que vem de uma vara que plantarei em verdade e em santidade.

“Portanto vocês (vasos preparados por Deus), sairão neste dia que eu designei, diz o Senhor, para serem uma vara em minha mão, uma vara de verdade e nomeação divina, para brotar por meu poder milagroso e graça, para alertar meu povo e fazer frutificar um remanescente em justiça e santidade; levar minha verdade por toda a extensão desta terra, diz o Senhor, para que quando o avivamento começar, um povo esteja preparado para receber e se levantar como um poderoso exército, para sair neste último dia, para declarar minha breve vinda; para preparar um povo para minha aparição.

 

“Porque verdadeiramente terei um povo na terra, diz o Senhor. Primeiro, um remanescente que fará proezas em meu Nome e se preparará em abundância para uma grande colheita na terra e, por um tempo determinado, coloquei em suas mãos a foice da verdade – a verdade para o presente – para este tempo designado; como mordomos fiéis, para produzir o meu vinho da verdade e da justiça para este dia.   Para o vinho novo, na verdade, preparei, e vasos para receber o vinho de preparação; um vinho muito potente para ser recebido, mas por um remanescente preparado, diz o Senhor. Mas vocês (os vasos preparados), serão usados ​​para preparar uma colheita em abundância, diz o Senhor; porque em tempo de trabalho trarei (Isaías 66:7-9), e em tempo de tristeza serei buscado, e então brotará, e de mar a mar abrangerá, diz o Senhor. Brotar em verdade e santidade (por toda a terra).

 

“Mas ainda não chegou o tempo, pois um remanescente deve primeiro ser preparado, e é isso que estou fazendo agora, diz o Senhor. Não se assuste com o que em breve acontecerá com você, pois é a minha preparação, diz o Senhor. (*) E Eu os enviarei para proclamar esta mensagem de preparação; pois um remanescente deve primeiro ser preparado, e então, e somente então, virá uma grande colheita.  Pois do Norte e do Leste surgirá um flagelo e muitos cairão naquele país [naquele] dia, mas do Oeste surgirá a esperança, assim como do Sul virá a confusão e o medo, diz o Senhor.

(*) Isso se refere a uma provação pessoal pela qual passei, mas também indica que Deus testará todos aqueles que Ele está preparando.

 

“Começando em vocês (os vasos preparados) será um redemoinho e abrangerá muitos, pois soprarei sobre você, diz o Senhor, e coisas poderosas serão feitas em meu nome e por minha causa. Pois aqueles que preparei irão como um poderoso redemoinho para sacudir, arrancar e plantar novamente, e muitos virão e contemplarão a mão poderosa da minha verdade. Não tenha medo, portanto, pois eu o   envolverei pelo meu Espírito e farei de você uma torre forte e como uma cidade cercada e murada, que será cercada pelo inimigo, mas eles não poderão penetrar, diz o Senhor.

 

“Pois alguns dos meus preparados permanecerão durante as pragas da tribulação que virão sobre a terra, e não participarão das primícias que serão colhidas.   Mesmo assim, serão participantes das primícias da minha colheita, que será deixado na terra, para agir como um fermento de justiça e verdade, até que todas as massas estejam totalmente preparadas, diz o Senhor. Pois haverá três massas preparadas (Mateus 13:33). Uma massa de pessoas preparadas para participar plenamente de tudo o que tenho (100/1 vezes); um grupo de segundos (60/1 vezes,) que verão minha glória, mas não entrarão nas glórias do Reino celestial; e um grupo de terceiros (30/1 vezes), que serão lançados em condições de tribulação, sem a plenitude da minha proteção (os “muitos açoites” de Lucas 12:45-47), pois terão que suportar muitas dificuldades e sofrimentos, e haverá choro e ranger de dentes.

 

“Mas aqueles que confiam plenamente em mim, e por mim preparados, não precisam ter medo naquele dia, diz o Senhor. Pois aqueles que eu tirarei (as Primícias – Apocalipse 14:1-5), cercarão meu povo e protegerão e fala com eles no dia da angústia, e eles serão um escudo protetor para aqueles que permanecerem no deserto da provação, diz o Senhor (Apocalipse 12:6).

 

“Não será usado o fermento da verdade para levedar estas massas, diz o Senhor? Pois como uma mulher (Apocalipse 12:1, Mateus 13:33) que deseja ver sair do forno a plenitude daquilo que ela amassou e preparou, então darei ao meu povo o desejo e os meios para ser um fermento na terra nos últimos dias. Uma massa será do Leste, uma massa do Sul e uma do Oeste (simbolicamente falando-o mesmo que a dobra 100/1, 60/1 e 30/1. A massa Oriental [Leste] será lançada fora (em condições de tribulação – os “açoites” de Lucas 12:47), diz o Senhor, pois eles buscaram primeiro seus próprios desejos. … Mesmo assim, eles participarão do flagelo, e não receberão a proteção completa naquele dia. Uma massa será do Sul. Eles falarão a minha verdade, mas terão chegado tarde demais para serem participantes dos santos em luz que conhecerão e estarão na plenitude naquele dia. Mesmo assim, eles receberão minha proteção completa, pois são filhos da justiça e filhos do reino, embora seja apenas o terreno. Pois esta será a sua sorte: entrar naquilo que é terreno em plenitude de estatura física e perfeição (imortalidade), sendo participantes das primícias da herança terrena (em preparação para o vindouro reino milenar).

 

“Mas a massa Ocidental será maior do que eles, porque entrarão naquilo que é celestial. Pois assim como as primícias que são colhidas de antemão (no início da grande tribulação), assim serão colhidas naquele dia, (no final da tribulação – a grande multidão de Apocalipse 7:9-17), para ser para mim uma companheira nos lugares celestiais, enquanto procuro conformar todas as coisas ao meu próprio reino.

 

“Não devo governar, diz o Senhor? Não devo procurar trazer todas as coisas para mim? Na verdade, farei! E muitos serão usados ​​por mim para cumprir meu propósito, diz o Senhor. Pois este é o Grupo mais Ocidental, que surgirá do Santo dos Santos para mim, diz o Senhor (ver Filipenses 3:21).

 

“Participantes, participantes, participantes, diz o Senhor. Todos serão participantes (os três “Grupos” – 30/1, 60/1 e 100/1 vezes). A diferença está no tempo e no reino da glória. Pois a glória terrena não é a celestial nem o celestial é o terreno (I Coríntios 15:40-41), mas cada um em sua própria esfera manifestará minha glória.

 

“Você está disposto a ser um fermento, diz o Senhor? Para um fermento exigirei que isso aconteça, diz o Senhor. Pois há um fermento da verdade, assim como um fermento do mal. O fermento da verdade funciona lentamente, penetrando nas fibras da alma para trazer à tona aquilo que eu preparei. Considere, considere o que eu digo a você, meu filho, pois meus caminhos não são os seus, e farei com que você busque os caminhos mais elevados. 

 

[comentário]

 

Os seguintes comentários foram feitos na época em que a palavra profética foi publicada pela primeira vez.  Eu os reimprimo aqui exatamente como foram fornecidos originalmente. Acrescentarei mais alguns comentários posteriormente, enfatizando os aspectos proféticos da mensagem.

Na profecia, Deus diz: “Você está disposto a ser um fermento?… pois um fermento exigirei para que isso aconteça”. Segundo o dicionário, “fermento” é qualquer substância cuja presença em outro corpo produz a peculiar efervescência e decomposição chamada fermentação; comoção; aquecer; tumulto; agitação. A fermentação é um processo químico que causa a decomposição ou conversão de uma substância orgânica, em novos compostos, na presença de um fermento, geralmente indicado por um movimento interno sensível, pelo desenvolvimento de calor e pela liberação de bolhas de gás; na linguagem comum, o processo pelo qual o suco de uva é convertido em vinho.

Jesus disse: “Ninguém põe vinho novo em odres velhos (odres)” (Marcos 2:22). Isso ocorre porque a ação “fermentadora” do vinho novo é demais para a condição já esticada e “rígida” do odre velho. Vinho novo é aquele que ainda está em processo de fermentação, não tendo ainda se tornado um vinho “maduro”. De uma perspectiva, o vinho novo é um tipo de NOVA VERDADE.  Na profecia Deus diz: “Para o vinho novo, na verdade, preparei e vasos para receber o vinho da preparação, um vinho muito potente para ser recebido, a não ser por um remanescente preparado, diz o Senhor”. Este remanescente chamado, está sendo preparado como um NOVO vaso ou odre, para receber as VERDADES e OPERAÇÕES DO ESPÍRITO, muito potentes para o cristão comum, e para o grupo da Igreja. Cada um deve se tornar um NOVO VASO para o Senhor, completamente flexível ao que o Senhor quer nos revelar ou fazer em nós.

 

O que acontece quando o Senhor começa a revelar novas verdades para você? Começa um processo de “fermentação” dentro de você. Causa comoção, tumulto e agitação, porque muitas vezes perturba ideias ou conceitos que você tinha anteriormente.

Como o fermento, é uma “substância”, dentro da qual produz uma efervescência e decomposição (do velho), quebrando, reestruturando elevando, preparando para que Seu Espírito-FOGO faça o trabalho final.  Este “trabalho” continua até que essa verdade se torne “amadurecida” em nós. Tal como o vinho “maduro”, é então incorruptível, purificador e duradouro.   O vinho novo ou fermentará e se tornará um vinho maduro, ou azedará e se transformará em vinagre, assim como a nova verdade em nós; ou fará sua fermentação adequada em nós e nos amadurecerá ou nos tornará azedos, dependendo de nossa prontidão ou da falta dela. A profecia diz: “O fermento da verdade atua lentamente, penetrando nas fibras da alma para produzir aquilo que preparei”. A maioria de nós é LENTA para receber aquilo que é novo para nós. Leva TEMPO para que a nova verdade faça o seu “trabalho” e finalmente “amadureça” em nós.    Enquanto isso, podemos experimentar muita ação “fermentadora” interna.

E agora alguns comentários sobre as “primícias”. Lembre-se que de acordo com o PADRÃO Bíblico, as primícias eram a parte da colheita que amadureceu primeiro e precedeu a colheita principal.  Na profecia, as “primícias” são divididas em dois grupos: (1) as “primícias” que serão colhidas antes da colheita principal, e (2) “as primícias maduras da Minha colheita que serão deixadas na terra para agir como um fermento de justiça e verdade, até que todos os grupos estejam totalmente preparados” durante a colheita principal.

Novamente quando vamos ao PADRÃO da Bíblia descobrimos que as “primícias” foram especialmente dedicadas a Deus e como foram fielmente apresentadas a Ele, foram garantia do restante da colheita. Em Levítico 23:10-12 encontramos instruções para que um “molho” de primícias fosse apresentado ao Senhor em uma cerimônia especial na época da Páscoa, no início da colheita da cevada. Nesta apresentação especial eles não arrancaram todos os primeiros grãos maduros, mas apenas um “molho” das primícias (Lev. 23:10) que foi “cortado” do campo de colheita e LEVADO AO SACERDOTE para ser “acenado diante do Senhor”. Josefo, o grande historiador judeu, diz que este molho era de cevada e que até que esta cerimônia fosse realizada, nenhum trabalho de colheita deveria ser feito.

 

Eu pessoalmente acredito que este “molho movido” é o “filho varão” de Apocalipse 12:5 que é “arrebatado” ao trono de Deus antes dos 3 anos e meio de tribulação do “deserto”. Também é representado pelos 144.000 de Apocalipse 14:1-5, que são descritos como “as primícias para Deus e para o cordeiro”. Há uma razão muito especial pela qual este “molho” de primícias é retirado (trasladado e dado corpos glorificados) ANTES da tribulação. Na profecia o Senhor diz: “Aqueles que eu tirei te cercarão e te protegerão e falarão contigo no dia da angústia. E eles serão para ti, e para o meu povo, um escudo protetor no deserto da provação”. Tendo recebido seus corpos glorificados, podemos ver como eles poderiam realizar tal “serviço de mensageiro”, assim como nosso Senhor fez depois que Ele ressuscitou dos mortos, enquanto Ele continuava a aparecer e a falar aos discípulos em Seu corpo glorificado por um período de 40 dias. (Atos 1:3). Apocalipse 12:6 diz que estas “primícias” “alimentarão” a Igreja no deserto.

Em contraste com o “molho de primícias” a ser retirado, observe que a profecia fala das primícias maduras da Minha colheita, que será deixada na terra para agir como um fermento de justiça e verdade até que todas as massas estejam totalmente preparadas… pois haverá três massas preparadas.” Essas três massas serão trazidas à fruição final durante o período da Tribulação, [não da Grande Tribulação] de 3 anos e meio, que é o tempo da grande colheita final de almas humanas na terra. O “remanescente das primícias” que Deus está agora chamando e preparando, (com exceção do “molho” a ser retirado), SE TORNARÁ o “fermento” deixado na terra para fazer o trabalho. Mesmo agora, uma medida deste trabalho está sendo feita, e devemos [cremos que você] esteja disposto a se tornar uma substância “fermentante-efervescente” (borbulhante, viva e às vezes até agitadora) dentro do corpo maior da cristandade; não por alguns métodos “carnais”, mas pelo poder da Palavra de Deus e pela operação do Seu Espírito.

Devemos ser como a mulher da parábola registrada em Mateus 13:33, que pegou e escondeu o fermento em três medidas de farinha, até que tudo ficasse levedado.  Na profecia Deus diz: “Não será usado o fermento para levedar estas massas, diz o Senhor? (O fermento neste caso, representa a verdade que se torna o “fermento” para fazer o trabalho), veja sair do forno a plenitude daquilo que ela amassou e preparou, então eu lhe darei o desejo e os meios para ser um fermento entre meu povo, para produzir três grupos nestes últimos dias. O cumprimento final e completo será pela “mulher no deserto” de Apocalipse 12:6, DEPOIS que o “filho varão” for arrebatado ao trono de Deus” … 12:14), durante o tempo de tribulação, para que ela pudesse realizar seu trabalho e ser uma influência “fermentadora”.

Na parábola de Mateus 13:33 a mulher “leva” três medidas, e na profecia são mencionados três torrões, [ou três GRUPOS]. Os “torrões” representariam as “medidas” de farinha, DEPOIS do fermento da Palavra da verdade, e do fogo do Espírito de Deus havia feito o trabalho necessário.   Os três “aglomerados” que surgirão nestes últimos dias, representam o agrupamento de 30/1, 60/1 e 100/1 de cristãos [nascidos de novo]. O 100/1 vezes é mencionado na profecia como “o grupo de pessoas preparadas para participar plenamente de tudo o que tenho”. Eles serão “co-erdeiros” de Cristo para “governar e reinar” dentro das glórias do reino celestial (celestial) e sobre a terra. A respeito deles a profecia também diz: “Pois assim como as primícias que foram colhidas de antemão (os primeiros do grupo de 100/1), assim sereis levados naquele dia para serdes para mim uma companheira nos lugares celestiais, enquanto procuro me conformar todas as coisas para o meu próprio reino… Pois esta é a massa mais Ocidental que surgirá do Santo dos Santos até para mim, diz o Senhor.” 

O 60/1 vezes é o “aglomerado dos segundos, que verão minha glória, mas não entrarão nas glórias do reino celestial”. Será seu destino entrar naquilo que é terreno em plenitude de estatura física e perfeição – imortal. vida ou imortalidade em corpos físicos (terrestres), em vez de corpos glorificados (celestiais) (1Co 15:40).   O 30/1 é o “aglomerado de cidadãos de terceira classe, que serão expulsos (em condições de tribulação), por causa de sua loucura, e terão que suportar muitas dificuldades e sofrimentos, pois haverá choro e ranger de dentes”.  Eles “participarão do flagelo e não receberão a proteção completa naquele dia”. Acredito, no entanto, que se eles “perseverarem” na fé até o fim do período da tribulação (Mateus 24:13), Deus salvará, ou preservará suas vidas, das taças de Sua ira, e eles junto com os 60/1 dobra, herdará a fase terrena do reinoMas, ao contrário dos 60/1 vezes, eles não serão candidatos imediatos à imortalidade para os seus corpos físicos, mas terão primeiro de provar o seu valor e subir para o estatuto de 60/1 vezes, antes que a sua mudança possa ocorrer. Acredito que algum tempo depois do milênio (1000 anos de paz) aqueles que vivem em corpos físicos imortais, serão trasladados e receberão seus corpos glorificados, pois não é o propósito de Deus que nenhum de Seus filhos permaneça “torrão” e preso à terra para sempre. Como diz a profecia: “Participantes, participantes, participantes, diz o Senhor. Todos (30-60-100 vezes) serão participantes. A diferença está no TEMPO e no REINO da GLÓRIA”. Todos serão eventualmente libertados do terreno e revestidos da glória celestial no tempo de Deus, cada um para entrar naquele REINO, que Deus escolheu para eles.

Ao examinarmos os últimos dez anos, desde que esta palavra profética foi recebida pela primeira vez, podemos ver que a história já confirmou grande parte dela.  Muitas coisas aconteceram na terra de América, e o que vimos é apenas o começo das “desgraças” de julgamento que estão por vir. Não presumirei ser capaz, neste momento, de prever tudo o que o Senhor tem em mente nesta mensagem profética.  Mas comentarei sobre uma medida de realização que temos visto.   Primeiro, Deus diz que do Oriente surgiria uma praga e um flagelo que traria grande lamentação e angústia, trazendo perigo para a nação.   Não acredito que esta “praga” se refira principalmente a alguma doença física ou a um flagelo de proporções epidémicas, embora isto possa fazer parte dela com o tempo, mesmo que tenhamos visto, em pequena medida, o que tem sido chamado de “gripe asiática” e, outras doenças do Leste, invadem este país. Mas temos visto uma grande “consternação” sobre esta terra, por causa do “flagelo” comunista, que tem assolado cada vez mais o Leste durante os últimos 10 anos, especialmente no Vietname. Em 1964, a questão do Vietname afetou muito poucos americanos, mas em nos anos seguintes, quase destruiu este país, trazendo um “perigo” considerável para a própria estrutura da nossa nação.   Acredito que a agonizante guerra do Vietname foi uma concretização parcial do flagelo vindo do Leste. [Penso que não…]

Ao olharmos para o futuro, não é provável que o contínuo flagelo comunista possa ser contido no Leste, mesmo quando vemos países como o Camboja, cambaleando à beira do colapso, e Vietnã do Sul, cada vez mais enfraquecido.  Também estão sendo feitas incursões em outras nações, como Tailândia, Índia, etc. Para que possamos esperar que as “cartas” sejam cada vez mais “empilhadas” contra nós como nação nos países do Extremo Oriente.

Mas talvez os desenvolvimentos recentes no Próximo Oriente (ou Médio Oriente), sejam ainda mais ameaçadores para a nossa nação, do que os do extremo Oriente. Veja o que aconteceu nos últimos dez anos, desde que a palavra profética foi dada. Houve duas guerras entre judeus e árabes (1967 e 1973), com os russos ajudando e encorajando, cada vez mais os países árabes. De repente, os árabes acordaram para o fato de que têm o poder de cortar a veia jugular do Ocidente, nas suas grandes reservas de petróleo, que as nações ocidentais (incluindo América) precisar. Líderes das nações ocidentais, incluindo o nosso próprio secretário de Estado. Henry Kissinger, alertaram recentemente sobre o grande PERIGO económico, com que as nações do Ocidente estão ameaçadas, uma vez que os Árabes optaram por usar a sua arma petrolífera, com preços astronomicamente aumentados. É preciso pouca imaginação para ver como os árabes (incentivados, sem dúvida, por Rússia), tentarão cada vez mais chantagear o Ocidente para que aceite a sua posição contra Israel. E sem dúvida, a maior “consternação” e “PERIGO” chegarão à nossa nação, vindos do LESTE, quando o confronto final chegar no Médio Oriente. Pois eu não acredito nisso, que a América vai abandonar Israel à destruição dos países árabes armados e apoiados pela Rússia.

A palavra profética menciona a seguir o perigo vindo do Sul. A profecia é bastante específica, ao afirmar que isto se relaciona com as nações ao sul da nossa fronteira na América Central e do Sul, que se levantam em revolução, defendendo cada vez mais ideologias pró-esquerda e atacando os funcionários.   Nos últimos dez anos assistimos a uma “maré ascendente” nesta linha. Lemos nos jornais sobre o crescente sequestro de funcionários de empresas americanas nestes países, e a exigência de dinheiro, comida, etc. como resgate. Isto é o resultado do aumento da atividade de guerrilha esquerdista, que ameaça a frágil estabilidade da maioria das nações sul-americanas.   Conversei recentemente com missionários de longa data na América do Sul, e o relatório deles é que a situação política na maioria das nações é extremamente volátil. Vimos uma nação (Chile), que ficou sob o domínio de um governo comunista, apenas para o derrubar em combates sangrentos, mas é bastante evidente que ainda existe muito sentimento pró-esquerda no país, e com o tempo, um conflito sangrento poderá irromper lá novamente.   Com o tempo, a maré revolucionária do Sul irá afetar grandemente a nossa nação, e trazer grande consternação e medo.

[Nota do Editor: este comentário foi produzido em 1974. A profecia do flagelo do Sul teve de fato um cumprimento muito maior na década de 1980 através das revoluções comunistas em Granada, El Salvador e Nicarágua sob os sandinistas, todos criando grande consternação para a administração Reagan, levando ao que ficou conhecido como “Contra Gate”.] [Pr. Waltenir. Atualmente (dezembro de 2023), quase todos os países, das três Américas, estão sob o governo ou influência dos Comunistas Chineses e Russos…]

A profecia então menciona uma grande esperança vinda do Oeste e menciona especificamente a parte mais ocidental como sendo o “trampolim” para um mover do Espírito, que trará grande esperança à nação. Se esta palavra profética relativa ao Ocidente tivesse vindo apenas através de mim, eu hesitaria em publicá-la, mas profecias semelhantes, vieram de vários vasos de Deus ao longo dos últimos anos. Contudo, a mensagem é muito clara de que este será um movimento nacional do Espírito, e de onde ele vem e que vasos Deus usa para lhe dar impulso, não é de grande importância. Todos devemos estar prontos para serem usados ​​por Deus da maneira que Ele escolher, e somente para Sua glória. Acredito que o prometido mover do Espírito e o reavivamento prometido ainda estão, em sua maior parte, no futuro. Contudo, temos visto nos últimos dez anos um movimento preliminar crescente do Espírito, que foi cunhado por alguns como o movimento “carismático”, e que tem afetado um grande número de pessoas em todas as denominações. Em harmonia com o padrão que Deus falou, este movimento recebeu o seu impulso inicial principal da costa oeste. Mas o que vimos, é apenas pequeno e fragmentário em comparação com o poderoso derramamento que sabemos que está por vir. Louve o Senhor! Que Ele apresse o dia.

 

[Nota do Editor: nas décadas de 1990-2000, numerosas profecias também começaram a declarar que o avivamento no Estados Unidos viria do Leste, especificamente Nova Inglaterra! Isto não precisa indicar contradição, mas pode indicar diferentes movimentos que ocorrerão em momentos diferentes. Como o irmão Earls aponta em outro lugar, os caminhos de Deus são múltiplos, ou seja, “multifacetados”]

O Senhor declara que o poderoso avivamento, que Ele enviará, será uma preparação para o tempo final de grande consternação que sobrevirá a esta nação. Os perigos do Leste e do Sul, trazem grande medo interno e, sem dúvida, alguma turbulência (agitação em massa resultando em manifestações e até mesmo em tumultos e destruição à medida que as tensões aumentam), mas o tempo de grande destruição na nossa nação, chegará com o perigo do norte. Parece evidente que esta é uma referência a Rússia, [e China], e de ser ela capaz de enviar mísseis sobre a calota polar, descendo sobre as nossas grandes cidades a partir do Norte.

Isto acontecerá durante a fase final da guerra total chamada Armagedom, ou “A batalha daquele grande dia do Deus Todo-Poderoso” (Ap 16:14-16).   A profecia deixa claro que Deus intervirá, para encurtar o tempo da batalha, para que tudo não seja destruído, e isso está em harmonia com a declaração de Jesus em Mateus 24:22. Eu pessoalmente não acredito que haverá tanta destruição nos Estados Unidos, como acontecerá em áreas como o Médio Oriente e Europa. Mas certamente não escaparemos ao julgamento atômico, e parece bastante certo que muitas das nossas cidades sofrerão enormemente e com um grande número de mortos.

Farei alguns comentários finais sobre o pensamento expresso na palavra profética, de que nem todos os cristãos receberão o mesmo grau de proteção, nos dias de tribulação que virão; nem todos os cristãos entrarão no mesmo grau de glória e recompensa no Reino vindouro.  Multidões de cristãos foram levados à complacência pelo dogma indutor do sono de que todos os cristãos serão arrebatados antes que qualquer grande tribulação caia sobre o mundo. Não vou perder tempo aqui, para dissipar a escuridão de tal ensino antibíblico, mas simplesmente afirmar que, a grande maioria dos cristãos, passará pela grande tribulação. Visto que isso é verdade, torna-se de suma importância que deixemos o Senhor nos PREPARAR para os próximos dias de angústia.

A necessidade de preparação é claramente dada por Jesus em Luc. 12:35-48. Leia toda a passagem e observe que Jesus está lidando com condições relacionadas à Sua segunda vinda.   É muito claro que os Seus servos que se descuidam e não se preparam, terão um tratamento diferente daqueles que se mantêm em sintonia com o Senhor e fazem a Sua vontade. O versículo 47 afirma, enfaticamente, que o servo que conhecia a vontade do Senhor, mas não se PREPAROU, será “espancado” com muitos açoites. Lembre-se, toda a passagem trata das condições do fim dos tempos, e os “muitos açoites” são, sem dúvida, uma descrição simbólica das provações e das circunstâncias da tribulação, sem a completude da proteção do Senhor. Menos açoites serão dados àqueles que tiveram menos compreensão da vontade do Senhor, mas eles AINDA receberão “chicotadas” nas condições da tribulação (vs. 48). Acredito que serão principalmente os 30/1 que receberão esses tratamentos mais severos de Deus, em vez dos 60/1 ou 100/1, como a profecia parece indicar. [Pr. Waltenir. Da parábola do Semeador de Mateus 13: 1 a 23].

 

Em Apocalipse 11:1-2, lemos que João recebeu uma cana semelhante a uma vara, para medir o templo e aqueles que nele adoram. O “templo” se referiria ao Lugar sagrado e Santo dos Santos, que tipificam os 60 e 100 cristãos, respectivamente.   Mas foi dito a João que não medisse o átrio exterior, pois seria dado aos gentios para ser pisado durante quarenta e dois meses (o período da tribulação). [Ou seja, a primeira parte dos 7 anos finais].  O átrio exterior tipificaria o cristão 30/1 vezes que está muito distante (espiritualmente) do que o Senhor está fazendo, para ser medido pela vara (Palavra de Deus) e contado entre aqueles que receberão a plenitude de Sua proteção.  A “pisada” pelos gentios corresponderia simbolicamente aos “muitos açoites” de Lucas 12:47. Outras indicações de que os cristãos serão “castigados” pelas condições da tribulação são encontradas em Apocalipse 2:22 e 3:16. Não vou perder tempo explicando em detalhes agora, mas em cada uma das últimas quatro cartas às sete igrejas da Ásia, é uma referência à vinda do Senhor ou à grande tribulação. Isto indica que o que surgiu dentro da Igreja durante os períodos históricos representados por estas Igrejas, continua até o fim. Neste tempo final, cada cristão participará ou experimentará as condições espirituais retratadas simbolicamente em uma dessas Igrejas: ou a “idolatria” espiritual e a “fornicação” da Igreja de Tiatira, a “morte” da Igreja de Sardes, a fidelidade, pureza e poder da Igreja de Filadélfia, ou o orgulho, complacência e tibieza da Igreja de Laodiceia.

Veja Apocalipse 2:21-23, onde Jesus ordena aos de Tiatira que se arrependam ou Ele os “lançará em grande tribulação” (para receber “muitos açoites” ou mesmo para serem mortos pelas condições da tribulação. Para que alguns não pensem que Ele não está falando de cristãos aqui, Ele declara no versículo 23 que Ele fará essas coisas para que “todas as igrejas saibam que eu sou aquele que esquadrinha os rins e os corações; e darei a cada um de vocês segundo as suas obras”. Em outras palavras. Ele não está lidando com a questão da salvação eterna, mas das obras (obediência ou falta dela) e da necessidade de “castigo” através de condições de tribulação, por causa da falta de vontade de se arrepender. Na carta de Jesus aos mornos da Igreja de Laodiceia, enfatiza isso com estas palavras: “Eu repreendo e castigo a todos quantos amo: sede, portanto, zelosos e arrependei-vos” (Apocalipse 3:19). Lembre-se, Ele está falando à Igreja e não ao mundo. a mesma Igreja de Laodicéia Ele declara: “Porque és morno, e não és frio nem quente, cuspir-te-ei da minha boca” (Ap. 3:16). Cuspi-los onde? Sem dúvida, na grande tribulação para receber os “açoites” necessários, assim como aqueles no átrio exterior de Apocalipse 11:2 são “expulsos” (leitura marginal) para serem “pisados”.

À luz destes fatos, não é de admirar que, ao ensinar sobre a Sua segunda vinda e os eventos relacionados no mundo, Jesus tenha advertido muitas vezes sobre a importância de “vigiar” e de estar preparado.

 

 

UM REMANESCENTE PREPARADO

 

 

Visto que a profecia reimpressa anterior, menciona o propósito de Deus no “remanescente preparado”, seria bom dar uma olhada no princípio do “remanescente” na Bíblia. A palavra “remanescente” significa simplesmente uma parte do todo: literalmente o resto, alguns em comparação com o todo. Quando Deus estava contando a Isaías sobre o julgamento que estava por vir Israel por causa dos seus pecados, Isaías perguntou ao Senhor “até quando?” A resposta veio:

“¹¹ Até que sejam assoladas as cidades, e fiquem sem habitantes, e as casas sem moradores, e a terra seja de todo assolada, ¹² e o Senhor tenha removido para longe dela os homens, e sejam muitos os lugares abandonados no meio da terra. ¹³, mas se ainda ficar nela a décima parte, tornará a ser consumida, como o terebinto, e como o carvalho, dos quais, depois de derrubados, ainda fica o toco. A santa semente é o seu toco. (Isaías 6:11-13). Deus assegurou a Isaías que embora a maioria do povo O abandonasse e fosse destruído ou levado cativo no julgamento, ainda assim na terra haveria “um décimo” do povo que retornaria para o Senhor, e seria como uma “semente santa” ou remanescente, e Deus consideraria este remanescente como a “substância” do todo através da qual Ele poderia continuar a realizar Seu propósito em Seu povo escolhido. 10:20-22: “E acontecerá naquele dia que o restante de Israel, e os que escaparam da casa de Jacó, não confiarão mais naquele que os feriu; mas confiará no Senhor, o Santo de Israel, em verdade. O remanescente retornará, sim, o remanescente de Jacó, ao Deus poderosoPois embora seu povo Israel será como a areia do mar, mas um remanescente deles retornará.

Esse princípio é repetido diversas vezes nas escrituras. Não importa o quanto a maioria do Seu povo se tenha afastado Dele, Deus sempre teve o Seu remanescente fiel. Deus até disse a Isaías para nomear um de seus filhos, “Sear-Jasube”, que significa “um remanescente retornará” (Isaías 7:3), e isso seria um SINAL para ele e para o povo. Durante os anos que Isaías profetizou, surgiu um rei justo chamado Ezequias, e durante seu reinado, sob a tutela do grande profeta Isaías, um remanescente do povo retornou de todo o coração ao Senhor e, como resultado, um dos ocorreram os maiores despertares e reavivamentos espirituais registrados nas escrituras. Você pode ler sobre isso em II Crôn. capítulos. 29-33. Mas o nome do filho de Isaías tinha um significado ainda mais abrangente. Pois depois do reinado justo de Ezequias, o povo de Deus entrou em seu declínio final e apostasia, levando ao seu cativeiro pelos babilônios. Mas Deus deu o sinal de que eventualmente (depois de 70 anos) um remanescente dos judeus cativos retornaria para Jerusalém e reconstruiria o templo e a cidade e preparar-se para a vinda do Messias.

 

O princípio do remanescente foi repetido quando se aproximou o tempo da chegada do Messias. Apenas um pequeno remanescente espiritual estava ansiosamente aguardando e preparando seus corações para Sua vinda, como Ana, a profetisa (Lucas 2:36), e Simeão, um homem devoto (Lucas 2:25-35). Outros foram preparados pelo ministério de João Batista e depois responderam ao chamado de Jesus para segui-lo. Mas embora multidões O ouvissem ensinar e O aglomerassem por causa do Seu poder de operar milagres, João 6:66-68 mostra que a maioria estava disposta a segui-Lo apenas até certo ponto, e depois se afastou; apenas um remanescente queria entregar-se totalmente a Ele e tornar-se instrumento do propósito de Deus na nação. Quando o ministério de Jesus terminou e Sua morte e ressurreição ocorreram, um pequeno remanescente de 120 pessoas já havia se comprometido o suficiente para se reunir no cenáculo em obediência à ordem de Jesus de esperar pela promessa do Pai. Paulo refere-se a esses fiéis em Rom. 11:5 como “um remanescente segundo a eleição da graça”. Ele então continua dizendo que “Israel não obteve aquilo que procura; mas a eleição o obteve, e os demais foram cegados” (Romanos 11:7). Mas veja o que foi realizado depois que o Espírito Santo foi derramado sobre aquele remanescente que esperava. Uma grande colheita de almas foi trazida para Deus, começando com os judeus e depois alcançando os gentios, como é vividamente retratado no livro de Atos.

Não podemos ver, que o Senhor está novamente se preparando, para derramar totalmente o Seu Espírito sobre um remanescente preparado, num segundo Pentecostes, ou “chuva serôdia”? Deus está se movendo pelo Seu Espírito agora, com certeza, mas isso é apenas uma amostra e precursor daquilo que está por vir. Atualmente estamos vendo a restauração da chuva primitiva, com algumas gotas preliminares da chuva serôdia, como um meio de reunir, ensinar e disciplinar o remanescente mundial de Deus em preparação para o grande tempo de colheita que está por vir

Deus está levantando Igrejas locais nestes tempos de refrigério e restauração, que estão se submetendo à liderança de Cristo, e em submissão mútua como membros do Corpo de Cristo, e que buscam ser disciplinados nos caminhos de Deus, para funcionar em Sua ordem divina em unidade e amor[Pr. Waltenir. A Igreja Batista Betel de Umuarama, está neste contexto, pois foi organizada com essa visão em 1.985].

Muitos milhares de pessoas em todo o mundo estão sentindo os efeitos deste movimento atual do Espírito, e estão respondendo ao chamado do Mestre para tomarem as suas cruzes e segui-Lo até o fim. Mas ainda assim, isto é apenas um “resto” em comparação com as vastas multidões da cristandade nominal e morna. Contudo, o Senhor deve chamar e preparar este remanescente totalmente comprometido, antes que o grande e poderoso derramamento [do Espírito Santo], e colheita possam ocorrer.

Seria necessário um volume para mostrar como Deus operou ao longo da história através de remanescentes escolhidos, mas este não é o momento nem o lugar para tal estudo. Algumas ilustrações serão suficientes para demonstrar ainda mais esse princípio no Antigo Testamento. Elias profetizou durante uma época de grande maldade e apostasia, quando o fraco rei Acabe estava no trono e sua esposa estrangeira Jezabel estava destruindo todos os verdadeiros profetas e exigindo a adoração de Baal. Elias sentiu que só ele estava sendo fiel a Deus quando Deus falou com ele e disse: “Deixei-me sete mil em Israel, todos os joelhos que não se dobraram a Baal “(1 Reis 19:18). Sim, Deus tinha Seu remanescente fiel no meio de toda aquela maldade. Poderíamos mostrar com muitos detalhes o tempo de crise nos dias de Gideão, quando o julgamento estava vindo sobre o povo de Deus por parte dos midianitas e amalequitas (ver Juízes, caps. 6-7). Quando o povo clamou a Ele, Deus operou uma grande libertação por meio de Gideão e seus 300 homens. Este pequeno grupo era o “remanescente” – aquele que permaneceu devotado e fiel – disposto a estar preparado, depois de quase 32.000 terem desistido da batalha. Como ilustração final, tomemos o exemplo de José, o “remanescente” dos filhos de Jacó; aquele que terminou no Egito por causa da traição de seus irmãos. No entanto, ele estava disposto a confiar em Deus e, através de grandes testes e disciplinas, foi preparado para ser usado como o instrumento que salvou a vida de seus irmãos, e trouxe uma grande libertação (Gn 45:5-7).   Certamente, José é um tipo daquele remanescente que Deus está preparando neste dia.

Que porção do Seu povo, em termos de números, Deus considera tão suficiente como o Seu “remanescente”, e que Ele vê como a “substância” do todo, através da qual Ele pode trabalhar, não podemos dizer com certeza. Isto variaria em qualquer situação, como vimos nos exemplos dados: 7.000 foram mencionados nos dias de Elias, os 300 de Gideão eram suficientes nos seus dias, e um homem – José – tornou-se o meio de libertação de Deus para a casa de Israel em seu dia; mas é claro, ele era um tipo de companhia ou grupo remanescente que Deus está preparando para que sua vida seja simbólica. Mas em todas as escrituras, a única porção que Deus declara ser sempre SUA de uma maneira especial é a sagrada DÉCIMA. Não podemos limitar Deus, e notamos como o seu remanescente é muitas vezes inferior a um décimo. Mas olhando novamente para a escritura com a qual começamos, notamos estas palavras: “e haverá um grande abandono no meio da terra. Mas ainda nela haverá um décimo, e VOLTARÁ (Isaías 6:12- 13). Alguém se pergunta se nos dias em que vivemos, enquanto Deus está se preparando para um grande derramamento de Seu Espírito e uma grande colheita, Ele está esperando que UM DÉCIMO daqueles que se dizem cristãos, RETORNE TOTALMENTE toda a sua vida, viva para Ele com total dedicação e sem reservas, tornando-O Senhor de TUDO.

Para ilustrar o princípio do santo décimo em relação ao princípio do remanescente, vamos dar uma olhada em um incidente significativo que ocorreu no ministério de Jesus, conforme registrado em Lucas 17: 11-19.   A purificação dos dez leprosos nesta narrativa ocorreu enquanto Jesus estava em Sua última viagem para Jerusalém. Em 17:11 lemos: “E aconteceu que, indo ele para Jerusalém, que ele passou pelo meio de Samaria e Galileia.” Sua ida a Jerusalém pela ÚLTIMA vez, a cidade do grande Rei, o centro do governo de Israel, onde as multidões o saudaram e gritaram sua realeza, é um TIPO de Seu retorno a esta terra quando Ele assumirá Seu poder para reinar. Em seu caminho para Jerusalém, diz que Ele passou pelo meio de Samaria e Galiléia. “Samaria” vem de uma palavra hebraica que significa “torre de vigia”. Sem perder tempo para demonstrar essa verdade em outras escrituras, “Samaria” torna-se assim um tipo do mundo celeste, que é a “alta torre de vigia” sobre a terra. “Galiléia” é derivado do mar bastante circular ou em forma de coração com esse nome; portanto, seu significado é o de um círculo ou anel, e é um tipo de “círculo” ou área tortuosa de toda a terra. A afirmação de que Jesus passou por no meio da Samaria e da Galiléia, juntamente com o fato de que foi sua ÚLTIMA jornada, prepara o cenário para uma imagem profética dos ÚLTIMOS dias de nossa era. Veremos mais claramente o significado disso em breve,

Ao passar pela fronteira entre Samaria e Galiléia, Jesus encontra dez leprosos. Todos foram purificados por Ele. Dez é o número dos gentios e a lepra é um tipo de pecado. Assim, vemos o quadro simbólico do grande número de gentios que foram e estão sendo purificados pela provisão feita por Jesus através do Seu sacrifício pelos nossos pecados. O fato de todos terem sido purificados mostra, por tipo, que todos representam pessoas salvas, purificadas pelo sangue de Cristo.   Mas Lucas 17:15 diz: “E UM deles, vendo que estava curado, voltou, e com grande voz glorificou a Deus, e prostrou-se com o rosto a seus pés, dando-lhe graças; e ele era um Samaritano”. E Jesus disse: Não foram dez os purificados? Mas onde estão os nove? Não foram encontrados que voltaram para dar glória a Deus, exceto este estrangeiro, do pecado através do sangue de Cristo, e deixando nossas vidas VOLTAR TOTALMENTE para Ele para GLORIFICA-LO em tudo, “prostrando-se” a Seus pés para adorá-Lo com todo o nosso ser. Apenas um em cada dez estava disposto a fazer isso.   O resto dos “purificados” seguiram seu próprio caminho sem permitir que suas vidas O glorificassem plenamente.

Notamos em Luc. 17:11 que este drama milagroso ocorreu enquanto Jesus estava “passando entre (ou ao longo das fronteiras de) Samaria e Galiléia.” (versão NAS). Vimos isso Samaria representa o mundo celestial e Galiléia toda a terra para a qual Jesus retornará. Portanto, o cumprimento deste drama profético de milagres ocorreria no tempo do fim, quando a Igreja estaria na fronteira entre o fim desta era e a vinda de Cristo – a sobreposição de dispensações. O quadro profético mostra que quando Jesus passa pelo mundo celeste (Samaria) cuidando dos detalhes finais da preparação para Seu retorno a esta terra, dando instruções às hostes angélicas, etc., e Sua obra está quase concluída em toda a terra (Galiléia), ENTÃO é hora do cumprimento final deste tipo profético da volta do leproso para glorificar Jesus; pouco antes do retorno do Senhor a esta terra. Assim, antes de Cristo retornar a esta terra, um remanescente escolhido deve VOLTAR, de todo o coração, a Ele para GLORIFÁ-LO, em um ministério de amor e devoção no tempo do fim. Não sei se este remanescente final será literalmente dez por cento de todos os cristãos, mas o princípio do “décimo santo” está aí, e Deus está determinado em Seu propósito de que, o que verdadeiramente pertence a Ele de uma maneira especial, se tornará um instrumento em Sua mão.

Vejamos este princípio de uma perspectiva diferente, de uma passagem no Mal. 3:8-11. O profeta repreende o povo porque eles roubaram a Deus, o Seu santo décimo; eles não haviam dado seus dízimos e ofertas. Em sua aplicação primária, podemos aplicar isso corretamente ao fracasso em dar sua substância material ao Senhor. Mas vamos olhar para isso de uma maneira diferente, à luz daquilo que venho apresentando – um povo como um décimo sagrado.   Em Mal. 3:10 o profeta declara a promessa de Deus de que, se Ele receber o dízimo (décimo) que lhe pertence, Ele certamente “abrirá as janelas do céu e derramará sobre vocês uma bênção, que não haverá espaço suficiente para recebê-la.”  Deus não prometeu derramar do Seu Espírito (e uma grande bênção) sobre a Sua igreja nestes últimos dias? Não estamos esperando pela “chuva serôdia”, quando Deus abrirá as “janelas” do céu e enviará refrigério ao Seu povo como nunca antes? Olhando para as escrituras de Malaquias desta perspectiva, podemos ver como o derramamento prometido está ESPERANDO no DÉCIMO para retornar a Deus: um décimo do Seu povo para se entregar totalmente a Ele como Sua própria “porção especial” neste tempo final. ENTÃO Ele abrirá as janelas do céu e derramará sobre nós a “chuva serôdia”,

Há uma passagem em Ezequiel que ilustra esse mesmo princípio. Deus falou através de Ezequiel ao povo de Israel a respeito de Seu propósito de tirá-los de sua condição dispersa, e de volta à Terra Prometida. Mas Ele lidaria com eles até que um “remanescente” estivesse disposto a responder; o resto sendo deixado em sua condição rebelde. Lemos em Ezequiel. 20:33-38: “Tão certo como eu vivo, diz o Senhor Deus, certamente com mão forte e braço estendido dominarei sobre vocês. os países onde vocês estão espalhados. E eu os levarei ao deserto dos povos, e lá eu pleitearei com vocês face a face.  Assim como eu supliquei a seus pais no deserto da terra de Egito, então eu implorarei a você, diz o Senhor Deus. E far-vos-ei passar debaixo da vara, e vos trarei ao vínculo da aliança; e purificarei do meio de vós os rebeldes; tirá-los-ei da terra onde peregrinam, e não entrai na terra de Israel; e sabereis que eu sou o Senhor”.

Observe a expressão na passagem acima: “Eu farei com que você passe debaixo da vara”. Esta é uma alusão à prática de numerar os animais à medida que eles passavam sob a vara ou cajado do pastor, para que cada DÉCIMO animal pudesse ser separado para o Senhor, para Sua porção (o dízimo). As instruções de Deus a respeito disso são dadas em Lev. 27:32-33: “E quanto ao dízimo do gado bovino ou do rebanho, mesmo de tudo o que passar debaixo da vara, o dízimo será consagrado ao Senhor. Ele não investigará se é bom ou mau, nem ele o mudará; e se ele mudar alguma coisa, então tanto ele como a sua mudança será santo; não será resgatado”. Assim, podemos ver que este padrão foi usado por Ezequiel para indicar o trato de Deus com Seu povo para trazer um remanescente voluntário de volta à Terra Prometida (a plenitude de sua herança), e o mesmo padrão se aplica ao trato de Deus com seu povo HOJE, que um remanescente preparado poderia ser levado à plenitude de sua HERANÇA ESPIRITUAL e como Sua porção especial (o santo décimo). “Passar sob a vara” significa que Deus está marcando ou selecionando, aqueles que estão dispostos a se entregar totalmente a Ele neste dia.

Mas precisamos ver mais adiante o que o VARA simboliza. Sem perder tempo para desenvolver totalmente este pensamento, deixe-me simplesmente afirmar que acredito que a “vara” representa a PALAVRA de Deus. Podemos ver isso em Isaías. 11:4 onde o Messias é retratado ferindo a terra (a natureza carnal) com a vara de Sua BOCA. Moisés fez sinais poderosos com a vara ou cajado de pastor (ver Êxodo 4:1-5, 7:17-20, etc.). Isto nos fala da Palavra de Deus, que é a autoridade para realizar Suas obras.   “Passar sob a vara” significa que Deus tem o propósito de nos submeter, à REGRA e à AUTORIDADE de Sua Palavra. O “remanescente” que Deus vai ungir com poder, deve ouvir cada vez mais a admoestação: “habite em vós ricamente a PALAVRA de Cristo (tabernáculo) em toda a sabedoria” (Colossenses 3:16). Devemos estar dispostos a ouvir e declarar “todo o conselho de Deus” (Atos 20:27).    “Passar sob a vara” também fala das disciplinas e correções de Deus (até mesmo castigos, se necessário), para que Ele possa verdadeiramente “governar sobre nós” como o REI, que não apenas detém o cetro real (vara) do governo sobre a terra, mas é também, preparando um povo para compartilhar aquele cetro governante com Ele (Ap 1:5, 5:10). Por fim, “passar debaixo da vara” fala de Seu cuidado e proteção providencial para aqueles que confiam plenamente Nele, pois sabemos que a experiência prometida do Salmista também é nossa: “sim, ainda que eu ande pelo vale da sombra da morte, não temerei mal algum; porque tu estás comigo; a tua vara e o teu cajado me consolam” (Sl. 23:4). Esta é a “herança” dos escolhidos do Senhor.

 

 

AVISO/PROFECIA

 

 

A seguinte profecia veio na segunda-feira, 22 de outubro de 1973.   Se você comparar a data com o que estava acontecendo no Oriente Médio, descobrirá que a nação de Israel estava a caminho de outra vitória sobre as forças combinadas dos árabes. As tropas judaicas abriram caminho profundamente no território sírio, no Norte, e romperam as forças egípcias no Sul, e estavam a caminho de Cairo. Mas a seguinte palavra profética que surgiu naquele mesmo momento, avisou antecipadamente, que Israel seria forçado a um cessar-fogo de compromisso, e depois pressionado a comprometer-se ainda mais e a entregar os frutos da batalha, e isto sem qualquer acordo de paz permanente e garantia de fronteiras seguras contra invasões e reivindicações árabes. Os desenvolvimentos recentes indicam que Israel não será capaz de resistir, por muito mais tempo, antes de se submeter a novas exigências árabes (apoiadas pelas superpotências) para desistir de mais territórios tomados na última guerra, ou na guerra de 1967.

O significado disto é visto na declaração da palavra profética, de que a natureza Israel é um tipo de espiritual Israel. Deus deu à Igreja a vitória sobre seus inimigos, através da obra vicária de Jesus Cristo, em Sua morte e ressurreição. E nestes últimos dias a Igreja experimentará cada vez mais os frutos dessa vitória, através do crescente derramamento do Espírito Santo. Mas será colocada grande pressão sobre a Igreja, para que se comprometa com as forças satânicas que trabalham através dos sistemas políticos, religiosos e económicos organizados, e através do aumento das perseguições de várias fontes. Porque o natural Israel IRÁ se comprometer, ela se encontrará em grandes dificuldades e será duramente tentada até a destruição quase completa. Mesmo assim o mesmo perigo enfrentará a Igreja. Mas leia a profecia e então “vigie e ore” para que você permaneça firme até o fim.

 

[profecia]

 

“Vereis, diz o vosso Deus, o que está acontecendo no Médio Oriente.  Pois lá, o povo antigo que o seu Deus escolheu, está em uma batalha por suas vidas.   Pois o Senhor diz, que vocês viram nos últimos dias, que as pessoas vão de vitória em vitória, uma batalha após a outra. Sim, e isso não é um tipo e um padrão para o meu povo?  Pois certamente o natural, é um tipo do espiritual. E aquilo que transparece em natural Israel, é um tipo e um padrão para aquilo que proponho na vida espiritual Israel.  E mesmo como você viu no natural, Israel derrotar seus inimigos, assim este será o padrão para minha Igreja neste último dia. Pois certamente farei com que meu povo vá de vitória em vitória. Eu farei com que eles superem todos os seus inimigos. Farei com que eles entrem em triunfo naquilo que propus para eles neste último dia. E ninguém será capaz de ficar diante deles, enquanto triunfam em todas as situações em que o Senhor seu Deus os colocar.

“Sim, meu povo, vocês estão vendo o padrão transparecer naturalmente Israel. E você certamente verá isso acontecer na Igreja espiritual do Deus vivo. Mas você notará, diz seu Deus; haverá grandes pressões sobre a natureza Israel comprometer. Haverá uma grande pressão exercida sobre Israel, até mesmo dos seus supostos amigos, para se comprometerem, recuarem e doarem os frutos da vitória. Assim, esta mesma tentação virá à Igreja do Deus vivo. Sim, grande pressão recairá sobre o povo de Deus, nestes últimos dias, para comprometer e doar os frutos da sua vitória e para recuar diante do inimigoMas o Senhor diz: se você confiar em Mim e permanecer firme naquilo que Eu proponho, e no poder do seu Deus, certamente você não fará concessões.  E você não será derrotado diante de seus inimigos. Mas, se você não ouvir a voz do seu Deus, e se você não se entregar, totalmente, à Sua palavra para permanecer na Sua verdade, e na Sua justiça, certamente você será tentado a fazer concessões, e mesmo aqueles que parecem ser seus amigos, no mundo religioso, irá pressionar você a fazer concessões, dizendo: “você está indo longe demais nas coisas de Deus; certamente você precisa ser mais moderado em seus caminhos; certamente você precisa descer à terra em um reino mais temperado”. E grandes pressões serão colocadas sobre você por aqueles ao seu redor, para voltar atrás, e não prosseguir nas coisas que o Senhor seu Deus propôs para você.  

 

“Mas o Senhor diz: não volte atrás. Seja fortalecido em seu Deus.  

Certamente você entrará em muitas coisas que serão terríveis; sim, elas serão terríveis para você se você não colocar sua confiança totalmente em seu Deus Pois certamente o fogo consumidor do seu Deus estará no meio do Seu povo, e toda a carne se curvará diante do Deus Vivo. Pois certamente o seu Deus busca purificá-lo e refiná-lo, para que você possa subir àquele alto e lugar santo e nobre que Ele propôs para você.   Portanto, esteja […] disposto, diz seu Deus, e certamente você conhecerá o triunfo e a vitória em seu Deus que você nunca sonhou ser possível.   Mas cuidado […] com o compromisso neste dia, pois certamente o Israel natural  comprometer-se-ão, até certo ponto, e encontrar-se-ão devolvendo parte da terra que lhes foi dada pelos frutos da vitóriaE através deste compromisso, o desfavor do seu Deus cairá sobre eles, e eles serão abatidos até à morte. Sim, e eles buscarão e invocarão o nome de seu Deus para sobreviver, pois certamente seus inimigos virão sobre eles com grande força. E se não fosse o propósito do seu Deus, eles não poderiam sobreviver.

 

“E assim será para a Igreja neste dia. Grande, grande perseguição virá sobre a Igreja do Deus Vivo. Sim, e muitos recuarão; muitos transigirão. Muitos cairão até mesmo para a derrota, até para morte, porque eles não resistiram na força de seu Deus. E muitos, sim, chegarão ao ponto de invocar seu Deus para sua própria sobrevivência. Mas sim, meu povo, não será assim para você, se você colocar sua confiança no Deus vivo, e permanecer firme na vitória que Ele conquistou para você.

Certamente você se verá indo de um triunfo a outro; de uma alegria a outra; de uma vitória a outra. E você verá toda a glória de seu Deus desça sobre você com poder”.

  

 

DISCERNINDO A VERDADE

 

Deus está se movendo pelo Seu Espírito, para trazer LUZ e REVELAÇÃO da Sua Palavra como nunca antes. Certamente estamos vivendo no tempo mencionado pelo profeta Daniel: “Mas tu, ó Daniel, fecha estas palavras e sela o livro, até ao tempo do fim: muitos correrão de um lado para o outro, e o conhecimento será aumentado.” (Daniel 12:4). O “tempo do fim” desta era está sobre nós. Portanto, estamos testemunhando a “revelação” de mistérios desconhecidos pelas gerações passadas, e o “conhecimento está aumentando” tanto nos domínios natural e físico do homem como no domínio das coisas espirituais de Deus.

Isso não significa que devemos ser ingênuos e aceitar tudo o que ouvimos e lemos, mas sim, pesar isso com uma mente perspicaz, buscando “provar todas as coisas” e “reter o que é bom” (I Tessalonicenses 1:21). Acima de tudo, devemos prestar atenção à admoestação encontrada em Isaías. 8:20. “À lei e ao testemunho: se não falarem segundo esta palavra, é porque não há luz neles.” A PALAVRA DE DEUS é sempre o nosso padrão. No entanto, devemos estar continuamente dispostos a reestudar e reexaminar o que ACHAMOS que a Bíblia ensina, percebendo que MUITOS dos nossos conceitos passados ​​foram o resultado da nossa capacidade LIMITADA de compreender, bem como da grosseria dos nossos corações, em não sermos capaz de “olhar além” do VÉU para ver toda a GLÓRIA do Senhor. Assim como os Judeus tinham um “véu” (de incredulidade) em seus corações (I Cor. 3:13-15) não sendo capazes de “OLHAR” para o fim daquilo que está abolido (a Antiga Aliança), então tivemos um “véu” em nossos corações, não sendo capazes de “OLHAR” totalmente para o fim (consumação) daquilo que agora está se cumprindo (a Nova Aliança).

Quando Moisés desceu do monte depois de passar 40 dias com Deus, ele teve que colocar um VÉU sobre seu rosto, porque o povo não conseguia ver a brilhante “glória” de seu rosto (Êxodo 34:29-35). Assim tem sido através de muitas gerações. Cristo tem falado aos homens através da Sua Palavra, mas MUITO FOI VELADO, por causa da nossa incapacidade de compreender e receber. Mas AGORA o “véu” está sendo levantado. Mais e mais luz gloriosa está surgindo do Senhor à medida que Ele se revela (revela) “a nós mesmos nestes últimos dias.

Deus deve tratar conosco como SOMOS. Muito depende do nosso coração – VONTADE de receber e OBEDECER a verdade. Jesus disse: “Se alguém quiser fazer a sua vontade, conhecerá a respeito da doutrina, se ela é de Deus ou se falo de mim mesmo (João 7:17). Devemos estar dispostos a reestudar e repensar tudo o que já acreditamos. E se nossos corações são MUITO BRUTOS, para admitirmos que cometemos erros, e erramos em muitas coisas, E MUDAR NOSSO PENSAMENTO, E AGIR DE ACORDO, então o Senhor terá que nos deixar onde estamos, e continuar o VÉU muito de Sua verdade para nós.

Outro fator é a PREPARAÇÃO do coração. O SOLO do nosso coração deve ser “arado” e preparado para RECEBER a “boa semente” da Sua Palavra (Marcos 4:20-28). O Senhor muitas vezes tem que nos CONDICIONAR, pela experiência, antes de estarmos PRONTOS para receber mais luz e compreensão. A palavra do Senhor para nós é: “Lavrai o terreno baldio… e circuncidai-vos para o Senhor.” (Jeremias 4:3-4). Enquanto Jesus falava aos dois discípulos no caminho para Emaús, ele percebeu a falta de prontidão deles, para receber e falou assim: Ó TOLOS e LENTOS DE CORAÇÃO, para acreditar em TUDO o que os profetas falaram”. (Lucas 24:25). E assim aconteceu, tem sido desde então: SOMOS TOLOS, e FOMOS TÃO LENTOS PARA ACREDITAR EM TUDO. Eu ouço um suspiro? Muito duro, você diz! Você está disposto a ser honesto consigo mesmo? Você está disposto a deixar o Senhor lidar com o seu coração até que você esteja CONDICIONADO a “contemplar com a face descoberta a glória do Senhor?”

Jesus disse: “Bem-aventurados os puros de coração, porque verão a Deus”. (Mateus 5:8). Nossa “visão” de Deus (compreensão de Sua realidade e verdade), está em proporção direta com a “circuncisão” de nossos corações.  A CRUZ dos nossos corações tem que ser “cortada” para que não se cumpra em nós, como foi nos judeus dos dias de Jesus; “pois o coração deste povo está endurecido, e seus ouvidos estão embotados para ouvir, e seus olhos estão fechados.” (Mateus 13:15). Deus disse a Moisés que queria VER o Senhor: “Não poderás ver a minha face, porque ninguém me verá e viverá.” (Êxodo 33:20). O que é verdade nesta afirmação FISICAMENTE, também é verdade ESPIRITUALMENTE.  Nós, (a vida pessoal carnal), NÃO PODEMOS VIVER se quisermos “ver” Deus. Quanto mais “vemos” Deus, mais nossa VIDA PRÓPRIA tem que MORRER.

Não há ocasião para nos vangloriarmos, quando percebemos que Deus teve que nos esconder no penhasco da rocha (JESUS), e teve que nos cobrir com sua MÃO DE MISERICÓRDIA, enquanto Ele passou e nós “vimos” apenas um UMA PEQUENA PORÇÃO do Seu Ser, (Êxodo 33:21-23). Mas quanto mais estivermos dispostos a MORRER (para nós mesmos), mais Sua Glória (luz – verdade) nos será revelada. Cada vez mais “veremos” a “luz do conhecimento da glória de Deus na face de Jesus Cristo” (II Coríntios 4:6) …

O que é apresentado aqui, é com a compreensão de que ainda “sabemos em parte”, e “vemos através de um espelho obscuramente” (1Co 13:1-12). Todos nós ainda andamos em algum erro, mas devemos DESEJAR acima de tudo SABER A VERDADE, pois “A verdade vos libertará”. (João 8:32). Uma verdade que todos devemos estar dispostos a confessar é aquela encontrada em 1 Cor. 8: 2: “Se alguém pensa que sabe alguma coisa, ainda não sabe nada como deveria saber.”  Em relação a muitas coisas que podem ser novas para nós, temos que seguir o exemplo de Maria que “guardou tudo estas coisas, e ponderou-as em seu coração.” (Lucas 2:19).

Acredito que mais um pensamento deveria ser acrescentado. E quanto aos nossos MOTIVOS do coração? Jesus disse: “Quem fala por si mesmo, procura a sua própria honra; mas quem procura a honra do seu remetente é sincero e nele não há engano”. (João 7:18, Ber­keley). Se estamos buscando nossa própria honra de uma forma ou de outra, então podemos ter certeza de que o que falamos tende a vir “de (fora) de nós mesmos”. Mas se não tivermos ambição ou desejo senão buscar a honra e a glória Daquele que nos “enviou”, então de um coração “sincero” surgirá aquilo que não contém “engano” (falsidade).

Mas QUEM pode dizer, honestamente, que conhece perfeitamente o seu próprio coração, e que os seus motivos são completamente isentos de qualquer “mácula” de si mesmo? Só podemos ORAR para que Deus nos mantenha livres das influências sedutoras dos nossos próprios corações enganosos, e do desejo corruptor de “agradar” aos outros. Nenhum de nós está imune às “astúcias” do maligno, em sua tentativa de inflar nosso ego, e nos infundir com o “espírito” daqueles que estão em nós. Babel:  Vamos construir uma cidade e uma torre… vamos fazer um nome (para nós mesmos) ” (Gênesis 11:4). Se quisermos continuar ouvindo de Deus e falar apenas o que Ele deseja que falemos, então, EM NÓS, devem ser cumpridas as palavras de Isaías. 66:2:

“Olharei com favor para aquele homem que é humilde, sente-se esmagado em espírito e treme da Minha palavra.” (Berkeley)

.

 

VIOLAÇÃO DA ÓRBITA DO HOMEM

  

[profecia]

[De extrema importância esta Profecia e muito esclarecedora]

 

“Não é este o dia em que a iniquidade chegará ao seu auge, diz o Senhor? Não é este o dia em que a vaidade e o orgulho do homem, atingirão a sua medida máxima? Pois eu vos digo, que a maldade do homem é grande na terra, e um flagelo transbordante a destruirá, diz o Senhor. Pois não visitei a terra no passado, com visitações de julgamento, porque a iniquidade do homem atingiu a medida permitida, em minha sabedoria e providência? E eu tive que dar um fim, para que a iniquidade do homem, não chegasse ao ponto de pôr em perigo, o próprio equilíbrio que coloquei no universo. Pois eu lhes digo que, existe um equilíbrio delicado nas esferas física e moral da existência, equilíbrio esse que depende de numerosos fatores, que devem ser mantidos em constante vigilância. Pois você acha que eu não estou constantemente de plantão, cuidando para que cada esfera do universo físico, esteja adequadamente equilibrada, e adequadamente ajustada, a todas as outras esferas, de modo que uma não possa pôr a outra em perigo, e para que todas trabalhem juntas, e de maneira precisa, para realizar aquilo que eu predetermineiEu digo, devo manter uma vigilância constante sobre o universo, para ver que nenhuma esfera comece a desviar-se, de alguma forma, da órbita correta em que a coloqueiPois, se a sua órbita se estendesse muito além daquilo que decretei, ela não só colocaria em perigo a si mesma, mas também muitas outras esferas, e o caos resultante seria incalculável. Assim, mantenho uma vigilância constante, para que as órbitas adequadas sejam mantidas.

Uma certa quantidade de variabilidade é permitida, dentro de cada família de esferas [sistemas estelares e/ou Galáxias] e, de tempos em tempos, ajustes devem ser feitos. Mesmo que o planeta Terra tenha sido autorizado a desviar, ligeiramente, a sua órbita, devido a fatores que estão envolvidos no seu destinoPortanto, devo ajustar, ligeiramente, a órbita da Terra, num futuro próximo, por causa das grandes mudanças que estão por vir. Pois eu vos digo que, a atual órbita da terra, é resultado da manifestação do pecado nela. Há muitos anos, antes da manifestação do pecado, a Terra estava numa órbita, ligeiramente diferente da que está agoraPois o pecado trouxe um fator de caos à terra, que teve seu efeito na própria terra. Eu digo, toda a criação está em dores de parto por causa do pecado do homem, e a própria esfera, na qual o pecado se manifestou, foi afetada por esse pecado. A órbita da Terra atualmente representa, em tipo, a órbita em violação do homem que eu permiti; mas assim como não posso permitir, que a órbita da Terra se desvie muito do seu curso original, também não posso permitir, que a órbita violada do homem, se estenda além daquilo que foi decretado e determinado, como o limite de segurança, à luz daquilo que eu propus. Pois se eu permitisse que a órbita violada do homem, se estendesse demasiado, seria muito difícil mitigar os resultados, e o caos resultante seria irrecuperável durante muitos milénios vindouros.

Então, meu povo, perceba que a iniquidade do homem, quase atingiu o grau permitido a que pode chegar, sem intervenção da minha parte. Portanto, saiba com certeza, que o julgamento já está a caminho. E a iniquidade do homem, que chegou ao máximo, em breve será eliminada, e aquela órbita violada que eu permiti, não terá permissão de prosseguirPois uma ira feroz e uma indignação, logo cairão sobre a terra, e todas as nações beberão da ira da minha indignaçãoOs pecadores serão exterminados, e a iniquidade será eliminada no dia da minha ira, diz o Senhor

Deverá o orgulho do homem continuar a vangloriar-se? Deverá a grande maldade do homem passar despercebida, até que se corrompa além daquilo que calculei, para a segurança de outras esferas, e para o propósito que determinei? Eu digo que não! Assim, mesmo agora, todas as coisas estão sendo preparadasMesmo agora, as hostes celestiais estão se preparando para o dia da retribuição, e do julgamento que está por vir, diz o Senhor. Pois mais uma vez, visitarei a terra. Mais uma vez, descerei para confundir a imaginação dos orgulhosos, e acabar com as vãs ilusões, daqueles que estão cegos pelo engano do pecado. O tempo é curto e a terra está pesada com a sua iniquidade. Pois certamente ela cambaleará de um lado para o outro naquele dia, quando sua iniquidade for julgada e sua maldade atingir o máximo no dia da ira e do julgamento, diz o Senhor.” (fim da profecia).

 

QUEM DEVE RESPONDER?

 

Por toda a Bíblia encontramos a verdade de um “remanescente” que está disposto a se entregar totalmente ao Senhor, e a não seguir os caminhos do homem. É o “remanescente” que Deus tem usado, repetidas vezes, para cumprir Seu propósito para determinado tempo e época. Deus disse a Elias: “Deixei-me sete mil em Israel, todos os joelhos que não se dobraram a Baal.” (I Reis 19:18). O reavivamento de Ezequias veio através do “remanescente” que escapou, depois que os assírios invadiram ambos, Israel e Judá, até o pescoço de Jerusalém. (II Crônicas 30:6; Isa. 8:6-8). Apenas um “resto” retornou de Babilônia para reconstruir a “casa de Deus”. (Esdras. 2:64). Houve o “remanescente” nos dias de Jesus que permaneceu fiel, depois que muitos outros se afastaram. (João 6:66-69). Outras ilustrações poderiam ser fornecidas.

Um dos “restos” mais interessantes que encontramos na Bíblia é o dos 300 homens de Gideão. Foram aqueles que “permaneceram” (remanescentes) dos 32.000 que foram CHAMADOS.  Mesmo assim é verdade que “Muitos são chamados, mas poucos são escolhidos”. (Mateus 22:14). Gideão disse: “Quem estiver com medo, volte”. Assim, hoje, muitos que começaram a ter um vislumbre de uma Igreja gloriosa do fim dos tempos, que irá superar todos os poderes do inimigo, e libertar o povo de Deus, estão voltando para a segurança dos seus caminhos, tradições e Igrejas. Não houve condenação para aqueles que voltaram atrás; eles simplesmente não estavam qualificados, para o que Deus queria fazer através do grupo de Gideão. Depois houve um TESTE na água, onde aqueles que bebiam apenas para se satisfazer, sem estarem ALERTAS para serem usados, eram orientados a voltar para suas casas. Pois Deus disse: “Traga-os até a água e eu os provarei lá” (Juízes 7:4). Então Deus agora está nos TESTANDO para ver se estamos buscando as coisas do Espírito (água) apenas para satisfazer nossos desejos próprios e necessidades, ou se estamos VIGIANDO para Seus propósitos, ALERTAS ao inimigo, e ANSIOSOS para sermos usados ​​para Sua glória neste tempo final. De acordo com o padrão, estamos vendo uma separação, e peneiração nesta hora, que um CORPO (uma companhia de Gideão), pode surgir para cumprir toda a vontade de Deus, e ser usado como um poderoso instrumento em Suas mãos.

 

……………………………………………………………………………………………………………………..

 

PREPARE O CAMINHO DO SENHOR

Vol. 2 (meados de 1965, ed. 1982)

Versão completa

 

 

UM MENSAGEIRO PODEROSO E UM PEQUENO LIVRO

 

 

Em Apocalipse 8:1-2 lemos o seguinte: “E, havendo aberto o sétimo selo, fez-se silêncio no céu por cerca de meia hora. E vi os sete anjos que estavam diante de Deus; aos quais foram dadas sete trombetas.”  Sete é o número da Igreja; portanto, quando o sétimo selo é quebrado, assuntos relativos à Igreja são contatados. Isto também é demonstrado pelo fato de que, quando o sétimo selo foi quebrado, houve silêncio no céu por cerca de meia hora. Todo o Céu permanece em silêncio arrebatado, diante daquilo que está prestes a ser revelado, a respeito dos eventos que levarão ao cenário final, para que o “mistério de Deus” (relativo à Sua Igreja) seja consumado.

 

Depois de seis anjos terem tocado a trombeta (registrado nos capítulos 8 e 9), todas as coisas estão prontas, para que o estratagema mestre se revele – para que o “mistério de Deus” seja consumado. Tão grande é este capítulo final na longa história da Igreja, que um “anjo poderoso” especial é enviado do céu, para revelar o conteúdo de um “livrinho” especial, (conforme registrado em Apocalipse 10:1-2). QUEM é este poderoso “anjo” e O QUE há neste “livrinho”?

 

A palavra grega para “anjo” significa simplesmente “mensageiro”, e pode se referir a qualquer pessoa na terra ou no céu com uma missão ou mensagem especial. Quando lemos a descrição de João deste poderoso “anjo” (mensageiro) em Apocalipse 10:1-3, percebemos que ninguém menos que o PRÓPRIO SENHOR JESUS [?] ​​poderia ser descrito assim.  É ELE, o Deus da Aliança (Arco-Íris), o poderoso “mensageiro da aliança” (Malaquias 3:1) descendo para revelar a João a mensagem do fim dos tempos para a Igreja. [Pr. Waltenir. Não creio que seja o Senhor Jesus em pessoa, mas sim, “o Anjo da Sua Presença, que é designado apenas por ‘o Seu Anjo’, pois em Apocalipse 1:1 diz que, toda a revelação do Livro de Apocalipse, foi enviada a João, “…pelo seu anjo” e não por Jesus pessoalmente].

 

 

[profecia]

“Ouça as minhas palavras, povo meu; ouça o que eu lhe dou a conhecer nesta hora. Pois não venho até você, agora mesmo, como um poderoso mensageiro, para REVELAR-LHE o que esteve escondido, por séculos e gerações? Pois mesmo agora, gostaria de revelar àqueles que têm ouvidos para ouvir, o que preparei para o meu corpo nestes tempos do fim. Você acha que vou deixá-los sem direção e conhecimento dos meus propósitos para vocês neste tempo do fim? Que sou incapaz de escolher mensageiros especiais, por meio dos quais, revelar minha mensagem e meu propósito para você, na consumação de todas as coisas? Ouça minhas palavras… novamente eu digo, ouça o que eu lhe falo nesta hora. Pois eu agora tenho um livrinho em minhas mãos, e estou divulgando o conteúdo deste livro aos meus servos especialmente escolhidos.

 

“E o que diz isto? Meu povo, estou vindo a vocês, em uma mensagem e propósito do tempo do fim, que será a consumação de tudo o que preparei para vocês, mesmo por muitas gerações e eras.  E farei com que você alcance a plenitude daquilo que preparei, sim, a plenitude daquilo que consumei na cruz, quando derramei o sangue da minha vida por você, para confirmar a ALIANÇA eterna com você sim, uma aliança de perfeição para o meu povo; uma aliança que incorpora toda a plenitude da minha glória e poder, para aqueles que estão especialmente preparados para receber. Pois eu lhes digo, que alguns, sim, um remanescente, estarão preparados para receber esta revelação do tempo do fim, e propósito que agora estou divulgando.

Pois é poderoso demais para ser recebido, exceto por um grupo preparado, mesmo um “pequeno rebanho”, que receberá a plenitude da aliança. Pois vocês andarão, nestes últimos dias, na plenitude da aliança, aquilo que preparei para você. Pois agora mesmo, estou lhe dando uma revelação, daquilo que foi selado (ratificado), e disponibilizado, e pronto, quando o sangue da minha vida fluiu sobre calvário. Pois não está escrito que eu pronunciei as palavras: ‘Está consumado.’ (João 19:30). 

O que foi concluído? plenitude da minha aliança foi cumprida; assim, totalmente preparado, para a libertação total de todo o poder do inimigo, e para a plena entrada, em tudo o que estou pronto e capaz de transmitir, incluindo a abolição da morteSim, todo o poder para vencer todas as obras do inimigo, e toda a glória preparada desde a fundação da terra, para aqueles que estão prontos para receber e entrar.

 

“Mas agora também está escrito que eles ‘limitaram o Santo de Israel’? (Salmo 78:41). Não sou eu o “Santo de Israel?” Não fui eu quem falou através do profeta Isaías dizendo: “Considere o que eu fiz e entenda” (Isaías.41:20), e ‘não está preparado para você ‘ (Isaías. 64:4), diz o Senhor? Mas os homens me limitaram. Eles endureceram seus corações para ACREDITAR EM TUDO; e assim falharam em se apropriar, totalmente, de tudo o que eu preparei e selei (ratifiquei,) na cruz do calvário. Sim, eu lhe digo, que todas as coisas estavam prontas então. Mas onde eu poderia encontrar um povo que estivesse pronto – que estivesse preparado para acreditar plenamente?  Sim, nenhum foi encontrado, exceto Josué e Calebe. (Quem tem ouvidos, ouça! Pois mesmo aqui percebo que seus ouvidos estão pesados, ​​e não posso revelar-lhe, completamente, neste momento, o que isso significa; mas você entenderá, antes que muitos dias se passem). Mas agora vou revelar tudo o que você está pronto para receber. Pois o livrinho contém muito para este dia e hora. Mas devo revelá-lo um pouco de cada vez, pois mesmo agora, muitos de vocês são como bebês, recém-desmamados, e não estão prontos para comer carne. Outros entenderão mais do que faloEntão deixe-me prepará-los, e circuncidar completamente seus corações, para receberem esta mensagem do fim dos tempos. Pois a quem muito é dado, muito será exigido (Lucas 12:48). Pois você saberia o conteúdo deste livrinhoEntão preparem seus corações para receberPois pouco a pouco, isso lhe será revelado, à medida que você estiver pronto para receber.

 

“Pois mesmo agora estou preparando um povo que possuirá totalmente a terra preparada – que cruzará as águas do Jordão – que rirá das forças do poderoso descendente; mesmo aquele cuja vinda é com poderosos sinais e maravilhas, e cuja operação é como as águas impetuosas do Jordão. Considere este meu povo! Pois não está escrito, que o dragão virá como uma poderosa inundação de morte e destruição? E esse mesmo dragão não virá contra o meu povo, com uma inundação de mentiras e enganos neste dia? (Apocalipse 12:15). Mas você não será vencido, pois farei com que as águas sejam represadas, enquanto você atravessa pela minha mão poderosa, para possuir a terra preparada para você. Pois verdadeiramente esta é uma boa terra. E meu povo vagou no deserto da desolação espiritual, por tempo suficiente. Eu digo a você que os ‘quarenta testes’ foram consumados e, pela segunda vez, meu povo está vindo para a Terra Prometida. Mesmo agora, estou preparando você para [que] atravesse em poder espiritual. Ouça e considere o que eu digo a você. Pois o livrinho que tenho em mãos contém todos os segredos e mistérios, que eu gostaria que você conhecesse nestes dias.”

 

(fim da profecia)

 

 

[Comentário sobre Apocalipse 10:1-4]

 

Voltando à nossa visão em Apocalipse, cap. 10, vemos no versículo 2 que o poderoso mensageiro com o livrinho “pôs o pé direito sobre o mar, e o pé esquerdo sobre a terra”. Não está escrito que ele sujeitará todas as coisas debaixo dos Seus pés (1Co 15:25-28)?  E não somos nós, os membros do Seu Corpo, os pés – os últimos desta era (no tempo) a entrar nesse CorpoDa mesma forma, o Senhor Jesus, a Cabeça do Corpo, esmagará Satanás sob os pés do Seu Corpo, e nós somos esses pés. (Romanos 16:20).

 

Em Daniel, capítulo segundo, temos o registro da imagem que Nabucodonosor viu em sonho. Na interpretação desse sonho por Daniel, os pés da imagem representavam o último estágio na história do sistema, que começou com a cabeça (Babilônia). Mesmo assim, segundo o mesmo PADRÃO, a Igreja começou pela CABEÇA (Jesus), e será consumada NO TEMPO pelos PÉSNós, neste tempo final, somos os pés do Corpo, que vamos ferir a Serpente. Em Apocalipse, cap. 13, vemos uma “besta” surgindo do “mar” (Ap 13:1), e depois uma segunda “besta” surgindo da “terra” (Ap 13:11). O “poderoso mensageiro” de Apocalipse 10:2 coloca Seu pé direito no ” mar ” e Seu pé esquerdo na ” terra”. E assim os “pés” de Seu Corpo nestes tempos do fim triunfarão sobre a besta e seu falso sistema.

 

Em Apocalipse 10:1, João diz que viu os pés do “anjo” como “colunas de fogo”. A palavra grega para “coluna” aqui, é a mesma palavra usada em Apocalipse 3:12, onde o “vencedor” será feito uma “coluna no templo do meu Deus”. A mesma palavra também é usada em Gálatas. 2:9 e 1 Tim. 3:15 em conexão com a Igreja. O Senhor nos tornará “fortes” neste dia como “pilares” em Seu tempo final “templo” (Corpo), testado e refinado no fogo.

 

Em Apocalipse 10:3 o “anjo poderoso” clama com grande voz, como quando um leão ruge. Somente o “leão da tribo de Judá” (Apocalipse 5:5), poderia rugir assim. Não é como um cordeiro manso e sacrificial, que é mudo (Isaías 53:7) diante dos tosquiadores, como em Sua primeira vinda, mas como um leão que ruge (REI das bestas) da tribo de Judá (a tribo REAL). “E quando ele clamou, sete trovões emitiram suas vozes.” (Apocalipse 10:3). Os “sete trovões” representam a Igreja RESPONDENDO AO SEU CHAMADO, mesmo aqueles que nesta hora, têm ouvidos para ouvir o Leão da tribo de Judá agora LIGANDO. O apóstolo João (que recebeu e registrou esta visão), EM TIPO, representa a Igreja do fim dos tempos. E João não foi chamado de “filho do trovão” (Marcos 3:17). Da mesma forma, os “filhos do trovão” do fim dos tempos OUVIRÃO a voz do poderoso mensageiro, enquanto Ele “ruge”, e RESPONDERÃO à mensagem do “livrinho”.

 

Em Apocalipse 10:4 lemos que, quando os “sete trovões” emitiram suas vozes, João estava prestes a escrever, e a voz do céu disse: “Sela as coisas que os sete trovões falaram e não as escrevas”. POR QUE João não teve permissão de escrever o que ouviu?  Porque a VOZ (mensagem e ministério) dos Sete Trovões FOI RESERVADA, ATÉ ESTE TEMPO DO FIMAGORA está sendo revelado. O que foi dito a João para “selar” AGORA ESTÁ SENDO CONHECIDO. Isto é paralelo a uma palavra dada a Daniel, o profeta, a quem foi ordenado que “selasse” a sua visão até o “tempo do fim”. (Daniel. 12:4).

 

 

[profecia]

 

Ó meu povo, não esperei ansiosamente por esta hora, para poder revelar-lhe o que estava escondido? Não é esta a hora que toda a história esperou? Não é esta a hora que foi falada pelos profetas, embora eles próprios não entendessem isso? Oh meu povo, você já considerou a honra e a glória, que lhe foram concedidas por viver nesta hora, e participar deste ministério do tempo do fim? Oh, que você possa ser despertado de sua letargia, para contemplar a glória que tem preparado para esta hora. Por que você dirá em seu coração que ainda não é a hora? Por que você esperará e não entrará de todo o seu coração e alma? Eu lhe digo: AGORA É A HORA DE ME PROCURAR COM SEU, DE TODO O CORAÇÃO, para que eu possa falar com você no interior do seu coração, e lhe revelar meu conselho para esta hora. Não dê ouvidos àqueles que procuram desencorajá-lo e cegá-lo para o que eu falo.

“Onde estão aqueles que têm a coragem de PASSAR, nas águas da dificuldade e do teste, e CAMINHAR EM MIM, COM FÉ, sabendo que sou capaz de sustenta-lo nesta hora, para que você possa caminhar, triunfantemente, acima das águas da tribulação e perturbação, que testará todos os homens neste dia. CAMINHE, eu digo, fixando seu olhar firmemente em mim, não olhando nem para a direita, nem para a esquerda; não olhando nem para aqueles ao seu redor, nem para as águas turbulentas que tentariam engolfar você. Pois eu lhe digo, que você nunca chegará ao chamado, e ao despertar do tempo do fim, até que esteja disposto, pela FÉ, a sair do barco de sua atual facilidade e segurança, e ENTRAR NA CORRENTE DO MEU PROPÓSITO DIVINO, não deixando as ondas de dúvidas e medos os vencerem; nem deixar que aqueles que preferem ficar no barco, os detenham. Mas VENHA MEU POVO, pois terei aqueles que se atrevem a caminhar sobre as águas, daquilo que nunca foi feito antes, e me encontrem como eu venho a vocês, em poder e glória neste dia.  Eles não viram que era um CORPO andando sobre as águas, e não um espírito como eles supunham? (Mateus 14:26). E Pedro, em seu CORPO, não andou sobre as águas? (Mateus 14:29).  Assim, meu povo, NÃO é apenas o espírito, mas UM CORPO DE CARNE que será trazido a mim neste dia, para fazer proezas, acima das águas da confusão e angústia humana. Você não é o CORPO de Cristo; você não é minha carne e meus ossos? (Efésios 5:30). 

Então você será um comigo neste dia; assim estaremos unidos NAS ÁGUAS, para sairmos neste dia, diz o SenhorE assim será você nos próximos dias, diz o Senhor, UM CORPO DE VENCEDORES aqueles que superaram todas as contaminações emocionais, dos recessos aquáticos do inimigo, e que estão caminhando, triunfantemente, na superação do poder.”

 

(fim da profecia)

 

 

[Comentário sobre Apocalipse 10:5-10]

 

 

Voltando à nossa visão em Apocalipse, cap. 10, lemos nos versículos 5 e 6 que João vê o poderoso mensageiro levantar a mão ao céu e “jurou por aquele que vive para todo o sempre… que não haveria mais demora”. A Berkeley versão traduz: “ Não haverá mais atrasos. “Ou seja, não haveria mais tempo de demora ou espera para que o CONTEÚDO do livrinho fosse revelado, para que o “mistério de Deus” se cumprisse e para que a Igreja dos “sete trovões” do tempo do fim, chegasse a entrar em seu ministério. Isto é ainda indicado pelo sétimo versículo que diz: “Mas nos dias da voz do sétimo anjo, quando ele começar a soar, o mistério de Deus se cumprirá, como ele declarou aos seus servos, os profetas.”

O “mistério de Deus” não é outro senão o “mistério” revelado a Paulo a respeito da Igreja (Efésios 3:3-11), muito do qual esteve velado até o tempo do fim.  A saber:

 

³ como pela revelação me foi manifestado o mistério, conforme acima em poucas palavras vos escrevi,

⁴ pelo que, quando ledes, podeis perceber a minha compreensão do mistério de Cristo,

⁵ o qual em outras gerações não foi manifestado aos filhos dos homens, como se revelou agora no Espírito aos seus santos apóstolos e profetas,

⁶ a saber, que os gentios são co-erdeiros e membros do mesmo corpo e coparticipantes da promessa em Cristo Jesus por meio do evangelho;

⁷ do qual fui feito ministro, segundo o dom da graça de Deus, que me foi dada conforme a operação do seu poder.

⁸ A mim, o mínimo de todos os santos, me foi dada esta graça de anunciar aos gentios as riquezas inescrutáveis de Cristo,

⁹ e demonstrar a todos qual seja a dispensação do mistério que desde os séculos esteve oculto em Deus, que tudo criou,

¹⁰ para que agora seja manifestada, por meio da igreja, aos principados e potestades nas regiões celestes,

¹¹ segundo o eterno propósito que fez em Cristo Jesus nosso Senhor, Efésios 3:3-11

 

Este “véu” é representado por Rebeca (A NOIVA de Isaque – um TIPO da Igreja) que foi velada, até ser levada por Isaque para dentro da tenda (Gn 24:63-65). Mesmo assim, nosso Isaque (Cristo), LEVANTARÁ o véu (do mistério) de Sua Noiva, quando Ele vier ao seu encontro. E então não haverá mais “mistérios”, à medida que o Senhor revela Seus propósitos durante os DIAS (plural), do som da sétima trombeta, indicando que a sétima trombeta “sopra” durante um período de tempo, DEPOIS que o mistério começou a acontecer, desdobrar. Isto é ainda indicado pelas palavras “quando ele começar a soar”.  Se o sétimo anjo começar a soar, então ele deverá continuar a soar por um período de tempo. toque final desta sétima trombeta, verá o cumprimento de I Cor. 15:51-52 e I Tes. 4:14-17, quando os mortos, em Cristo, serão ressuscitados e os vivos em Cristo serão transformados. consumação deste som será aquela registrada em Apocalipse 11:15. “E os reinos deste mundo se tornaram os reinos de nosso Senhor e do seu Cristo, e ele reinará para todo o sempre.” [No Milênio, com a Noiva].

 

Em Apocalipse 10:9-10, João é instruído a pegar o livrinho da mão do anjo e “comê-lo”. O anjo então disse: “Isso fará amargo o teu ventre, mas na tua boca será doce como mel”. João obedece e “come” o livro. Ele então diz: “Era doce como mel na minha boca; e assim que o comi, meu ventre ficou amargo”. Aqueles que estão dispostos a aceitar o chamado para esta revelação, e ministério do fim dos tempos, devem estar dispostos a aceitar o “amargo” com o “doce”. Aquilo que Deus está revelando é TÃO DOCE ao paladar, pois “provamos e vemos que o Senhor é bom”. (Salmo 34:8).  Mas o Senhor deve nos PROVAR, e os testes necessários para o aperfeiçoamento do remanescente de Deus no tempo do fim, parecem às vezes tão amargos Mas Deus deve ter certeza, de que não haverá falhas durante os tempos críticos que estão por vir. Pois as palavras para João, DEPOIS de ele ter “comido” o livrinho foram: “Você deve profetizar novamente diante de muitos povos e nações, e línguas, e reis”. AQUI está a evidência de que a PALAVRA de Deus sairá durante este tempo do fim, durante os “dias da voz do sétimo anjo”, mais uma vez, com grande poder, para todas as nações como no início. Pois JOÃO nesta visão, representa o “remanescente” do fim dos tempos, que “profetizará” diante de muitos povos e nações… e línguas, e reis.

 

[Doença pessoal de Leland Earls: um tipo profético]

 

Em conexão com a experiência simbólica de João de “comer” o “livrinho”, deixe-me compartilhar com vocês o que aconteceu em minha própria experiência DEPOIS de eu ter recebido do Senhor e “comido” a mensagem e o ministério do fim dos tempos que o Senhor me revelou a partir deste “livrinho”. Compartilho isso apenas porque acredito que o Senhor DESENHOU em minha vida um PADRÃO para retratar a condição da Igreja nestes dias, assim como os antigos profetas promulgaram, por meio de dramas de vida, PADRÕES (semelhanças) para retratar a condição do povo e o propósito de Deus. lidar com eles. Em Oséias 12:10 lemos estas palavras: “Eu também falei pelos profetas, e multipliquei visões, e usei semelhanças (padrões) pelo ministério dos profetas”.

 

Pouco depois de o Senhor ter começado a revelar-me esta mensagem do fim dos tempos, e de me ter dado a conhecer que tinha sido chamado para um ministério, de repente fiquei muito doente. Durante mais de um ano estive deprimido a maior parte do tempo, e estive muito perto de perder a vida. Se o Senhor não tivesse intervindo eu não estaria vivo hoje. A raiz de todos os meus problemas estava no meu estômago. Antes disso eu nunca tinha tido nenhum problema de estômago. Mas depois de ter “comido” (recebido e assimilado em minha vida) o que Deus me revelou, que era tão “doce” (maravilhoso), passei pela experiência mais “amarga” (tentativa) da minha vida. NÃO ESTOU dizendo que todos que recebem esta mensagem do fim dos tempos, devam passar por tal experiência, embora todos sejam provados de uma forma ou de outra. Mas Deus escolheu ATIVAR UM PADRÃO em minha vida para que ela pudesse FALAR aos outros.

 

O fato de que minha doença era causada por um problema de estômago, só foi conhecido depois de vários meses de piora progressiva, até o ponto da morte. Estive em quatro hospitais e tive vários médicos que não conseguiram diagnosticar corretamente o meu problema. Finalmente descobriu-se que o meu sistema não estava produzindo os ácidos clorídricos necessários para que o meu estômago pudesse funcionar adequadamente, e sem esses ácidos no estômago era impossível para o meu corpo assimilar as vitaminas, minerais e proteínas dos alimentos.

 

Naquilo que Deus permitiu que acontecesse com meu corpo físico, encontramos muitos paralelos no mundo da Igreja hoje. Gostaria de comparar os SINTOMAS que meu corpo físico experimentou com as CONDIÇÕES que encontramos hoje no “corpo” da cristandade. Em primeiro lugar, meu corpo estava morrendo de fome, apesar de eu consumir cada vez mais comidaEu não estava recebendo nenhum alimento da minha comida. A comida estava fermentando no meu estômago. Tornei-me o que chamo de “viciado em comida”. Eu queria comer o tempo todo e consumia enormes quantidades de comida, mas isso não me fazia bem. E aqui está a verdade sobre a maioria das pessoas da Igreja hoje: ELES ESTÃO MORRENDO DE FOME (espiritualmente), e a comida que lhes é dada lhes faz muito pouco bem. Há FOME NA TERRA para aquilo que realmente irá nutrir e edificar. (Amós: 8:11). As pessoas da Igreja estão consumindo muito, mas não é a verdadeira PALAVRA VIVA DE Deus. De modo geral, o mundo eclesial ESTÁ DOENTE, PERTO DA MORTE!  Eles estão “gastando dinheiro naquilo que não é pão e trabalhando naquilo que não o satisfaz”. (Isaías 55:2.)

 

 

[Profecia]

 

 

“Meu povo, ouça minhas palavras! Os ácidos no estômago não são uma espécie de meu trabalho em seu meio? Você pode se alimentar daquilo que não é pão e daquilo que não satisfaz? Eu digo a você, o funcionamento de Meu Espírito é necessário para que você receba o que dá vida, pois não sou capaz de tirar o que é vital da minha Palavra, e fazer com que seja assimilado em seu ser, para que você receba o alimento de que necessita? Mas por que você se alimentará daquilo que não é minha Palavra? Por que você buscará aquilo que, você sabe que não satisfará o seu ser mais íntimo? Eu lhe digo, se você não me buscar totalmente e deixar meu Espírito vitalizar aquilo que você leva em consideração, seu sistema, vocês se encontrarão em uma condição espiritualmente semelhante àquela descrita aqui. A atuação do meu Espírito é necessária. Caso contrário, vocês estarão tomando apenas aquilo que está morto, e que não fará nada para trazer vitalidade espiritual ao seu ser mais íntimo. … Portanto, preste atenção ao que você está lendo, pois é fiel ao padrão do que está acontecendo com meu povo hoje. Pois é impossível, na atual condição do mundo eclesial, trabalhar com meu Espírito de tal maneira que a minha Palavra dê vida, saúde e libertação a todos os que estão necessitados. Portanto, novamente eu digo. . . procure-me e deixe-me dar-lhe o que é necessário para que você viva uma vida espiritual vital e plena, diz o Senhor.” (fim da profecia).

 

[Comentário sobre a doença continua]

 

Em segundo lugar, nesta condição terrível eu estava ficando mais gordo, mas também, progressivamente, mais fraco. Sim, na verdade eu estava ganhando peso enquanto morria de fome. Cheguei ao ponto de ter “anemia perniciosa”. Mesmo assim, há uma certa “gordura” evidente no mundo eclesial hoje, mas ao mesmo tempo há anemia e fraqueza espirituaisEu não estava apenas fraco por falta de alimentação, mas durante os meses de sofrimento, sofri um completo colapso nervoso.  Eu estava tão completamente desprovido de energia nervosa que às vezes não conseguia pronunciar uma palavra; até mesmo tentar sussurrar era mais do que eu conseguia. Para me comunicar com aqueles que cuidavam de mim, eu teria que rabiscar algumas palavras em um pedaço de papel.

 

Não vemos hoje um mundo eclesial quase completamente desprovido de energia (poder) espiritual real? Temos uma imagem em Apocalipse 3:17 da “gordura” da igreja de hoje: “Porque dizes: Rico sou, e estou enriquecido, e de nada tenho falta”; mas a fraqueza espiritual e a pobreza são descritas por Jesus nestas palavras: “e não sabeis que és um desgraçado, e miserável, e pobre, e cego, e nu”. “Gordo” (em coisas materiais e em autos-suficiência), mas “fraco” espiritualmente é certamente um quadro geral da Igreja de hoje.

 

Outro fenômeno estranho que ocorreu durante minha doença, foi o fato de que tudo que eu colocava no estômago se transformava em “gás”. Depois de comer ou beber, a pressão dos gases aumentava e eu “inchava” até quase morrer. A água era meu pior inimigo. Mesmo um pequeno gole de água transformaria meu estômago em um inferno violento. Por causa da pressão do gás tive que parar completamente de beber água. Por mais de dois meses não bebi água alguma. O líquido que obtive veio através da ingestão de sucos de vegetais. A escritura não ensina que a ÁGUA é um tipo do ESPÍRITO (João 7:37-39)? Mesmo que meu corpo não pudesse receber água, o mundo da Igreja, como um todo, não pode “aceitar” as coisas do Espírito. Tente colocar um pouco de água do Espírito nos “corpos” (organizações) da Igreja e as pressões do “gás” aumentam até onde a situação geralmente se torna intolerável.

 

Depois de estar em quatro hospitais e ter os melhores médicos disponíveis, e depois de passar por todos os tipos de exames, eu só estava piorando. O que digo aqui não pretende ser um “ataque” contra a profissão médica, ou de qualquer forma insinuar que os médicos que me trataram não fizeram o seu melhor. Também não significa que eu não aprecie as suas tentativas de me ajudar. Contudo, permanece o fato de que não chegaram à raiz do problema. Sinto que na providência de Deus seus “olhos foram cegados” para que AQUILO que Ele se propôs retratar, pudesse ser plenamente realizado. Na verdade, mais tarde descobri que o que eles estavam prescrevendo, estava na verdade me deixando pior, e era exatamente o oposto do que eu precisava.

 

Depois de receber alta do hospital pela quarta vez e piorar progressivamente, o Senhor finalmente me levou a um homem que encontrou o problema. Depois de estar nos melhores hospitais disponíveis, com os equipamentos mais modernos e os melhores médicos, o homem que descobriu meu problema e me iniciou no caminho da recuperação, foi um médico pouco conhecido, morador de uma pequena casa, numa rua lateral, em uma pequena cidadeEle fez um teste no meu estômago e me disse que eu não tinha ácido. Ele me deu ácido clorídrico em forma de comprimido para tomar quando eu comia. A essa altura eu estava em condições tão terríveis que, se o Senhor não tivesse intervindo diretamente, eu nunca teria sobrevivido, embora o diagnóstico estivesse correto. Mas neste ponto o PADRÃO foi estabelecido, e Deus começou a restaurar a vida e a saúde.

 

O que isso nos diz? O paciente “Cristandade” está doente. E ONDE está a resposta? Não está nos sistemas eclesiásticos modernos, com as suas estruturas elaboradas e imponentes, os seus equipamentos modernos, os seus programas altamente organizados, e os seus ministros bem treinados, e outros tipos de ajuda profissional. Como um todo, os nossos modernos “médicos” da divindade não têm a resposta. Muito do que eles prescrevem só está piorando o paciente. Com isto não quero dizer que seja errado ter um edifício bonito e equipamento moderno, ou que a educação e a formação formais sejam erradas em si mesmas. Tais coisas podem ser usadas para a glória de Deus. Só estou dizendo que, de modo geral, O PADRÃO É VERDADEIRO. Aqueles a quem Deus está revelando a solução para o dilema espiritual de hoje são geralmente pequenos grupos que se reúnem em lugares “fora do caminho”, em estruturas pouco imponentes ou em casas.

 

Um último paralelo. Durante a doença prolongada, minhas glândulas foram gravemente afetadas, especialmente as supra-renais. Meu corpo não funcionava adequadamente porque essas glândulas não funcionavam adequadamente. As glândulas supra-renais fazem parte do sistema “endócrino”, do qual existem cinco glândulas principais. Estas glândulas regulam todas as funções do corpo e o seu bom funcionamento é absolutamente essencial para a saúde e o vigor do corpo. O Senhor está nos mostrando nestes dias que é impossível que o “Corpo de Cristo” funcione adequadamente, a menos que os cinco ministérios de apóstolos, profetas, evangelistas, pastores e mestres sejam restaurados ao seu devido lugar no Corpo. Esses ministérios, funcionando como Deus ordenou, são necessários “para o aperfeiçoamento dos santos, para a obra do ministério, para a edificação do corpo de Cristo: até que todos cheguemos à unidade da fé e do conhecimento do Filho de Deus, a homem perfeito, à medida da estatura completa de Cristo”. (Efésios 4:12-13).

 

Sinto-me levado, neste momento, a acrescentar uma palavra de cautela, para que alguns não cheguem a conclusões injustificadas por causa do que escrevi sobre minha experiência. O Senhor poderia ter me curado milagrosamente sem qualquer ajuda médica, se Ele quisesse. Ele poderia ter usado os médicos com seus equipamentos e técnicas modernas. Não tenho nenhuma disputa com nenhuma dessas coisas. Acho maravilhoso que o Senhor tenha revelado tantas coisas neste dia, no âmbito da ciência médica. O que escrevi não significa que devamos ser a favor ou contra qualquer coisa apenas por causa de uma experiência. Eu não usaria o que aconteceu nesta experiência específica, como base para determinar o que faria em alguma experiência futura de doença.

 

Numa ocasião específica, Jeremias teve que fazer e usar um “jugo” (Jr 27:2) no pescoço para retratar uma verdade ao povo de seus dias, a respeito do vindouro “jugo” babilônico ao qual eles deveriam se submeter. Mas isso não significa que ele teve de usá-lo durante toda a vida, que todos os outros tiveram de andar por aí usando-o, ou que o uso de um jugo não estava correto no seu devido lugar. Ezequiel teve que ser amarrado e ficar deitado de lado por muitos dias, e teve que comer sua comida pesada em certas porções (Ezequiel. Cap. 4), novamente para retratar uma verdade para sua época e para seu povo. Mas isso não significa que outros passariam por tal experiência. Mesmo assim Deus escolheu retratar através de mim, por meios físicos, aquilo que falaria da condição espiritual atual entre o seu povo. Vamos aceitar isso e nada mais.

 

Existem outros fatores em minha experiência que também retratam lições importantes, mas o Senhor não me deu liberdade para compartilhá-los no momento. No momento oportuno compartilharei as experiências dos estágios finais da minha doença, e a maneira incomum como fui criado para sempre. Amado, o Senhor fez com que alguns de nós passassem por muita coisa para que você pudesse ser ENSINADO e LIBERADO, daquilo que o prendeu ao glorioso propósito e ministério, que o Senhor tem para Sua igreja nestes últimos dias. Você tem ouvidos para ouvir?

[Nota do editor: para uma descrição mais ampla da provação física pela qual o irmão Earls passou, consulte seu artigo biográfico chamado Um Novo e Vivo Caminho” [Postado no meu site: www.waltenirporto.com]

 

 

INSTALAR BATALHA VARIEDADE

 

 

[Profecia]

 

“Reúne os meus santos, diz o Senhor, aqueles que fizeram aliança comigo por sacrifício. (Salmos 50:5). Eu vos digo, que a reunião está se aproximando; e tirarei do meio do meu povo um grupo de pessoas consagradas que fizeram um pacto comigo, de abandonar tudo e seguir-me.  Sim, eles me seguiram, como declarado em Apocalipse 14:4, pois onde quer que eu os levei, eles foram. E eles foram, deram ouvidos à minha Palavra, e seguiram o meu caminho, e não se contaminaram, diz o Senhor. Portanto, diz Deus, eu os redimirei da terra para um ministério do outro lado do véu, assim como redimirei uma companhia do lado terreno do véu, que serão liberados para um ministério, e para uma batalha por mim, neste último dia, diz o Senhor. Pois eles não serão limitados por aquilo que conheceram antes; nem serão limitados pelas fraquezas e incapacidades, que eles já conheceram antes, pois serão fortes no Senhor, para avançar com grande poder neste dia. Sim, eles serão redimidos, libertados, para um ministério de poder no fim dos tempos, diz o Senhor. E aqueles que estou reunindo para mim, como um homem (corpo), sairão para fazer proezas em meu nome.

 

“Aqueles que eu reunir a mim mesmo, para serem tirados da terra, como primícias para o seu Deus (Apocalipse 14:4), também serão liberados para o ministério e para a batalha. Tirei-os apenas para que possam ter um tempo de tranquilidade e espera? Eu não digo! Pois eles são redimidos dentre os homens para que possam ser totalmente libertados de todas as limitações da carne, em uma batalha que está acontecendo no outro lado. Porque este é o estandarte que levantarei ao meu povo, quando o inimigo vier como uma inundação, (Isaías 59:19). Será um estandarte dos glorificados, que serão usados ​​na batalha do outro lado, lado do Jordão, mesmo nos reinos do Espírito, para amarrar e lançar por terra as forças satânicas, que habitam nos reinos superiores. Eu digo, eles serão derrubados (Apocalipse 12:10) e serão amarrados (…) E quem fará a amarração? Eu digo a vocês, meus glorificados amarrarão o poder do inimigo. Assim, eles serão usados ​​poderosamente na batalha do grande dia do Deus Todo-Poderoso, enquanto o inimigo procura enviar um dilúvio para consumir o meu povo na terra (Ap. 12:15). Mas não está escrito que a terra ajudou a mulher no deserto? (Apocalipse 12:16). E quem estará no controle dos elementos da terra naquele momento, para que todas as forças da natureza sejam usadas para ajudar aqueles que estão sob o ataque do inimigo

Sim, eu digo a você, aqueles santos glorificados, mesmo aquela Companhia das Primícias, estarão no comando. Eles terão entrado nos primeiros estágios daquilo que eventualmente será um domínio absoluto sobre todos os elementos da terra.

 

Então, meu povo, ouça! Como devo erguer um estandarte e protegê-lo contra o dilúvio dos inimigos? Tirarei do seu meio 144.000 dos mais escolhidos do meu povo, mesmo aqueles que foram fiéis e foram aperfeiçoados por mim (…) E eles serão liberados para o poder e ministério que os espera. Pois eles foram fiéis e andaram com seu Deus; e assim como Enoque, eles serão levados, diz o Senhor. Eles serão arrebatados ao meu trono. (Apocalipse 12:5), e ali serão investidos de poder, para fazer apenas aquilo que um povo testado e provado pode fazer, mesmo aqueles que venceram na carne todas as astutas ciladas do inimigo. [Na] carne, eles serão usados ​​para vencê-lo em seu próprio reino, e expulsá-lo até suas fronteiras, onde ele será encurralado. Então, como um leão que ruge, ele sairá para consumir e destruir na terra. Mas esses [que] eu tenho levantado para mim, e foi glorificado por mim, será então usado para conter a onda de angústia e destruição, que ele traria contra meu povo ainda na terraPois uma poderosa corrente será usada, para prender o poder do inimigo, e essa corrente, na qual eu gradualmente o prenderei, e com a qual o prenderei, não é outra senão, a força e o poder que meus glorificados terãoE então a batalha se intensificará em sua fúria, quando os demônios enlouquecidos do mundo inferior, virem seu domínio sendo arrancado deles, e as correntes da escravidão sendo enroladas sobre elesE naquele dia tomarão posição com grande furor, diz o Senhor.

 

“Então você vê, diz o Senhor, naquele dia da batalha do Senhor Deus Todo-Poderoso, terei duas companhias: uma de um lado, e outra do outro lado do Jordão. Uma no Oeste, correspondendo aos meus glorificados, sim, as primícias, que lutarão contra o inimigo, até a submissão em seu próprio reino; e um no lado Leste do Jordão, que corresponde à minha companhia ungida de vencedores que ainda estarão na terraEles também receberão grande poder sobre o inimigo, para expulsá-lo dos reinos onde ele operou até então, e eles serão grandemente ajudados por aquele Estandarte que eu ergui, até mesmo meus santos glorificados, para mim mesmo.

 

“E não estarei naquele dia, como um sábio estrategista militar, que coloca o inimigo em um torno, até mesmo em um movimento de pinça gigante, para que eu possa esmagá-lo entre os dois – um operando a partir do terreno e o outro operando a partir do celestial? Assim, o inimigo será vencido e derrotado na batalha daquele dia, diz o Senhor.

 

“E não retratei isso no meu antigo templo, sim, no templo de Salomão, diz o Senhor? Pois na frente do templo coloquei duas colunas poderosas – sim, colunas de bronze, refinadas no fogo. Assim, como essas colunas representam aqueles que serão colunas no meu templo do fim dos tempos, (Apocalipse 3:12), um de um lado (do Jordão) e um do outro [lado], (simbolicamente falando), pois o primeiro foi Jaquim (1 Reis 7:21), e estabelecerei no poder aqueles que eu levantar para mim, e eles serão usados ​​para estabelecer o Reino no poder. E então levantarei Boaz (1 Reis 7:21), mesmo aqueles que foram deixados na terra, e eles também ministrarão com poder naquele reino que lhes será confiado. Da mesma forma meu propósito será cumprido, que AQUILO que ordenei por padrão, seja cumprido neste dia, diz o Senhor. Agora você entende por que devo remover alguns do meio de vocês, pois é necessário que a formação de batalha, esteja em ordem e preparada; e então consumarei todas as coisas, como determinei desde o princípio, diz o Senhor. 

“Você está pronto, diz Deus? Você está pronto para ser usado na batalha do grande dia do Deus Todo-Poderoso? Eu digo, você será usado se me deixar equipá-lo agora com minha armadura, e me deixar treiná-lo em meus métodos de guerra e se, como um bom soldado, você me obedecer implicitamente; pois isso é o que exijo daqueles que serão usados ​​por mim, para derrotar o inimigo nestes últimos dias, diz o Senhor.” 

 

(fim da profecia).

[Pr. Waltenir. Muito importante esse detalhamento!]

 

 

[Comentário]

 

A profecia anterior começou com a declaração do Salmo 50:5, de que o Senhor está reunindo Seus santos, mesmo aqueles que fizeram com Ele uma aliança por meio de sacrifício. Esta reunião é dupla. Primeiro, é uma reunião no Corpo de Cristo do tempo do fim, que irá a esta terra para fazer proezas em Seu Nome. Em segundo lugar, é a recolha, ou retirada, da companhia das primícias, pouco antes do tempo da Grande Tribulação.  Para cada um, é uma espécie de “redenção”. Para as “primícias”, é uma “perda” do reino terreno para o celestial, para um ministério e uma batalha “do outro lado”. Para aquele Corpo ser unido na terra, é uma “libertação” de certas limitações, fraquezas e incapacidades, para um ministério de poder. Em ambos os casos, pode-se dizer que devemos “olhar para cima e erguer a cabeça, porque a nossa redenção está próxima”. (Lucas 21:28).

 

Jesus fala em João 6:40, 44, 54, daqueles que serão “ressuscitados” no “último dia”. Geralmente entendemos que isso significa a ressurreição dos mortos. Certamente o pensamento da ressurreição está incluído, mas não precisamos limitar o significado a isto. Há uma “elevação” do reino terreno para o celestial sem a experiência da morte, nem mesmo uma trasladação ou mudança do corpo físico para o corpo “glorificado”. Tal será a experiência das primícias antes da tribulação, porque o Senhor tem uma obra para eles realizarem no “outro lado”. Trasladá-los para o “celestial” faz parte de Sua estratégia e plano de batalha.  Eles são aquele PADRÃO mencionado em Isaías. 59:19 que será “levantada” no momento crucial, quando o inimigo começar a chegar como uma inundação. E de sua posição vantajosa no [segundo] céu (o próprio reino de Satanás), e com os novos poderes de seus “corpos glorificados”, eles serão capazes de “desferir um golpe mortal” nas forças de Satanás. Ao mesmo tempo, o Senhor capacitará Seu Corpo do fim dos tempos, ainda na terra, para avançar e “prosseguir a batalha” deste lado do véu. E grandes vitórias serão conquistadas para o Senhor, porque teremos a ajuda e a proteção dos “glorificados” do outro lado.

 

Estes dois grupos do fim dos tempos, são simbolizados pelos dois grandes pilares que ficavam em frente ao templo de Salomão. Lemos sobre eles no capítulo 7 de I Reis. Eles tinham pés como do latão reluzente. Isto nos lembra a visão de João registrada em Apocalipse, cap. 1, onde ele vê “alguém semelhante ao Filho do homem “cujos pés eram semelhantes a latão fino, como se estivessem queimados numa fornalha”. Também, os pés do “poderoso mensageiro” de Apocalipse 10:1, foram vistos por João como “colunas de fogo”. E aqueles que “vencerem” serão feitos “coluna no templo do meu Deus” (Apocalipse 3:12). “natureza do homem”. Assim, vemos a imagem da purificação, do refinamento e da transmutação das características básicas de nossa “natureza carnal” para que possam ser moldadas à imagem de Jesus Cristo.

 

Lendo o capítulo 7 de I Reis, notamos que estes dois pilares eram ornamentados de certa forma. Esta ornamentação retrata aquele adorno e embelezamento, com os quais o Corpo de Cristo, do fim dos tempos será agraciado – a beleza da santidade, piedade, humildade, glória, vitória, ousadia, poder vitorioso, etc. Não tendo mancha, ou ruga, ou qualquer coisa semelhante; mas que seja santo e sem mancha.” (Efésios 5:27). Vemos também que em cada “pilar” estava pendurada uma aparência de “romãs” – 200 em cada pilar. Mesmo assim, isto retrata a fecundidade que será produzida por aqueles que são “pilares” na Igreja do fim dos tempos. Os 200 em cada pilar, mostram que a separação (2 = divisão, discernimento e triagem), fez o seu trabalho completo, chegando à colocação do ESPÍRITO. Você está disposto a permitir que o Senhor faça de você uma “coluna” em Seu templo do fim dos tempos?

 

 

SEUS CAMINHOS ATÉ MOISÉS

 

 

No Salmo 103:7 lemos estas palavras: “Ele revelou os seus caminhos a Moisés, os seus atos aos filhos de Israel”. Observe a diferença! Seus “atos” foram divulgados a toda a nação; mas Seus “caminhos” apenas a Moisés. Seus “atos” foram Seus feitos poderosos – sinais e maravilhas realizados por Seu grande poder. Todo o povo de Israel, viu os milagres que Deus realizou para sua libertação e preservação. Eles viram o Mar Vermelho recuar, para que pudessem atravessá-lo; eles viram os egípcios destruídos por um poderoso ato de Deus; eles viram a nuvem milagrosa que os guiava durante o dia, e a coluna de fogo à noite; eles viram o maná celestial fornecido para seu sustento, e contemplaram a água jorrando da rocha pela poderosa mão de Deus. Esses e outros “atos” eles constantemente observavam enquanto Deus realizava milagres poderosos em seu meio. Mas SÓ MOISÉS subiu ao “monte de Deus”, para lhe ter dado a conhecer os “caminhos” de Deus – os “caminhos” pelos quais Deus queria que o povo ANDASSE, em obediência à Sua Palavra, para que pudessem estar preparados para aquilo que Deus queria fazer, ATRAVÉS deles, de acordo com Seu propósito pre-ordenado. O povo contemplou seus “atos”, para que suas necessidades pudessem ser atendidas, e que sua fé pudesse ser vivificada, à medida que eles percebessem que seu poderoso Deus e Salvador estavam no meio deles. Mas Seus “caminhos” eles tiveram que aprender.

E Deus tinha que ter um homem a quem Ele pudesse revelar Seus Caminhos, e esse homem era Moisés. Moisés, a partir de então, revelou os caminhos de Deus ao povo. Mas a tragédia da situação era simplesmente esta: o povo clamava constantemente por uma demonstração dos poderosos “atos” de Deus, mas não queria aprender os Seus “caminhos”.

 

Quanto os cristãos são assim hoje!  Multidões estão dispostas a buscar os “atos” de Deus, mas apenas alguns (um grupo de Moisés) estão dispostos a aprender plenamente Seus “caminhos”. Isso não significa que Seus “atos” não sejam importantes, mas devemos nos preocupar principalmente com Seus “caminhos”.

No Salmo 77:11-13 lemos: “Lembrar-me-ei das obras do Senhor; certamente me lembrarei das tuas maravilhas da antiguidade; no teu santuário: quem é um Deus tão grande como o nosso Deus?”  Devemos lembrar e falar de todos os seus feitos (atos), mas o Seu CAMINHO está no santuário.  A palavra hebraica traduzida como “santuário” significa “separação” ou “lugar separado”.  No Antigo Testamento, o “santuário” era o tabernáculo ou templo construído por ordem de Deus, como um lugar separado, onde os sacerdotes ministravam ao Senhor em nome do povo, e onde a “presença” do Senhor se manifestava, para que Ele pudesse falar com Seus servos, especialmente escolhidos, Moisés e Arão.

No Novo Testamento o “santuário” é um povo separado, o próprio Corpo de Cristo e o templo do Espírito Santo (1 Coríntios 3:16, 6:19; Efésios 2:20-22); um sacerdócio real que ministra a Deus (I Pedro 2:5,9), e a quem Deus fala e revela os Seus caminhos.

“O teu caminho, ó Deus, está no santuário”. Isto significa duas coisas. Primeiro, o santuário (tabernáculo) construído por Moisés no deserto, é na verdade, uma imagem ou padrão divinamente ordenado, (em símbolos de materiais, estrutura, medidas e objetos), dos CAMINHOS DE DEUS para o Seu povo. (Este é um assunto muito extenso para ser abordado no momento, e está além do escopo deste artigo.) Em segundo lugar, significa que SEUS CAMINHOS estão sendo divulgados e revelados ATRAVÉS daquele “santuário” ou “povo separado”, chamando a Si mesmo nestes últimos dias – um povo que está disposto a aprender Seus caminhos.

 

 

[Profecia]

 

“Ó meu povo, você está disposto a aprender meus caminhos, diz Deus. Quanto tempo esperei por um povo que se entregasse totalmente a mim, para que eu pudesse ensiná-lo a andar, naquilo que preordenei para esta hora. Pois Eu vos digo, que mesmo antes da fundação do mundo, eu determinei que um povo deveria mostrar a minha glória nestes últimos tempos, mesmo aquele que é a consumação de muitas eras e gerações.

Mas meu povo, quanto você está disposto a entreguem-se a mim para que eu possa ensinar-lhes meus caminhos? Vocês estão apenas interessados ​​em contemplar minhas maravilhas, em buscar sinais e em se alegrar apenas naquilo que posso fazer por vocês? Vocês não estão dispostos a ser um instrumento em minha mão, para que eu possa mostrar minha glória a este mundo? Digo, se vocês estão dispostos a aprender meus caminhos; se vocês estão dispostos a sujeitar-se a mim, e uns aos outros no corpo de Cristo; se vocês estão dispostos a assumir minha Palavra, e estudar o que revelei através de meus servos do passado; se você estiver disposto a esquecer seus caminhos, e buscar minha face; então, e somente então, você se tornará meu santuário – sim, aquele corpo no qual meus caminhos serão divulgados, diz o SenhorPois não está escrito que os meus caminhos não são os seus caminhos e os meus pensamentos não são os seus pensamentos? (Isaías. 55:8). Por que você continuará insistindo em seguir seus caminhos? Não são os meus caminhos, que são elevados como os céus, revelados apenas àquelas cujas mentes estão voltadas para os céus, para fazerem o que foi revelado do céuE essa voz do céu, não é ouvida apenas por aquele Espírito, que veio do céu para mostrar os meus caminhosOuça então a Sua voz, pois Ele lhe mostrará os meus caminhos, e me glorificará no meio de vocês, diz o Senhor.

 Por que você então, buscará apenas sinais e maravilhas e não ME procurará, diz o seu DeusPois eu não disse que EU SOU o seu caminho, a sua verdade e a sua vida? (João 14:6). Não sou eu, aquele que antigamente se revelou a Moisés, meu escolhido, assim como falei com ele no monte? E eu não te chamo ao meu “monte santo” nestes últimos dias, para que eu possa falar com você, como se fosse “face a face”, e para falar com você sobre os meus caminhos?  Ouça a minha voz, pois falarei com você uma vez, sim, duas vezes…, mas se você não estiver disposto a ouvir, continuarei a falar com você, diz o Senhor? Devo “texugo” e “buffet” para que você ouça?  Irei “negociar” com você e “implorar”, diz o Senhor?  Eu digo “não” – não direi!  Mas falo aos que têm ouvidos para ouvir, e coração para receber, e chamarei vocês para mim, assim como chamei Moisés ao meu montee tratarei contigo, para te trazer no meu caminho, para que neste dia sejas testemunha ao meu povo, diz o Senhor.”

 

(fim da profecia).

 

 

[Comentário]

 

Novamente, deixe-me citar o Salmo 77:13 “O teu caminho, ó Deus, está no santuário. Durante os quarenta dias que Moisés passou com o Senhor no monte, o Senhor lhe revelou os detalhes para a construção do santuário (tabernáculo). O Senhor então admoestou Moisés: “E olha que os faças conforme o modelo que te foi mostrado no monte”. (Êxodo 25:40). Em contraste com este tabernáculo temporal, que serviu aos israelitas no deserto, em Hebreus. 8:2, temos referência ao “santuário” e “ao verdadeiro tabernáculo, que o Senhor fundou, e não o homem”. Este verdadeiro (real) santuário ou tabernáculo, é a Igreja que o Senhor Jesus disse que iria construir (Mateus 16:18). O tabernáculo temporário no deserto, era apenas um TIPO, do real e permanente.

 

Agora a questão é simplesmente esta: não é tolice pensar que Deus seria tão meticuloso ao detalhar o PADRÃO, para um tabernáculo temporário no deserto, feito de materiais perecíveis, e ainda assim falhar em dar um PADRÃO para a realidade da qual ele foi criado?  Um tipo, mesmo o verdadeiro tabernáculo, (Igreja), que o Senhor Jesus está construindo? E ainda assim, a maioria dos cristãos não consegue perceber que, existe um PADRÃO e uma ORDEM DIVINA, para a Igreja dada no Novo Testamento. Depois que Moisés fez todas as coisas “de acordo com o modelo”, o tabernáculo foi erguido e tudo foi “colocado” em sua devida ordem. Lemos sobre isso em Êxodo, cap. 40.

Observe as instruções de Deus a Moisés:

“E porás nela a arca do testemunho, e cobrirás a arca com o véu. e colocarás o castiçal, e acenderás as suas lâmpadas; e porás o altar de ouro para o incenso diante da arca do testemunho, e porás a cortina da porta do tabernáculo, e porás o altar do holocausto diante da porta da tenda da tenda da congregação. E porás a pia entre a tenda da congregação e o altar, e ali deitarás água. (Êxodo 40:3-7). Observe que tudo tinha que ser trazido e “colocado” no lugar apropriado, como Deus ordenou. Começando com o versículo 19 deste capítulo, vemos como Moisés executa as instruções de Deus; o resto do capítulo mostra a obediência de Moisés. Em seguida lemos: “Então Moisés terminou a obra. Então uma nuvem cobriu a tenda da congregação e a glória do Senhor encheu o tabernáculo. E Moisés não pôde entrar na tenda da congregação, porque a nuvem pairou sobre ela, e a glória do Senhor encheu o tabernáculo”.  (Êxodo 40:34-35). Disto estou convencido: a glória do Senhor nunca teria enchido aquele tabernáculo, se Moisés não tivesse feito todas as coisas “de acordo com o modelo”, e se ele não tivesse “colocado” cada artigo em seu devido lugar, de acordo com a ordem divina de Deus. o “verdadeiro tabernáculo” (a Igreja) fosse “colocado” em ordem divina” por nosso Moisés (Jesus) para que pudesse ser cheio da glória de Deus.

 

A “glória” de Deus é a “presença e poder de Deus no meio do Seu povo” – manifestada de uma forma ou de outra. No Antigo Testamento, Sua “glória” está principalmente associada à visível “nuvem de glória” que encheu o tabernáculo e que conduziu os israelitas através do deserto. No Novo Testamento a “glória” de Deus é a realidade da Sua presença poder através do Espírito Santo. O resultado desta presença e poder, é a manifestação dos atributos e perfeições divinas em Seu povo, tais como amor, alegria, paz, vitória, libertação, milagres, sabedoria, conhecimento, fé, revelação, expressão divina, etc. do Senhor”, em Seu Corpo, é trazer esse Corpo à Sua própria perfeição e plenitude. Agora irmãos, o Senhor quer encher o Seu Corpo com a Sua Glória, não apenas em parte, mas em plenitude; e isso só acontecerá quando nos submetermos à Sua ordem divina para a Sua Igreja… deixando-O “colocar” cada membro do Corpo como Ele escolher. Isso VAI acontecer, e Deus modelou isso em Sua Palavra da seguinte forma:

 

 

[Saulo verso Davi]

 

 

A CHAVE é encontrada em uma declaração feita em Atos, cap. 13, pelo apóstolo Paulo, ao pregar na sinagoga de Antióquia da Pisídia. Contando a história de seu povo, Paulo diz: “E depois desejaram um rei; e Deus lhes deu Saul, filho de Cis, homem da tribo de Benjamim, pelo espaço de quarenta anos. Ele lhes suscitou Davi para ser seu rei; ao qual deu testemunho, e disse: Achei Davi, filho de Jessé, homem segundo o meu coração, que cumprirá toda a minha vontade”. (Atos 13:21-22).

 

“Saulo” [ou Saul] significa “solicitado”. Deus permitiu que o povo tivesse Saul porque desejava um rei e “pediu” por ele.  Com o tempo, Deus removeu Saul e levantou Davi, porque nele Deus viu um homem segundo o Seu coração, que cumpriria toda a Sua vontade. Deus está agora “levantando” um grupo de Davi, que cumprirá a perfeita vontade e ordem de Deus, para Sua Igreja nestes últimos dias.

Saulo representa, em tipo, a velha ordem de Igrejas controladas pelo homem que são resultado dos desejos do povo; e o que as pessoas “pedem” Deus dá, para que possam aprender pela experiência a loucura de seus próprios desejos e caminhos.

 

Uma das primeiras coisas que Davi quis fazer, depois de ser elevado ao trono, foi trazer a ARCA de volta a Jerusalém. Ele disse: “tragamo-nos a arca do nosso Deus; porque não perguntamos por ela nos dias de Saul”. (I Crônicas 13:3). Imagine só, durante todo o reinado de Saul, a arca, que simbolizava a própria presença de Deus no meio de Seu povo, não estava em seu devido lugar, nem o Senhor foi questionado sobre elaFicou na terra dos filisteus durante sete meses depois que os filisteus a capturaram, e quando os filisteus a devolveram, ela foi colocada na casa de Abinadabe (1 Sam. 6:1, 7:1-2). No tipo, a arca representa Cristo, o cabeça da Igreja que é o Seu corpo (Efésios 1:22-23). Nas igrejas controladas pelo homem representadas por Saulo [Saul], a ARCA (Cristo, a CABEÇA) não está em Seu devido lugar. Mas David deseja trazer a arca de volta. Mesmo assim, há uma “companhia de Davi” que Deus está se levantando, e que está disposta a cumprir toda a Sua vontade, e ver que a arca (Cristo), seja restaurada ao Seu devido lugar como CABEÇA DA IGREJA.

 

 

[Erros de David em ordem]

 

 

Mas aqui precisamos caminhar com cuidado, buscando a face do Senhor e examinando diariamente a Sua Palavra, pois Davi cometeu alguns erros, mesmo querendo fazer o que era certo. Seu primeiro erro foi consultar os líderes e o povo em vez da PALAVRA de Deus“E Davi consultou os capitães de milhares e de centenas, e todos os líderes. E disse Davi a toda a congregação de Israel: Se vos parecer bem, e se for da parte do Senhor nosso Deus… tragamos novamente a arca do nosso Deus para nós … E toda a congregação disse que assim fariam: porque a coisa era certa aos olhos de todo o povo”. (I Crônicas 13:1-4). Não deveríamos fazer algo, porque é certo aos olhos das pessoas, ou porque alguns líderes com quem aconselhamos o dizem. Devemos buscar a Deus e a Sua Palavra, e deixar que Ele nos ensine pelo Seu Espírito.

 

A seguir lemos que “eles carregaram a arca de Deus em uma carroça nova para fora da casa de Abinadabe: e Uzá e Aio conduziram a carroça”. (I Crônicas 13:7). Isto era contrário à Palavra de Deus porque apenas os levitas deveriam carregar a arca com as varas especialmente feitas e enfiadas nas argolas da arca. Sem perceber isso, Davi estava trazendo a arca de volta na carroça. “E Davi e todo o Israel tocavam diante de Deus com todas as suas forças, e com cânticos, e com harpas, e com saltérios, e com tamboris, e com címbalos, e com trombetas.” Que coisa, que reunião gloriosa eles estavam tendo; uma verdadeira campanha “pentecostal”. Tudo correu bem até que chegaram à “eira de Quidom.” Lá os bois tropeçaram, e Uzá estendeu a mão para segurar a arca. “E a ira do Senhor acendeu-se contra Uzá, e ele o feriu, porque ele colocou sua mão na arca; e ali ele morreu diante de Deus”. (I Crônicas 13:10). Números 4:15 mostra que ninguém, exceto os sacerdotes e levitas, deveria de alguma forma se aproximar, ou cuidar da arca, de modo que Uzá foi vítima de ignorância indesculpável. Podemos pensar que Deus foi excessivamente severo, mas devemos perceber que Deus estava ensinando-lhes uma lição necessária, bem como estabelecendo um TIPO ou PADRÃO para nós que poderíamos aprender.

 

Observe que Deus não interveio, até que eles chegaram à “eira de Quidom”. A eira é uma espécie de JULGAMENTO: lugar onde se separa o joio do trigo. Isto foi apontado por João Batista em suas palavras registradas em Mat. 3:11-12. “Ele (Cristo) vos batizará com o Espírito Santo e com fogo; cuja pá está em sua mão, e ele limpará completamente a sua (eira) e recolherá o seu trigo no celeiro; mas ele queimará a palha com fogo inextinguível.”  A “eira” representa um local de humilhação e quebra (o grão pisoteado), um local de separação (o joio do trigo) e um local de prova e purificação (fogo). Da mesma forma, o Senhor está nos colocando no fogo do teste e da purificação, separando de nossas vidas aquelas coisas que impedem Sua obra e fazendo com que sejamos quebrantados e humilhados diante Dele de uma forma que nunca conhecemos antes.

 

Assim como no TIPO, Deus ignorou a ignorância e o descuido de Davi e do povo ATÉ que eles chegaram à “eira de Quidom”, assim também, o Senhor ignorou nossos caminhos ignorantes e rebeldes, em relação à Sua Igreja, MAS AGORA O JULGAMENTO COMEÇOU A INTERVENIRDeus está nos fazendo perceber que, Ele não permitirá, o que Ele permitiu antes, se quisermos a plenitude de Sua bênção. Devemos tirar as mãos da arca. Deus fez com que os bois tropeçassem na “eira de Quidom” como um TESTE. E a reação de Uzá retrata aquilo que é tão característico da natureza humana. É tão humano querer estender as mãos e tentar PROTEGER o que Deus está fazendo. Sentimos que temos que organizar, sistematizar, programar, divulgar, oficializar, etc. o que Deus está fazendo, para que seja protegido, preservado e propagado. Uzá estendendo a mão, simboliza a tentativa de confiar no “braço de carne” que foi o grande pecado dos israelitas, e também tem sido o grande pecado da Igreja. Deus falou através de Jeremias assim: “Maldito o homem que confia no homem, e faz da carne o seu braço, e cujo coração se afasta do Senhor”. (Jeremias 17:5). Deus quer que mantenhamos nossas mãos longe do que Ele está fazendo.

 

Em I Crônicas. 13:11, lemos que “Davi ficou descontente, porque o Senhor havia feito uma brecha [contra] Uzá: por isso aquele lugar é chamado até hoje de Perez-Uzá”. Significa um “romance ou avanço”. Mais tarde, Davi percebeu que Deus havia feito uma “ruptura” [contra] eles, matando Uzá, porque eles não estavam trazendo a arca de volta de acordo com Sua ordem divina.

Ouça suas palavras em I Crônicas. 15:13: “O Senhor nosso Deus nos castigou, porque não o buscamos segundo a devida ordem“.  Gente, Deus vai “romper” o julgamento da Igreja nestes dias, porque a cristandade não está buscando Sua ordem divina para Sua Igreja. Precisamos compreender que o Senhor não pode santificar, com a plenitude da Sua glória, um “tabernáculo” ou “casa” do fim dos tempos, até que tenhamos essa casa em ordem divina.

 

 

[O sucesso de David em ordem]

 

 

Em I Crônicas. 15, temos o registro do sucesso de Davi em trazer a arca de volta a Jerusalém. Desta vez ele tem o cuidado de fazer isso do jeito de Deus, pois disse: “Ninguém deve carregar a arca de Deus, senão os levitas; pois a eles o Senhor escolheu para carregar a arca de Deus e ministrar a ele para sempre”. (1 Crônicas 15:2). “Assim, os sacerdotes e os levitas se santificaram para fazer subir a arca do Senhor Deus de Israel”. 

E os filhos dos levitas levaram a arca de Deus sobre os seus ombros e os varais sobre ela, como Moisés ordenara, segundo a palavra do Senhor.” (I Crônicas 15:14-15). Enquanto a arca voltava, lemos que certos sacerdotes “tocaram (sete) trombetas diante da arca de Deus” (I Crônicas 15:24). Em sua aplicação final, o retorno da arca para Jerusalém é uma imagem do retorno pessoal de Cristo a esta terra. Indo antes (precedendo) esse retorno, temos as sete trombetas do Apocalipse, capítulos 8 a 11. O retorno de Cristo ocorrerá na consumação da 7ª, ou última, trombeta. MAS PRIMEIRO, Cristo (a arca) deve “retornar” ao Seu lugar de direito COMO CABEÇA DA IGREJA, para que Ele possa trazer o CORPO à Sua perfeição e plenitude. Mesmo assim, existe agora um “ministério de trombeta” que “vai adiante da arca” para ANUNCIAR SEU RETORNO, e para soar (trombeta) uma MENSAGEM de preparação e santificação, dizendo:

“santificai-vos, tanto vós como vossos irmãos”, para que faças subir a arca do Senhor Deus de Israel ao lugar que lhe preparei.” (I Crônicas 15:12).

 

 

[estudo da palavra “violação”]

 

Anteriormente mencionamos que Davi disse: “O Senhor nosso Deus nos violou, porque não o buscamos segundo a devida ordem”. (I Crônicas 15:13). A palavra “brecha” usada nesta passagem é a mesma palavra hebraica usada em Neemias 6:1, onde Neemias diz que ele “construiu o muro, e não sobrou nenhuma brecha (quebra) nele”. Antigamente, um PAREDE era a proteção de uma cidade. Era absolutamente necessário, naqueles dias de bandos de ladrões e ameaças constantes de tribos e nações hostis. Depois que o “remanescente” judeu retornou de Babilônia, eles começaram a reconstruir a templo de Deus, conforme registrado no livro de Esdras, mas o muro ainda estava derrubado. Deus então levantou Neemias para retornar de Babilônia liderar o povo na tarefa de reconstruir o muro, conforme registrado no livro de Neemias.

Só depois que o muro foi construído houve verdadeiro sucesso naquilo que o Senhor havia comissionado o povo a fazer. A PAREDE é um tipo de ordem divina. É a nossa proteção, tanto do inimigo (Satanás), quanto de uma “ruptura” do justo julgamento de Deus. A ordem divina para a Igreja é, absolutamente necessária, para o sucesso daquilo que Deus nos comissionou a fazer.

 

Outro exemplo do uso da palavra “quebra” é encontrado no capítulo 13 de Ezequiel. Deus acusa os “profetas” de não preencherem as brechas e construírem o muro em preparação para o “dia da batalha”. Ouça as palavras ditas pelo profeta Ezequiel: “Filho do homem profetiza contra os profetas do Israel que profetizam, e dize-o aos que profetizam de seu próprio coração.

Ouça a palavra do Senhor; Assim diz o Senhor Deus; aí dos profetas tolos, que seguem o seu próprio espírito e não viram nada! Ó Israel, os teus profetas são como raposas nos desertos. 

Vocês (profetas) não subiram nas brechas (brechas), nem fizeram a cerca (muro) para a casa de Israel PARA FICAR NA BATALHA DO DIA DO SENHOR.

 

O julgamento de Deus sobre os profetas (pregadores) atuais é que eles não estão preenchendo as lacunas (brechas) nem construindo o MURO DA ORDEM DIVINA para que o povo possa estar preparado para PERMANECER NA BATALHA DO DIA DO SENHOR. A “batalha” do “dia do Senhor” ESTÁ À MÃO. Em vez disso, os pregadores de hoje estão a construir os muros dos seus próprios reinos e organizações, e a dizer às pessoas que “está tudo bem”. (paz). Estão assim cumprindo as palavras de Ezequiel. 13:10: “Porque, mesmo porque eles seduziram o meu povo, dizendo: Paz; e não houve paz; e um construiu um muro, e, eis que outros o rebocaram com argamassa não temperada (ou, como o Berkeley a tradução diz: ” revestir com cal “). Amado, esta é uma palavra difícil, mas é verdadeira. Os pregadores como um todo (há exceções notáveis), quer eles percebam ou não, estão em grande parte engajados em um grande trabalho de caiação das paredes (sistemas) feitas pelo homem, que foram erguidas diante deles, e das quais eles se tornaram uma parte integral. O Senhor Deus nos comissionou a “dizer aos que o rebocam com argamassa não temperada (cal), que cairá: haverá uma chuva transbordante; e vocês, ó grandes pedras de granizo, cairão; e um vento tempestuoso [rasgará] isto [para baixo] (uma imagem do JULGAMENTO que está chegando).

 

“Eis que, quando o muro cair, não te será dito: Onde está a [argamassa com que rebocaste]? Então derrubarei o muro que você rebocou com argamassa não temperada.” a sebe (muro), e fique na brecha (brecha) diante de mim pela terra, para que eu não a destrua: mas não encontrei nenhuma.” Deus não encontrou ninguém nos dias de Ezequiel, mas podemos ser gratos por Ele estar encontrando homens neste dia quem permanecerá nas brechas e CONSTRUIRÁ O MURO DA ORDEM DIVINA, para que possamos permanecer no “dia da batalha”.

 

Gente, podemos falar muito sobre “ordem divina”, e existe uma ordem divina para tudo – nossas vidas, o lar, a Igreja, a nação, etc., mas a menos que tenhamos a disposição de obedecer em nossos corações, então toda a nossa conversa não servirá de nada. A ordem divina começa no coração, com a disposição de primeiro colocar nossa própria casa (vida interior) em ordem, para que o espírito da razão e da justiça possa GOVERNAR em vez dos desejos e emoções da alma. Tendo começado no coração, podemos então ver que a disposição de ter todas as coisas conformadas à Sua vontade e plano divino se estende a todos os nossos outros relacionamentos.

 

Não procuramos neste artigo expor os muitos “caminhos” de Deus; procuramos apenas mostrar-lhe quão importante é buscar e aprender Seus “caminhos”. Você não vê como é importante nesta hora buscar a Deus e Sua vontade divina em tudo; e abandonar tudo o que não é Dele, como você fugiria de um prédio que está prestes a desabar? Você não estará entre aquela “companhia de Moisés” que o Senhor está CHAMANDO ao Seu “monte santo” para ensinar-lhes SEUS CAMINHOS?  “Ó meu povo, ouça a voz do seu Deus nesta hora; pois o tempo estremece na balança, e os próprios céus e a terra tremem em antecipação ao Seu aparecimento”. Mas primeiro, Ele “aparecerá” em espírito e poder num Corpo que Ele está preparando, para mostrar Sua glória; sim, um povo que andará em SEUS CAMINHOS.”

 

RECONSTRUINDO EM TEMPOS DIFÍCEIS

 

 

[Profecia]

 

“Não avisarás o meu povo, diz o Senhor? Pois uma espada [está vindo] sobre a terra. Sim, e um terrível flagelo está a caminho. Mesmo agora ele chega, enquanto o povo não se preocupa com os meus caminhos, e procura andar na teimosia de seu próprio coração. Sim, eu digo, não é hora de o Senhor julgar a terra, e não mais passar por ela? (Amós 7:8). Eu digo, chegou a hora e o julgamento vem rapidamente; está chegando! Ó meu povo, prepare-se, pois já está às portas. Seu tempo é curto. Oh, se você resgatasse o tempo e fizesse sua preparação! (Efésios 5:14-18). Para o Senhor, o Deus de toda a terra, surge para trazer julgamento e para purificar e purificar a terra.

 

“É hora, diz Deus, de construir suas próprias casas e de se consumir em seus próprios prazeres, e ainda assim não considerar que minha casa está [em ruínas]? Onde estão aqueles que abandonarão suas próprias atividades, e se afastarão de sua loucura, e se entregarem a mim? Porque a minha casa será edificada. O meu povo sairá e retornará para Sião com alegria e canto eternos; pois aquilo que estava [em ruínas] será edificadoSerá construído, num tempo de angústia, e num tempo de grande lamentação, para os habitantes do mundo. Mas meu povo ficará alegre, mesmo em meio à tribulação. Pois o poder do seu Deus estará sobre eles. E a alegria do seu Deus os sustentará. Sim, mesmo em tempos de grande tribulação minha casa será construída. Pois terei uma casa gloriosa nestes últimos dias, diz o Senhor. E a glória desta última casa ofuscará a glória da primeira, diz o Senhor. Pois em um momento de tristeza, meu povo se levantará para construir aquilo que foi demolido – aquilo que foi destruído pela mão do inimigo – porque meu povo se desviou de mim, para os seus próprios caminhos, e não me procurou após a minha devida ordem. [Você acha] que não revelei em minha palavra o que desejo para minha casaNão sou eu o mestre construtor e não estabeleci os planos para aquilo que construireiPor que, então, você procura construir com seus próprios planos e suas próprias ideias, quando meu plano é dado a você? Eu não disse que você deve pesquisar e buscar aquilo que eu dei em minha PalavraPor que então você não busca o que pode encontrar e pede para receber, e na verdade eu lhe darei instruções sobre como construir minha casaEu digo, aquilo que vocês edificam deve ser construído de acordo com meu plano e propósito, ou certamente cairá, diz o Senhor.” (fim da profecia).

 

 

[Comentário]

 

O Senhor não está falando de alguma casa ou construção de madeira e pedra, mas sim da “casa” espiritual (templo) de Deus. Assim como Pedro diz: “Vós também, como pedras vivas, sois edificados como casa espiritual, sacerdócio santo, para oferecer sacrifícios espirituais, aceitáveis ​​a Deus por Jesus Cristo”. (I Pedro 2:5). Em Hebreus 3:6 lemos: “Mas Cristo, como filho, sobre a sua própria casa; de quem somos casa, se mantivermos firme a confiança e a alegria da esperança firme até o fim”. Paulo diz em Efésios. 2:20-22, que somos “edificados sobre o fundamento dos apóstolos e dos profetas, sendo o próprio Jesus Cristo a pedra principal da esquina: em quem todo o edifício [sendo unido] cresce como templo santo no Senhor: No qual também vós juntamente sois edificados para [morada] de Deus por meio do Espírito”.

 

Mas os homens têm negligenciado a verdadeira casa (templo) de Deus e têm procurado construir as suas próprias “casas” (denominações, organizações, grupos, etc.). Uma imagem disso é vista nos escritos do profeta Ageu. Ageu foi um dos profetas que Deus usou para incitar o povo a terminar a reconstrução da casa (templo) de Deus após o retorno do cativeiro babilônico. O povo começou a construir, mas devido à oposição externa e às dificuldades internas, o trabalho cessou. A casa de Deus foi então negligenciada por cerca de dezesseis anos, durante os quais o povo voltou-se para suas próprias atividades, tornou-se interessado em construir suas próprias casas e deixar a casa de Deus permanecer em um estado inacabado de [“ruína“.] desta vez Deus levantou Ageu para admoestar o povo a construir mais uma vez a casa de Deus.

 

 

[Profecia]

 

“Ó meu povo, vocês não construirão minha casa? Posso sozinho fazer o que decretei que será feito por meus servos escolhidos, mesmo aqueles a quem ordenei construí-la neste dia? Onde estão aqueles que virão para declarar a Palavra do Senhor nesta hora? Pois minha casa deve ser construída. A Escritura deve ser cumprida. Não pense que um jota ou til passará do que eu falei para ser cumprido nesta era. Pois eu não disse isso minha Igreja seria construída? (Mat. 16:18). E posso voltar ao meu templo quando esse templo estiver em ruínas? Eu digo a vocês, vocês devem ser edificados juntos de acordo com minha vontade e propósito, mesmo para uma santa morada para o meu Espírito e para instrumento da minha glória neste dia. Por que, oh, por que meu povo não construirá de acordo com meu plano e meu caminho, diz o Senhor? (fim da profecia).

 

 

[Lição de Ageu]

 

 

Ouçamos a admoestação do profeta Ageu, pois verdadeiramente as suas palavras são apropriadas e relevantes para as condições que encontramos hoje. “Então veio a palavra do Senhor por meio do profeta Ageu, dizendo: É hora de vocês [vocês mesmos] habitarem em suas casas de painéis, e esta casa (templo) estar [em ruínas]? Agora, portanto, assim diz o Senhor dos Exércitos. Considerem os seus caminhos: vocês semearam muito e colheram pouco; comem, mas não se fartam; bebem, mas não se fartam de bebida; vestem -se, mas não há [ninguém] aquecido; e aquele que ganha salário, ganha salário para colocá-lo num saco furado. Assim diz o Senhor dos Exércitos: Considerai os vossos caminhos… Vocês procuraram muito, e eis que foi pouco; e quando vocês trouxeram para casa, eu [soprei] sobre ele. Pôr quê? diz o Senhor dos Exércitos: 

Por causa da minha casa que está [em ruínas], e cada um de vocês corre para sua própria casa. Portanto, o céu sobre vocês [retém] o orvalho, e a terra [retém] seu fruto. (Ageu 1:1-10).

Sim, pessoal, precisamos considerar nossos caminhos e perceber que nossos caminhos não são os Seus caminhos e que nossos caminhos são uma abominação para Ele. Nosso fracasso em construir a verdadeira casa espiritual (templo) de Deus resultou em consequências semelhantes às descritas por Ageu, exceto que para nós elas são principalmente espirituais e não físicas.   E quais são essas consequências? Nós “semeamos muito” com todos os nossos esforços multiplicados, campanhas, iniciativas, programas, publicidade, gastos de tempo e dinheiro com todos os meios de comunicação modernos à nossa disposição, mas “trouxemos pouco”. E muito do que foi trazido foi colocado em um saco furado. Em outras palavras, não durou. Deus “soprou” isso com Seus testes e provações e ele foi espalhado. Procuramos muito e deu pouco. POR QUE, sim, POR QUE?” Por causa da minha casa que está [em ruínas], e [cada um de vocês corre] para sua própria casa.”

Sim, cada homem está interessado em construir a sua própria denominação, organização ou grupo, e o verdadeiro espírito espiritual têmpora de Deus não está construído.

 

Quão divisivos e sectários têm sido nossos caminhos! Quão egoístas têm sido nossos motivos! Quanto procuramos construir para nós mesmos, para que possamos nos orgulhar daquilo que fizemos!  Como temos “revestido” nossas próprias organizações, enquanto a casa que o Senhor deseja construir permanece negligenciada. edificados juntos naquela verdadeira casa espiritual que Ele está construindo. Sim, precisamos considerar nossos caminhos!

 

Vemos uma consequência adicional nas palavras de Ageu: “Portanto, o céu sobre vós [retém o] orvalho (a “chuva serôdia” é retida), e a terra [retém] o seu fruto” (a “colheita” desta era é atrasado). (Ageu 1:10). Precisamos entender que o mover atual do Espírito de Deus em todas as denominações NÃO é a “chuva serôdia” prometida na Palavra de Deus. A “chuva serôdia” excederá em muita, qualquer coisa que vemos agora. O atual movimento do Espírito é um mover preliminar de Deus para ATUAR o povo de Deus, e levá-los a VER o que Deus deseja em relação ao Seu verdadeiro templo, e a convocar um “remanescente” em preparação para a “chuva serôdia”. Pois lemos que “o Senhor despertou o espírito de Zorobabel… e o espírito de Josué… e o espírito de todo o restante do povo; e eles vieram (de suas próprias casas) e trabalharam em à casa do Senhor dos Exércitos, seu Deus”. (Ageu 1:14). Fomos “incitados” pelo mover de Deus em nosso meio. AGORA é a hora de ter nossos olhos abertos para VER o plano de Deus para Sua casa (Igreja) e começar a CONSTRUIR de acordo com Seu padrão.

 

Quando vemos, o que hoje parece ser um grupo tão insignificantemente pequeno, que entende esta visão de uma Igreja do fim dos tempos cheia da glória e do poder de Deus, podemos nos sentir muito parecidos com aqueles a quem Ageu falou estas palavras: “Quem é deixado entre você que viu esta casa em sua primeira glória? e como você a vê agora? É agora aos seus olhos, em comparação com ela, como nada? (Ageu 2:3). O templo que eles viram sendo reconstruídos não parecia muito comparado com a glória do templo de Salomão que havia sido destruído, e do qual alguns deles se lembravam. Mesmo assim, o que vemos hoje não parece muito, em comparação com o que lemos no livro de Atos, a respeito da glória e poder da Igreja primitiva. Mas ouça as palavras de Ageu: “Mas agora sê forte, ó Zorobabel, diz o Senhor; e sê forte, ó Josué. . . e sede fortes, todos vós, povos da terra, diz o Senhor, e trabalhai; porque eu estou convosco, diz o Senhor dos Exércitos. . . meu espírito permanece entre vocês: não temas. . . e encherei esta casa de glória, diz o Senhor dos Exércitos. . . A glória desta última casa será maior do que a da primeiradiz o Senhor dos Exércitos.” (Ageu. 2:3-9).

 

 

[Templo de Salomão verso Templo de Zorobabel:

tipo da Igreja Primitiva versus a Igreja dos Últimos Dias]

 

No TIPO, o templo de Salomão representa a “antiga casa” ou Igreja do primeiro século, que foi “cheia de glória” no dia de Pentecostes. Assim como havia 120 discípulos reunidos no cenáculo no dia de Pentecostes, também no tipo havia “cento e vinte sacerdotes tocando trombetas”, na dedicação do templo de Salomão (II Crônicas 5:12). Assim como eles estavam em um só lugar e de comum acordo no dia de Pentecostes, assim no TIPO lemos: “Aconteceu que, como o trompetista e os cantores eram como um só, fizeram um som ser ouvido em louvor e agradecimento ao Senhor… que então a casa se encheu de uma nuvem, sim, a casa do Senhor; de modo que os sacerdotes não puderam ficar de pé para ministrar por causa da nuvem: porque a glória do Senhor encheu a casa de Deus.” (II Crônicas 5:13-14). Mesmo assim, no dia de Pentecostes, a “glória de Deus” (o Espírito Santo) “encheu” a casa (povo) do Senhor reunida no cenáculo.

 

Se o templo de Salomão, como a “casa anterior”, é um tipo da Igreja primitiva, então certamente o templo de Zorobabel, a “última casa” da qual falou Ageu, é um TIPO da Igreja destes últimos dias, que será cheia de maior glória do que a “antiga” ou Igreja primitiva. Sim, podemos esperar mais da “glória” e do “poder” de Deus nestes últimos dias do que jamais foi manifestado antes.

 

De acordo com Ageu, esta “glória” deverá se manifestar num momento em que o Senhor estará “agitando” todas as coisas. “E farei tremer todas as nações, e o desejo de todas as nações virá; e encherei esta casa de glória, diz o Senhor dos Exércitos.” (Ageu 2:7). Este processo de “agitação” está acontecendo agora e crescerá em intensidade até vermos o cumprimento de Hebreus 12:26-28: “Mais uma vez abalo não só a terra, mas também o céu. E esta palavra, Mais uma vez, significa é a remoção das coisas que podem ser abaladas, como das coisas que são feitas, para que permaneçam as coisas que não podem ser abaladas. Portanto, recebendo nós um reino que não pode ser abalado, retenhamos a graça, pela qual possamos servir a Deus de maneira aceitável e com reverência e temor piedoso: Porque o nosso Deus é um fogo consumidor”. Deus está “sacudindo” os “céus” religiosos, os “céus” políticos, os “céus” financeiros. Ele está sacudindo toda a terra (organizações e sistemas do homem); e todos esses “estrondos” são o prelúdio para o grande “terremoto” (Apocalipse 6:12, 11:13) que verá o colapso completo de tudo o que “pode ser abalado”. Mesmo assim, nosso Deus está agora surgindo para “abalar terrivelmente a terra”. (Isaías. 1:19-21).

 

AGORA é a hora de ouvir a voz dos “Haggals” que o Senhor está levantando para trombetear este chamado por um “REMANESCENTE” para RECONSTRUIR a casa do Senhor nestes tempos difíceis. Na profecia do início deste artigo, o Senhor disse que Sua casa (Igreja) seria reconstruída durante um tempo de dificuldade e tribulação. Um padrão disto é visto nas dificuldades encontradas pelo “remanescente”, que retornou do Babilônia, para reconstruir a casa do Senhor. Havia muitos obstáculos internos a superar, bem como uma tremenda oposição dos povos vizinhos. Leia os livros de Esdras e Neemias para obter detalhes. Mesmo assim, de acordo com este padrão, a casa (Igreja) dos últimos dias será RECONSTRUÍDA em tempos de extrema dificuldade. Estamos agora no início desta reconstrução.

 

…………………………………………………………………………………………………………..

 

Prepare o caminho do Senhor

Vol. 3 (1966 – adaptado da edição publicada de 2001 por J. Welker)

Versão completa

 

 

A VISÃO DE EZEQUIEL E O CORPO DE CRISTO

 

 

O Senhor quer que nós, Seu povo, saibamos o que Ele deseja para a Igreja nestes últimos dias. Jesus tem um plano perfeito que está de acordo com Sua Palavra. Mas a Igreja nem sempre esteve disposta a permitir que Ele nos ensinasse a partir da Sua Palavra e do Seu Espírito. Ele não foi capaz de nos revelar claramente o que foi colocado nele. Devemos ouvir Sua voz! Devemos nos conformar com o que o Senhor decretou ou não poderemos resistir no dia que está por vir. Tudo o que é construído segundo os caminhos do homem certamente cairá. Portanto, consideremos cuidadosamente o que o Senhor revela a respeito do Seu Plano para a Sua Igreja nestes dias.

O Senhor quer que Seu povo deixe que Ele os una em um corpo, mas só Ele pode fazer a união, e só Ele pode colocar cada um no lugar que Ele escolher. Não devemos fritar para ocupar um lugar que o Senhor não escolheu para nós, ou criaremos estragos no corpo. Devemos deixar que o Senhor nos mostre, enquanto esperamos Nele e enquanto o Senhor nos ministra, onde é o nosso lugar no Corpo de Cristo.

O corpo é um, assim como há um só Senhor e uma só fé (Efésios 4:4-6). Mas por causa de considerações geográficas e por causa dos números envolvidos, todo o corpo não pode estar no mesmo lugar ao mesmo tempo, nem cada membro pode funcionar como o Senhor deseja. Portanto, Seu Plano é dividir os membros do corpo em unidades celulares individuais ou assembleias locaisCada célula ou assembleia local pode funcionar como uma unidade completa em si mesma, sem qualquer relação oficial com qualquer outra unidade celular. 

A única relação entre as unidades celulares pode ser o vínculo espiritual que as une e a comunhão que podem ter umas com as outras de tempos em tempos. Cada unidade celular será governada pelos seus próprios presbíteros, a quem o Senhor estabelecerá pela orientação do Espírito Santo, através dos apóstolos que são enviados para estabelecer e pôr em ordem todas as coisas.

Agora, vejamos o que o Senhor nos mostra a respeito deste plano conforme é revelado em Sua Palavra. Consideremos Ezequiel 1 e o plano nele contido.

O Profeta Ezequiel teve uma visão na qual viu a glória do Senhor. Ele viu o Senhor sentado num trono acima do firmamento (1:26-28). Um trono simboliza governo, mostrando a autoridade que o Senhor exerce em Seu corpo. Cristo é a Cabeça do Corpo (Efésios 1:22-23), e o corpo deve receber a direção da cabeça. Todo o corpo deve estar em absoluta sujeição ao Senhor ou o que Ele planeja fazer não será realizado.

Em segundo lugar, Ezequiel viu uma expansão debaixo do trono e acima das cabeças dos seres viventes (1:22). Essa expansão é um tipo de “atmosfera” espiritual que deve permear tudo o que é feito no corpo. Sem um “ar” espiritual que permeie todas as funções do corpo, não pode haver operação espiritual do Corpo. É por isso que é tão importante que o povo de Deus busque constantemente a Sua face, esteja sempre em oração, deixe que os seus louvores subam continuamente a Ele e viva diariamente na Sua Palavra. O que o Senhor está revelando é um plano espiritual para um povo espiritual. Não pode funcionar entre aqueles que não vivem num plano espiritual elevado. Não é para aqueles que ainda andam como homens e vivem no nível carnal.

Prossigamos analisando a visão de Ezequiel. Sob a expansão, Ezequiel viu quatro criaturas viventes[Seres viventes]. Essas criaturas são um tipo do Corpo de Cristo, pois funciona sob a direção do Seu Espírito. Ezequiel viu essas criaturas vivas moverem-se sob o comando do Seu Espírito. As criaturas se moviam apenas quando o Espírito se movia. Caso contrário, eles não se moveriam (1:12).

A seguir, ele viu que cada uma dessas criaturas tinha quatro faces. A primeira face era a de um leão. Este é um tipo de coragem e ousadia que o Senhor dará ao seu povo. O leão é aquele que é reconhecido como rei dos animais. Da mesma forma, o povo do Senhor, que está funcionando em Seu corpo de acordo com Seu plano Divino, terá uma influência real de poder e autoridade naquilo que faz. Eles avançarão com ousadia e confiança e ninguém será capaz de resistir ao que o Senhor colocará dentro deles.

Em seguida, a segunda face era a de um boi. O povo de Deus deve considerar-se servo uns dos outros. Jesus disse que o maior será o servo de todos (Mateus 23:11). Isto é para mostrar como devemos servir uns aos outros, cada um considerando o outro melhor do que si mesmo, e com humildade e temor a Deus em nossos corações. Não devemos procurar exaltar-nos ou tomar para nós aquilo que não nos pertence. O Plano do Senhor não funcionará a menos que cada um esteja disposto a ser servo de todos.

O terceiro rosto era o de um homem. O Corpo de Cristo do fim dos tempos chegará à plenitude da estatura do homem, Cristo Jesus, crescendo em todas as coisas na Cabeça do Corpo, sim, na plenitude daquele que preenche tudo em todos (Efésios 4:13). -15, 1:23). Este Corpo do fim dos tempos será como um homem funcionando na plenitude do que o Senhor planejou para esta era e tempo. Assim como o homem Adão foi produzido à imagem e semelhança de seu Deus no final do sexto dia da semana criativa, assim o Senhor produzirá Seu Corpo na plenitude de Sua estatura no final do sexto dia da semana criativa. semana ou ciclo redentor. Assim como Adão entrou no descanso de Deus preparado no sétimo dia, também entraremos naquele descanso preparado para nós no sétimo dia deste ciclo redentor, o grande milênio de mil anos que está próximo. Mas primeiro, devemos alcançar o padrão de perfeição que o Senhor estabeleceu para nós, e devemos ser levados à imagem e semelhança de Jesus Cristo. O Corpo chegará à maturidade e estará pronto para mostrar ao mundo aquilo que o Senhor determinou.

Finalmente, descobrimos que a quarta face era a de uma águia. O povo de Deus subirá com asas de águia (Isaías 40:31). Uma águia é capaz de voar a alturas onde poucas criaturas alcançam; as alturas dos céus. Seu povo, nestes últimos dias, funcionando de acordo com Seu Plano, se encontrará subindo aos lugares celestiais em Cristo (Efésios 2:6). Devemos nos preparar, pois o Senhor fará Seu povo subir, e teremos a visão de uma águia para ver aquilo que nunca foi visto antes, e teremos a perseverança de uma águia para suportar aquilo que virá contra nós. Também não teremos medo da tempestade que se aproxima, mas colocaremos as nossas “asas” e voaremos para o céu nos próprios ventos que carregam o poder e a força da tempestade. E ascenderemos às alturas em Cristo, onde a tempestade não nos afetará, e venceremos todas as coisas.

A seguir, Ezequiel viu que cada criatura vivente tinha quatro asas (1:6,11). Duas asas de cada um estavam estendidas para tocar as asas dos outros e duas asas cobriam o corpo de cada um. O Senhor estenderá Suas asas e nos cobrirá, e Suas asas nos protegerão (Sl 91:4). Também à mulher (a Igreja) foram dadas asas de águia para levá-la a um lugar seguro (Ap 12:14). O Senhor protegerá e ofuscará Seu povo. O Senhor será para nós um escudo protetor para nos guardar de todo mal naquele dia em que as nuvens de tempestade pesarão sobre a terra.

Então Ezequiel viu a mão de um homem estendendo-se debaixo de cada asa sobre os seres viventes. Este é um tipo daqueles ministérios que o Senhor colocará em nosso meio para ministrar às nossas necessidades e nos guiar no caminho certo. Existem cinco desses ministérios, pois há cinco dedos na mão.

Primeiro é o apóstolo. O Senhor colocou em Sua Igreja, primeiro, um revelador de Sua Vontade e, secundariamente, um estabelecedor de Seu povo em Seus caminhos divinos. Ele levantará apóstolos naquele dia que declararão Sua Vontade para Seu povo. Eles serão usados ​​para colocar Sua casa na ordem divina e impedirão que Seu povo se desvie, pois mostrarão a Seu povo o que o Senhor exige deles. Eles irão de um lugar para outro para estabelecer o que precisa ser estabelecido e para colocar em ordem as coisas que precisam estar em ordem. Eles estão primeiro no corpo porque o corpo não pode funcionar em Seu padrão divino até que os apóstolos tenham tornado conhecida Sua Vontade e revelado Sua verdade ao povo.

Segundo o Senhor colocou profetas em Seu Corpo (1Co 12:28). Os profetas também têm um ministério fundamental (Efésios 2:20), geralmente em conexão com o apóstolo. Contudo, às vezes o profeta funcionará separadamente para revelar a Vontade de Deus e tornar conhecido o Seu Plano. O profeta é especialmente dotado de um ministério na palavra de profecia, pois ele falará por inspiração direta do Espírito de Deus, e a palavra fluirá de seus lábios como a própria palavra de Deus. Estou falando aqui de ministérios maduros que foram experimentados e testados e que foram chamados e enviados para o campo, e não daqueles que ainda são noviços e são apenas ministérios proféticos em formação. O profeta também ensinará as coisas profundas da Sua Palavra, especialmente no que se refere aos acontecimentos do momento e ao cumprimento dos propósitos de Deus na terra. Ele também terá uma visão aguçada das necessidades das pessoas e será capaz de discernir o que precisa ser corrigido ou mudado. Ele falará a palavra sem medo, mas com amor e compaixão enquanto procura ministrar às necessidades do Corpo de Cristo.

Em terceiro lugar, o Senhor colocou na Igreja aqueles que o Senhor geralmente chama de professores (1Co 12:28). O primeiro nesta classe é o evangelista (Efésios 4:11). O evangelista é um professor das verdades redentoras da Palavra de Deus no que se refere às necessidades do Corpo de Cristo e ao alcance desse Corpo para abranger aqueles que não são salvos. Ele pregará a Palavra com poder para exortar, admoestar e encorajar as pessoas no seu testemunho de Jesus Cristo. Ele também revelará à sua compreensão as formas e meios de partilhar a sua fé com aqueles que os rodeiam. O evangelista também terá um ministério de libertação para que a palavra que ele prega seja confirmada e estabelecida em poder. Ele terá grande compaixão pelo cristão e também pelos não salvos, para que possam ser trazidos para o rebanho.

Em segundo lugar na classificação geral dos professores está a do pastor. O pastor será o mais próximo das pessoas ao ministrar às suas necessidades pessoais e ao aconselhá-las relativamente aos seus problemas espirituais. O pastor tem o verdadeiro coração de pastor, pois deseja servir o povo e conduzi-lo pacientemente aos pastos verdejantes e às águas tranquilas. Seu ministério na Palavra será principalmente o de tomar os princípios gerais da Verdade e torná-los aplicáveis ​​à vida pessoal das pessoas, para que possam entrar na realidade da bênção e do poder espiritual. Ele estará constantemente à procura dos cordeirinhos que precisam de atenção, curando suas feridas e cuidando deles nos momentos de necessidade.

O terceiro na classificação geral dos professores é aquele que é especificamente chamado de mestre (Efésios 4:11). Como o nome indica, ele será um professor por excelência. Ele será capaz de pegar a Palavra e torná-la real para as pessoas, dividindo-a em muitas partes e mostrando sua aplicação em todas as fases da vida. Ele será um mestre em esclarecer as muitas passagens pouco compreendidas das Escrituras e torná-las vivas para as pessoas. Ele terá uma grande preocupação com o crescimento e amadurecimento de cada membro do Corpo de Cristo, para que cada parte possa funcionar em seu devido lugar e entrar em seu ministério completo.

Agora consideremos melhor o que foi visto por Ezequiel. Ele viu que cada criatura viva se movia em linha reta, sem se virar. Qualquer que fosse a direção que seguissem, seguiriam em frente sem variação (1:9,12). Isto retrata o que o Senhor exige daqueles que estariam em Seu Corpo no fim dos tempos. Eles devem seguir conforme a orientação do Espírito e não devem virar para a direita ou para a esquerda. Não deve haver mudança ou sombra projetada pela mudança, assim como o próprio Senhor (Tiago 1:17). Eles colocarão seu rosto, assim como o rosto dos querubins, em qualquer direção que o Espírito mostrar e então prosseguirão sem vacilar e sem se virar.

E então notamos que Ezequiel viu fogo no meio dos seres viventes. Assim o Senhor estará constantemente em nosso meio como um fogo vivo e consumidor, para purificar e purificar continuamente. Como um fogo refinador, o Senhor sentar-se-á neste dia para que o Seu povo possa ser purificado de toda contaminação e esteja preparado para Lhe oferecer uma oferta em justiça (Ml 3:3). Assim o fogo do Seu Espírito arderá em nosso meio, e nenhum pecado poderá continuar despercebido e sem controle, pois um pouco de fermento leveda o todo, e o Senhor eliminará do meio do Seu povo todo o fermento da malícia e maldade (ICor. 5:8).

Considere ainda: as pernas dos seres viventes eram de latão polido e retas como colunas. Da mesma forma, o Senhor está construindo Sua Igreja neste tempo final e Ele está colocando naquela Igreja aqueles que serão pilares, mesmo aqueles que venceram todas as impurezas da carne. Haverá pessoas em nossas igrejas que serão reconhecidas como pilares. Eles serão fortes no Senhor e aqueles em quem se pode confiar e em quem os fracos podem se apoiar. Observe que os pés dos seres viventes eram como os de um bezerro (1:7). O bezerro é aquele criado para servir aos outros, fornecendo leite e nutrição. Aqueles que são pilares da Igreja fornecerão sustento e apoio a todos os que necessitam. Eles tornarão o Corpo de Cristo forte no Senhor. Eles não vacilarão em tempos de provação, mas serão firmes e apoiarão todos os necessitados.

Agora chegamos ao que Ezequiel viu ao lado de cada uma das criaturas viventes. Havia aquilo que ele descreveu como uma roda dentro de outra roda, e cada roda tinha uma borda cheia de olhos (1:15-18). Estas rodas moviam-se quando os seres viventes se moviam e ficavam paradas quando os seres viventes paravam, pois o espírito dos seres viventes estava nas rodas (1:20-21). Isto nos diz que eles eram um, retratando apenas uma fase diferente da mesma verdade. As criaturas vivas retratam o Seu plano para o Corpo de Cristo como um todo, mas as rodas representam as unidades individuais ou células do Corpo à medida que são reunidas numa determinada localidade geográfica. Eles são um com todo o Corpo e, ainda assim, estão separados em localização. O Senhor fará com que Seu Corpo encontre sua expressão e função em unidades celulares individuais.

Cada unidade celular ou assembleia local de santos começará com o que Ezequiel viu como uma roda dentro de outra roda. A roda interna vem primeiro e corresponde ao núcleo de uma célula do corpo humano. Esse núcleo é o coração e a substância da célula, em torno do qual o resto da célula é formado. Cada unidade celular local começará com um núcleo que o Senhor estabelecerá firmemente e unirá. Este núcleo começará a se reunir em um local específico, muitas vezes uma casa, devido à sua conveniência e disponibilidade. Este núcleo se reunirá para ministrar ao Senhor em louvor e adoração. O Senhor reunirá aqueles que Ele quiser em cada núcleo. Cada pessoa buscará Sua orientação para determinar onde o Senhor quer que ela esteja. Ninguém buscará a sua própria vontade ou desejo, mas apenas a Vontade de Deus. Um núcleo pode começar com duas ou três famílias reunidas numa casa no dia do Senhor. Os que se reúnem submeter-se-ão juntos em amor, sem que nenhum procure dominar ou forçar a sua vontade sobre os outros. A comunhão mútua no Senhor e o estudo da Palavra constituirão a base de cada reunião.

Se não estiver disponível imediatamente, no devido tempo o Senhor enviará um de Seus ministérios para ensinar a cada núcleo o que o Senhor deseja que eles saibam. Com o tempo, também o Senhor enviará um de Seus apóstolos para estabelecer este núcleo em ordem divina e nomear aqueles que serão os superintendentes ou presbíteros desse grupo. Eles estarão dispostos a receber aqueles que o Senhor lhes enviar e permitir que Ele os estabeleça conforme o propósito do Senhor. Eles não tentarão fazer algo com sua própria sabedoria e força, mas esperarão em Seu conselho e orientação e permitirão que Ele forneça aquilo de que precisam, e permitirão que Ele os ministre conforme Ele os direcionar por Seu Espírito.

Com o passar do tempo, e somente sob Sua direção, o Senhor fará com que cada núcleo que esteja firmemente unido e unido, e firmemente estabelecido em Sua ordem divina com seus superintendentes locais, se mova para um local de encontro mais público, que será acessível a todos a quem o Senhor atrairia pelo Seu Espírito. O Livro de Atos mostra que a Igreja primitiva se reunia no Templo e partia o pão de casa em casa (Atos 2:46, 5:42). Além disso, Paulo declara aos anciãos de Éfeso que os ensinava publicamente e nos lares (Atos 20:20). O Senhor teria dois tipos de reuniões para Seu povo. Quando estiverem prontos, e sob Sua direção, o Senhor fará com que ocupem algum tipo de lugar público, onde todos se sentirão livres para vir e onde os pecadores conhecerão o Senhor. O Senhor também deseja que Seu povo continue a se reunir nas casas de um ou mais, dependendo do tamanho e da necessidade, para que possam partir o pão e deixar todo o Corpo ministrar, cada um tendo a sua parte, como está escrito em a Palavra (I Coríntios 14:26).

 

Depois que o núcleo, ou roda interna, tiver se movido sob a direção do Espírito para locais que conduzam a um crescimento maior e que sejam mais acessíveis a todos, então o Senhor começará a adicionar outros ao núcleo para formar uma célula completa. ou unidade. Isto corresponde à outra parte da roda que Ezequiel viu, girando em torno da roda interna; uma roda, mas com componentes internos e externos. Este plano não funcionará até que o núcleo esteja firmemente estabelecido e unido, de modo que nada possa destruí-lo. Então, e só então, estará pronto para se tornar o centro funcional de uma célula maior que o Senhor construirá em torno dele. Nenhum núcleo deve mover-se para se tornar o coração de uma nova obra de Deus até que tenha recebido a orientação do Senhor.

Agora vamos considerar os olhos que Ezequiel viu na borda que estava acima e circundava a roda (1:18). Os olhos representam os superintendentes locais ou anciãos que supervisionarão cada unidade celular. Não achamos que o Senhor é capaz de fornecer a liderança de que necessitamos? Questionamos Seu julgamento ao levantar dentre nós aqueles que serão estabelecidos como “governos” de Seu corpo? Chegou a hora de Sua casa ser colocada em ordem de acordo com Seu Plano, para que possa funcionar de acordo com Sua direção e não de acordo com a direção do homem. Chegou a hora de Seus ministérios desistirem dos pequenos reinos que construíram para si mesmos e permitirem que Jesus os use para ministrar ao Seu Corpo como Ele quiser. Seus ministérios não foram feitos para funcionar indefinidamente em um só lugar e usurpar a função dada aos superintendentes locais de cada célula. O Senhor deseja que Seus ministérios parem de tentar construir algo para si mesmos e deixem que Ele os use onde quiser. Quanto tempo um ministério servirá em um determinado lugar depende inteiramente do Senhor e não de acordo com seus próprios desejos ou vontades.

E agora um fator final na visão que Ezequiel teve. É a forma como as rodas e os corpos das criaturas vivas funcionavam juntos como uma unidade, movendo-se apenas sob o comando do Seu Espírito. Deixe-me repetir que este plano é para um povo que está disposto a ser completamente guiado pelo Seu Espírito. Não funcionará a menos que cada ministério vá somente para onde o Senhor direcionar, e a menos que cada membro do Corpo esteja disposto a deixar que o Senhor os coloque no lugar que Ele escolheu para eles, buscando sempre a Sua mente em tudo. Assim, todo o corpo de Cristo em todos os lugares funcionará como um, com os ministérios acompanhando e trabalhando com todo o Corpo em qualquer lugar que o Espírito dirija, e com a comunhão e participação mútua de todos os membros em qualquer lugar e qualquer função que o Senhor desejar. determinar para eles.

 

 

REUNIÃO DOS SANTOS

A reunião dos santos do Senhor está progredindo. Ele reunirá num só corpo neste tempo do fim aqueles que verdadeiramente fizeram aliança com Ele, para fazer a Sua vontade, e para se colocarem completamente no Seu altar de sacrifício. Será necessário um sacrifício para fazer o que Ele propõe nestes últimos dias. Aqueles que não estiverem dispostos a fazer este sacrifício encontrarão um lugar no Seu plano de coisas para este dia, mas não farão parte daquele Corpo do fim dos tempos que será cheio da plenitude da glória do Senhor. Pois Ele levará um aqui e outro ali e os trará para Sião, a verdadeira cidade espiritual, e Ele os fará habitar em Jerusalém (paz) e eles construirão os muros e colocarão em ordem as coisas que estão faltando. E eles verão o Seu trabalho no meio deles para erguer um templo do fim dos tempos que será mais glorioso do que tudo o que foi antes. O Senhor os fará regozijar-se, e grande será a alegria e o cântico no meio deles. Verdadeiramente farão um sacrifício de alegria ao seu Deus. Pois Ele está reunindo aqueles sobre os quais derramará Seu Espírito, e o Senhor virá sobre eles como a chuva serôdia, em chuvas de bênçãos como nunca antes. Eles serão um povo em quem a glória de seu Deus será vista, e a alegria e o regozijo em seu meio serão algo para ser visto.

Pequenos grupos serão reunidos para se submeterem à Vontade do Senhor e buscarem Sua face. Ele lhes mostrará o que devem fazer. Ele terá um povo que O deixará purificá-los completamente de tudo o que atrapalha e contamina, e Ele os trará nestes últimos dias como um povo purificado, pronto para fazer aquilo que Ele os comissionará a fazer. Eles sairão como um poderoso exército para conquistar e obter uma grande vitória para o Senhor. Será uma Igreja gloriosa, com todas as manchas e manchas removidas e todas as rugas removidas.

Reúnam-se e abandonem suas antigas associações. Pois como pode o Senhor atraí-lo completamente para Si mesmo quando sua lealdade está dividida? Você deve estar disposto a se reunir com aqueles a quem Ele deu a mesma visão e o mesmo entendimento. Podem dois andares juntos, a menos que estejam de acordo (Amós 3:3)? Você concordará em andar na plenitude da glória e perfeição do Senhor neste último dia? Então retire-se daqueles que o impediriam. E deixe o Senhor unir você àqueles que Ele escolheu. Procurem não se unir a ninguém nem a nada. Deixe o Senhor unir vocês e ninguém será capaz de separá-los.

Aqueles a quem o Senhor unir serão unidos de acordo com Seu Plano e propósito para cada um. Você deve deixá-lo colocá-lo no lugar que Ele quer que você esteja. Ninguém deve aspirar ao lugar que pertence a outro. Sujeitem-se a Ele e uns aos outros para que Ele faça de vocês um só Corpo no Senhor. Não se unam, mas deixem que o Senhor os junte àqueles que Ele escolheu, e aceitem o lugar onde Ele lhes cabe.

 

 

MINISTROS E ANCIÃOS

 

O Senhor restaurará aquilo que o devorador, sim, Satanás, tirou do povo de Deus. Pois somente quando houver uma restauração daquilo que foi perdido, poderá haver um cumprimento daquilo que o Senhor propôs. Mais uma vez, o Senhor comerá o bem da terra e desfrutará do fruto daquilo que Ele lhes deu. Ele restaurará os verdadeiros pastores ao Seu povo e fará cessar os falsos pastores e removê-los de serem pastores do Seu povo. E Ele levantará pastores que alimentarão o rebanho e conduzirão as ovelhas para aquela boa terra que foi preparada para elas.

Quem são esses pastores? Eles são os ministérios que são chamados e ordenados pelo Senhor, para que apascentem Suas ovelhas e as conduzam pelas águas tranquilas, onde possam beber e se refrescar, e por pastos verdejantes, onde possam deitar-se e encontrar descanso. Os verdadeiros ministérios do Senhor serão restaurados ao Seu povo, até mesmo os apóstolos e profetas, evangelistas, pastores e mestres. São cinco em número, assim como os dedos de nossas mãos. Assim como um pastor usa as mãos para cuidar das ovelhas, as “mãos” dos ministérios do Senhor cuidarão daqueles que foram comprometidos com eles. Aqueles que foram ordenados para cuidar das ovelhas quando os ministérios realizaram o trabalho que lhes foi confiado, são os presbíteros locais, que o Senhor levantará do meio do Seu povo. Eles cuidarão do rebanho e o pastorearão. E de tempos em tempos, conforme surgir a necessidade, Ele enviará um de Seus ministérios para fortalecer e ajudar o povo. Mas, quando o ministério terminar, os presbíteros pastorearão o povo.

Estes dois grupos trabalharão juntos para o benefício do povo de Deus. Os ministérios exaltarão os presbíteros e os ajudarão, e os presbíteros apoiarão os ministérios que lhes são enviados. Assim, os dois trabalham juntos para a edificação do povo de Deus. Os ministérios não usurparão o lugar dos presbíteros, nem os presbíteros tentarão ocupar o lugar de um ministério. Pois ambos são necessários. E o povo do Senhor não ficará dividido entre aqueles que querem dominar, por um lado, e aqueles que aspiram ao que não lhes foi dado, por outro. Novamente, há necessidade de ambos.

Os ministérios terão maior habilidade na Palavra e nos dons da graça do Senhor; e por isso terão que ter cuidado para não dominar o rebanho e deixar de lhe dar a oportunidade de se desenvolverem naquilo que Ele deu a cada um. Da mesma forma, quando não há ministério presente, os presbíteros também devem ajudar os membros do corpo a crescer e a desenvolver-se naquilo que lhes foi atribuído.

Através da direção do Espírito, o Senhor fará com que Seus ministérios fluam por todo o Corpo, para que o benefício daquilo que Ele lhes deu seja ministrado a todos e não apenas a alguns. Portanto, cada ministério será livre para obedecer ao Senhor e ir aonde Ele mandar e fazer o que for necessário em determinado lugar entre o povo de Deus. Então Ele poderá conduzi-lo a outro lugar onde haja necessidade. Esses ministérios estarão livres para ir aonde o Senhor direcionar, para que tudo o que Ele achar necessário possa ser atendido por aqueles que Ele enviar. Ele também não quer que os ministérios sejam contratados ou tenham qualquer obrigação para com qualquer grupo, pelo que eles serão incapazes de se mover sob o comando do Seu Espírito. Devem ser sustentados pelas ofertas voluntárias do povo, para que as suas necessidades possam ser satisfeitas e possam ser livres para ministrar onde Ele os colocar.

Quando os Seus ministérios ministram a um determinado grupo local, eles não procurarão assumir todas as prerrogativas do pastoreio para si, mas trabalharão com os pastores locais para edificar o povo de Deus. Nem procurarão usurpar o lugar dado aos presbíteros, mas respeitarão a posição para a qual os presbíteros foram chamados e não tentarão tirar o que lhes pertence. Um ministério só virá para fortalecer aquilo que precisa ser fortalecido e não para destruir.

Quando um ministério termina aquilo que o Senhor o enviou para fazer em um determinado lugar, então ele deve ser sensível ao Espírito para saber quando o Senhor o mandaria sair e para onde Ele o mandaria ir em seguida. E os presbíteros encarregados dos rebanhos locais devem ser sensíveis para receber os ministérios que o Senhor lhes enviará, para que possam reconhecer a autoridade espiritual e o ministério que lhes foram dados pelo Senhor e não procurar impedir que esse ministério cumpra a sua chamada.

Onde você pode encontrar um plano mais perfeito que este? Os ministérios podem trabalhar para o bem e para a edificação do corpo local, seja no âmbito de estabelecer e corrigir as coisas que não estão em ordem, ou de proclamar a palavra profética em domínios onde há ignorância do Plano e propósito de Deus. , ou ministrando na área de libertação e divulgação para a causa do Evangelho, ou unindo e ajudando nas áreas onde os presbíteros locais não têm sido adequados, ou quebrando a Palavra de Deus para que ela possa ser assimilada por todos que a ouvem. . Existe um ministério para cada necessidade. Deus é capaz de enviar ministérios que serão capazes de atender a essa necessidade.

Este é um plano espiritual que só pode funcionar entre um povo que esteja disposto a ser guiado pelo Espírito do Senhor. Mas quem é suficientemente sábio, através do raciocínio carnal, para determinar quem deve estar onde e que ministério é necessário? Somente o Senhor, Cabeça do Corpo, pode dirigir todos os membros desse Corpo, incluindo os ministérios que Ele chama e envia. Somente num povo que esteja completamente disposto a abandonar os seus velhos hábitos e deixar que o Senhor os ensine de novo é que este plano funcionará. Somente num povo que esteja disposto a reconhecê-Lo como o cabeça soberano da Sua igreja e o diretor de todos os seus caminhos isso funcionará. Onde tal povo pode ser encontrado? O povo de Deus foi pervertido pelos caminhos do homem e pelo que o homem pode fazer com sua sabedoria e habilidade. Isso é uma abominação para o Senhor. Ele procura um povo que se submeta a Ele e aprenda Seus caminhos. (Até o derramamento do Espírito Santo nos Últimos Dias, isso provavelmente não será encontrado, porque deve estar no padrão daquele que se seguiu ao derramamento do Espírito na época do primeiro Pentecostes descrito nos Atos dos Apóstolos.)

 

A GLÓRIA DO SENHOR

  

 

A glória do Senhor se manifestará nestes últimos dias. E o que é essa glória? É a manifestação da Presença de Deus no meio do Seu povo. Traz consigo a plenitude do Seu poder para libertar, purificar, redimir, transformar e cumprir todas as Suas promessas ao Seu povo. E faz com que sejam o que o Senhor propôs e faz com que sigam naquilo que Ele determinou.

A glória de Deus retornará quando um corpo estiver preparado para recebê-la. No início desta era, um corpo físico foi preparado para receber a glória na Pessoa do Senhor da Glória, o próprio Filho do Pai (Hb 10:5). E aqueles que O viram contemplaram a glória do seu Deus (João 1:14). Portanto, neste dia, o Senhor está preparando um corpo espiritual para receber a glória que Ele trará ao Seu povo (Efésios 1:22-23). Mas primeiro esse Corpo deve ser colocado na ordem divina como Ele ordenou, e esse Corpo deve ser completo em todas as suas partes. Deve funcionar sob a orientação do Seu Espírito e estar completamente sujeito à Sua liderança. Então, e somente então, Ele encherá esse Corpo com a plenitude da Sua glória.

Lemos sobre a glória do Senhor que foi manifestada com as criaturas viventes na visão de Ezequiel (Ezequiel 1:4,28). Estas criaturas vivas são uma imagem da realidade e da perfeição daquele Corpo do fim dos tempos que o Senhor levantará para Si mesmo. Se você ler o relato da saída da glória do Senhor do santuário, conforme registrado em Ezequiel 8-11, notará que a nuvem de glória se movia com as criaturas vivas à medida que eram elevadas daquele santuário que havia se tornado poluído. pelos costumes e tradições do homem. A glória de Deus não pode ser associada a nada que não esteja de acordo com a Sua vontade divina. Pois está escrito que Ele foi expulso do Seu santuário pelas abominações que ali foram cometidas (Ezequiel 8:6). Ele também foi expulso das igrejas de hoje para que a plenitude da Sua glória não seja vista entre eles. Por quê? Porque eles poluíram Seu santuário com suas tradições e seus costumes criados pelos homens.

Saiba com certeza que o Senhor não retornará até que encontre um grupo de pessoas que se unirão de acordo com Seus caminhos. Então Ele fará com que aquele corpo se torne um templo glorioso para Ele, e esse templo será preenchido com Sua glória. Considere as palavras ditas a Ezequiel, o Profeta, nos capítulos finais de Ezequiel (40-48), quando lhe é dada uma visão do novo Templo que será construído. Aquilo que foi dado a Ezequiel contém muitas verdades que não devem ser divulgadas neste momento, pois diz respeito ao que acontecerá em eras futuras. Mas uma coisa é isso. O Templo, ordenado e medido de acordo com a diretriz de Deus, representa e tipifica, é o corpo ou templo do fim dos tempos que o Senhor levantará para Si mesmo e preencherá com Sua glória. Ezequiel viu a glória de Deus retornar a este novo Templo (43:2-5, 44:4), assim como o viu partir do antigo templo poluído (10:18-19). Esta é uma imagem daquilo que o Senhor fará. A glória partiu dos poluídos sistemas eclesiásticos de hoje, mas a glória retornará ao templo do fim dos tempos.

 

FUNCIONAMENTO ESPIRITUAL DO CORPO  

 

Consideremos a maneira pela qual o Senhor deseja que Seu Corpo opere ao se reunir para adoração e comunhão. Primeiro, devem louvá-Lo de todo o coração, esquecendo tudo o que ocupa as suas mentes e a sua atenção e procurando fazer Dele o centro da sua adoração e devoção. Ele é um Deus zeloso e deseja que Seu povo seja indiviso em seus pensamentos ao adorá-Lo. Ele quer que eles se aproximem Dele enquanto O louvam de coração e cantam e entoam melodias para Ele de coração. Está escrito que se o Seu povo se aproximar Dele, Ele se aproximará deles (Tiago 4:8). O Corpo não pode funcionar e ministrar como o Senhor escolhe quando Ele não está no meio para dirigir e controlar todas as coisas e para abençoar por Sua Presença. O povo de Deus deve adorá-Lo e louvá-Lo do fundo do coração, entrando em Suas cortes e aproximando-se Dele. Então, e somente então, Ele poderá se disponibilizar para dirigir e abençoar no meio daqueles que se reúnem em Seu Nome.

Então o Senhor faria com que orassem a Ele e revelassem as petições de seus corações. Tendo se aproximado Dele em louvor e adoração, Seu Espírito se aproximará e moverá os corações de Seu povo para Lhe proferir orações que nascem da unção de Seu Espírito. Da mesma forma, aqueles que Ele move abrirão a boca e intercederão em nome do Corpo, e farão com que todo o Corpo seja elevado ao trono da Graça e receba a orientação necessária para a reunião. Além disso, as pessoas deveriam abrir seus corações a Ele pelas necessidades e fardos que Ele coloca em seus corações, e tornar conhecidas as petições que são despertadas em sua compreensão pelo mover do Espírito em seu meio. À medida que o Seu povo se entrega para ser instrumento de oração sincera e dirigida pelo Espírito, Ele é capacitado a mover-se pelo Seu Espírito para trazer para o meio deles a orientação e o ministério que são necessários. Assim, o povo é elevado, fortalecido e abençoado à medida que suas orações sobem ao Senhor como doce incenso.

E então o povo de Deus deveria render-se a Ele para ser usado no ministério dos dons do Seu Espírito para edificar e fortalecer o Corpo. Os dons são para a edificação dos santos e para a capacitação do Corpo para o serviço que Ele ordenou. Esses dons ministram as bênçãos da graça de Deus através da expressão sobrenatural, ou operação sobrenatural, ou libertação sobrenatural dos dons de Sua graça. O povo de Deus também deve examinar a Sua Palavra e deixá-Lo falar através daqueles que Ele designou para serem mestres no seu meio. Pois Sua Palavra é aquilo que irá nutri-los e sustentá-los e torná-los vasos adequados para Seu uso. Gaste muito tempo buscando o Senhor em Sua Palavra e deixe-a habitar ricamente em seus corações enquanto você compartilha aquilo que o Senhor lhe mostrou. Todos podem participar no ministério da Palavra conforme inspirados pelo mover do Espírito do Senhor.

O Senhor tem aqueles que estão preparados e prontos para ministrar aquilo que Ele mostrou para cada reunião. Ao ser sensível ao Seu Espírito, Ele o direcionará para aquilo que Ele gostaria que você considerasse em cada reunião. Às vezes, uma diretriz será dada por meio de declarações proféticas quanto à natureza e ao conteúdo daquilo que será produzido. Outras vezes, Ele dá a chave antecipadamente a alguém que terá feito alguma preparação ao longo de uma determinada linha de ensino que Ele transmitirá a essa pessoa na reunião. Às vezes, será mostrado aos ministérios presentes com antecedência qual será o ministério da Palavra para a reunião. Todos devem estar sujeitos uns aos outros e buscar a mente do Espírito, deixando-O realizar o ministério da Palavra que é ordenado para a sua edificação cada vez que vocês se reúnem.

Ao reunirem-se, o povo de Deus deve também lembrar-se de dar os seus bens materiais para o sustento daqueles que foram chamados e enviados. Devem ser dados àqueles que foram ordenados para proclamar Sua mensagem para esta hora e àqueles que foram enviados para ministrar em Seu Nome. Pois assim como você dá, Ele o abençoará. Você deve compartilhar com aqueles que estão necessitados e doar às causas que estão realizando um trabalho digno para o louvor de Sua glória.

Você também deve ministrar a Ele partindo o pão e participando da comunhão. O povo de Deus deve lembrar-se Dele regularmente na celebração da Ceia do Senhor. Isto não precisa fazer parte de todas as reuniões, mas somente quando Ele dá orientação pelo Seu Espírito. Este deve ser sempre um momento de dedicação especial e de exame de coração; você deve considerar seriamente o significado desta observância. Muitos benefícios para todo o Corpo podem ser obtidos se for praticado com compreensão, discernimento e submissão a Ele. Mas muito julgamento pode ocorrer se você não entrar totalmente na realidade do sacrifício que os emblemas representam e se você não conseguir se apropriar da limpeza e da cura que eles representam. Deveria ser um momento especial de exame de coração, confissão e petição.

Quando vocês se reunirem, não procurem ministrar, exceto quando o Senhor os capacitar e os dirigir pelo Seu Espírito; e tome cuidado para não interferir com aquilo que é de sua própria carne e de seus próprios desejos. Aqueles que Ele colocou no Corpo para guiar e pastorear serão rápidos em discernir e em corrigir aquilo que não está em harmonia com o Espírito. Todos devem estar prontos para ministrar conforme a orientação do Espírito, para que cada reunião possa ser uma experiência gloriosa na presença e comunhão do nosso Abençoado Senhor e Salvador.

Este quadro da reunião dos santos não pretende ser algum tipo de cronograma, como se as coisas mencionadas sempre seguissem uma certa ordem ou padrão. Há uma variedade de maneiras pelas quais as reuniões podem progredir conforme a orientação do Espírito Santo. Acabei de apresentar os elementos que podem fazer parte do ministério do Corpo de Cristo à medida que nos reunimos em Seu Nome.

 

O QUE DEUS QUER?

 

Os artigos anteriores começam a lançar alguma luz sobre o que Deus deseja para Sua Igreja neste tempo final. Tendo começado a ver a luz pela revelação do Espírito, tenhamos muito cuidado para não tentar cumprir aquilo que vimos pela sabedoria e energias da carne. Estes artigos enfatizam que este é um plano espiritual para um povo que deseja ser completamente guiado pelo Espírito. O que o Senhor revelou, Ele cumprirá e realizará se apenas nos colocarmos à disposição e lhe obedecermos em tudo o que Ele nos mostrar para fazer.

O que o Senhor esteve disposto a tolerar e até mesmo a usar em certa medida no passado, é diferente do que Ele deseja hoje. Deus é perfeccionista e não se contentará com nada menos do que Sua ordem perfeita para Sua igreja. Esta era da Igreja não pode terminar até que aquilo que é revelado em Sua Palavra seja cumprido. Deus ignorou os tempos da nossa ignorância, mas agora Ele nos ordena que nos arrependamos e mudemos os nossos caminhos à luz daquilo que Ele está revelando. Dizer que estávamos andando na luz revelada de Deus no ano passado não significa que estamos andando na Sua plena luz revelada hoje. Devemos continuar a andar na luz à medida que o Senhor nos dá maior compreensão e iluminação daquilo que Ele deseja. Se sentirmos que chegamos ao máximo do que Deus deseja, então certamente perderemos Sua vontade perfeita para o Seu povo nos anos finais desta era da Igreja. O que sabemos no passado não é suficiente para agora, e o que sabemos agora não será suficiente para o amanhã. Somente quando caminharmos na (plena) luz daquilo que Ele está revelando e continuará a revelar, poderemos ter comunhão (plena) uns com os outros e continuar a progredir em Seu plano para este tempo final.

De uma coisa podemos ter certeza. Deus não está interessado em tentar refazer o antigo. Os sistemas eclesiásticos do passado serviram ao seu propósito e ainda servem a um determinado propósito, mas são roupas velhas nas quais Deus não colocará um remendo novo, e odres velhos nos quais Ele não derramará Seu vinho novo. (Marcos 2:22). O Senhor quer Igrejas locais estabelecidas de acordo com Seu Plano e ordem Divina. Ele quer um povo que esteja disposto a sair daquilo que conhecia antes e começar a caminhar na nova luz que Ele está dando. para o Seu povo nesta hora. 

Ao considerar estes artigos, você verá que eles revelam o que o Senhor deseja quando Seu Corpo começar a funcionar em Sua ordem divina, com cada assembleia local ou unidade de célula tendo chegado ao lugar onde os presbíteros são colocados pelo Espírito Santo, e onde os ministérios estão sendo guiados pelo Espírito para ministrar onde quer que o Senhor direcione e pelo tempo que Ele julgar sábio. Devemos lembrar-nos que estamos agora num período de transição, e muito poucas Igrejas ou assembleias locais estão a funcionar na ordem divina de Deus. Portanto, devemos ser pacientes e deixar que o Senhor coloque Sua casa em ordem à medida que Ele revela Seu Plano. Não devemos tentar fazer ou construir algo por conta própria. Aqueles que desejam fazer parte daquilo que o Senhor está fazendo devem reunir-se com outros que pensam da mesma forma e buscar sinceramente ao Senhor Sua orientação, esperando que Ele envie os ministérios de que necessitam. Se o Senhor os instruir a convocar um ministério específico para ajudá-los, eles poderão fazê-lo. No tempo e na providência do Senhor, esse ministério será enviado.

Qualquer ministério pode ser usado para ajudar a iniciar uma assembleia ou Igreja local, mas apenas um apóstolo pode nomear aqueles que serão os presbíteros, e isto apenas pela revelação do Espírito. Grande destruição tem sido causada por presbíteros nomeados por homens, bem como por ministérios nomeados por homens. Não deve haver nenhuma tentativa de ordenar presbíteros num determinado lugar, até que o Espírito Santo os nomeie através de chamada apostólica. Qualquer ministério que seja usado pelo Senhor para ajudar a estabelecer uma Igreja local, retém a autoridade oficial e espiritual sobre esse grupo, até que o Espírito Santo se ponha nos presbíteros. O ministério então renuncia à sua autoridade exclusiva, e trabalha com os presbíteros ou pastores, para edificar o Corpo de Cristo naquele lugar. Ele continuará a ter maior autoridade espiritual por causa do ministério que o Senhor lhe deu, mas a sua autoridade oficial será limitada à de um presbítero entre os presbíteros. Depois que o Espírito Santo tiver colocado os presbíteros, o ministério deve ser sensível ao Espírito para saber quanto tempo eles terão para continuar o seu ministério em determinado lugar, percebendo que o Senhor pode querer que eles ministrem a outros grupos e enviem outros ministérios para onde quiserem. eles têm sido.

 

A COLHEITA DA IDADE

 

Há um tempo de semear e há um tempo de colher (Ap 14:15). O Senhor preparou e esperou, pacientemente, por este dia, como um agricultor espera e trabalha pela colheita de suas colheitas, está madura, e a foice será colocada para ceifar.

O que é essa foice? É a foice da verdade que sairá com poder nestes últimos dias. É a Palavra de Deus que sairá e essa Palavra não retornará para Ele vazia (Isaías 55:11). Ele enviará essa Palavra com poder e autoridade através de vasos especialmente preparados para esta hora – vasos que foram preparados por Ele para que possa usá-los como instrumentos de Seu propósito. Você está pronto? A hora está próxima!

Há mais de uma colheita. Há uma colheita que resultará do plantio da justa semente da verdade do Senhor, e há uma colheita que virá da semente plantada pelo inimigo — sim, a semente e a colheita da iniquidade. A iniquidade será colhida pela iniquidade; e a verdade será colhida com a verdade. O Senhor levantará ceifeiros das terras iníquas da impiedade, nas quais Ele dará a foice da destruição, e eles sairão para colher uma grande colheita naquele dia. A plantação do inimigo está chegando à sua plenitude e a colheita da iniquidade está quase madura; uma grande colheita do mal será ceifada naquele dia, quando o Senhor enviar Seu poderoso exército de ceifeiros para matar e destruir, assim como eles colhem a videira da terra e a lançam no lagar da ira do Deus Todo-Poderoso.

Um dos ceifeiros que o Senhor levantou nestes tempos foi o poderoso ceifeiro do comunismo. Todos sabemos que o símbolo do comunismo era o martelo e a foice. Esta foice também será usada para colher a colheita da iniquidade em todo o mundo. A própria foice será destruída no próprio ato de seu uso. O Senhor o enviará para ser lançado na fornalha ardente de Sua justa indignação; pois depois de ter sido usado, o Senhor transformará e destruirá aquilo que Ele usou. No entanto, surgirão outras “foices” que o Senhor também usará para colher neste tempo final. 

A foice da verdade produzirá sua colheita ao mesmo tempo em que a foice da iniquidade estiver fazendo sua obra – uma, uma grande colheita de justiça para a vida, e a outra, uma grande colheita de mal, para a morte. Mas a colheita para a vida será grande, à medida que multidões se voltarem para o Senhor neste dia vindouro. E Ele os fará conhecer os Seus caminhos, e eles O buscarão de todo o coração, e uma grande colheita será produzida. É a consumação e o cumprimento de tudo o que o Senhor trabalhou e preparou desde o momento em que a boa semente foi semeada pelo Filho do Homem (Mateus 13:24). E agora isso se concretizará. Muitos são os vasos que serão preparados para estes dias, para que o Senhor tenha instrumentos para colher a colheita da terra

A colheita será dupla. Primeiro, as Primícias que foram especialmente preparadas pelo Senhor serão “cortadas” do campo de colheita da terra – mesmo neste tempo do fim – e serão levadas para o reino celestial, e então a colheita principal começará. Aqueles que foram deixados para fazer a colheita, bem como aqueles que são colhidos durante o tempo da Grande Tribulação, serão recebidos pelo Senhor, no final da Era, em que a colheita for concluída. Aqueles que foram recebidos antes da Tribulação, mesmo como primícias para o seu Deus, ajudarão os ceifeiros à medida que forem enviados. Pois eles os envolverão e os protegerão e falarão com eles para que possam ser fortalecidos e fortalecidos contra todas as forças que viriam contra eles naquele dia. 

Mas e aqueles que não serão colhidos para a vida e a glória no reino celestial no final da Tribulação? Haverá aqueles naquele dia [aqueles] que não estarão prontos e maduros para serem “arrancados” da terra e reunidos no celeiro celestial. Eles serão protegidos naquele dia, para que possam continuar a amadurecer e crescer até a maturidade que o Senhor planejou para eles. Eles entrarão na imortalidade na Terra, onde continuarão a progredir no Plano de Deus. Nem todos os que se voltarem para o Senhor naquele dia, estarão prontos para entrar no reino celestial. Muitos que se voltarem para Ele, não estarão prontos para serem colhidos no reino e na glória celestiais. Eles serão deixados no campo da terra para continuarem a progredir naquilo que o Senhor escolheu para eles. Está escrito que Eliseu foi deixado para trás, quando Elias foi arrebatado ao céu (II Reis 2:12). E há aqueles, como Eliseu, que veem seus companheiros indo para o Senhor, e ficam para trás. Assim como Elias foi levado aos olhos de Eliseu, o Senhor levantará naquele dia um exército que será visto enquanto eles forem. E os que ficarem para trás pegarão imediatamente o manto dos que foram levados, e entrarão no poder dos glorificados que foram recebidos fora de sua vista, e, cruzando o “Jordão” em terra seca, entrarão em imortalidade na terra, e eles exercerão o poder concedido àqueles que não terão morte em seus corpos físicos.

Assim, aquilo que o Senhor planejou para esta terra, verá o seu cumprimento inicial. Aqueles que estão prontos para entrar na imortalidade em corpos físicos, à medida que a multidão de santos é levada, serão os precursores e as primícias daquilo que se tornará a herança comum daqueles que andam retamente diante Dele durante o grande “milênio de paz”. Muitos entrarão na vida imortal na Terra em corpos físicos, como o Senhor originalmente pretendia que fossem, e continuarão a viver sem morte por centenas de anos, mesmo indefinidamente, até que chegue o momento de serem transladados do mundo terreno para o mundo. celestialE naquele dia, Sua verdade será revelada a respeito daquilo que é necessário para entrar na imortalidade na carne humana; pois este é o “evangelho”, ou boas novas, que serão pregadas naquele dia. E a terra será povoada por aqueles que não conhecem morte, doença ou sofrimento de qualquer tipo. 

Mas primeiro a colheita desta era deve ser completada, antes que a próxima era possa começar. Pois a colheita de uma era, é a semeadura da próxima, e aquilo que o Senhor semeia no início, atinge sua consumação no final. Assim, no exato momento em que os santos serão colhidos no reino celestial, os imortais serão manifestados na terra, para plantar a semente para a Era iminente, quando uma grande multidão entrará na imortalidade em carne humanaE essa Era também verá a sua colheita, quando aqueles que entraram na imortalidade serão reunidos no reino celestial, à medida que forem transladados do reino terreno para o reino celestial. O Plano de Deus é sempre progressivo, alcançando planos de avanço cada vez mais elevados, em direção ao objetivo final que Ele determinou, quando o Seu plano foi plenamente executado antes da fundação do mundo. Muitas Eras ainda devem ir e vir antes que a obra final que está determinada aconteça.

O véu das trevas está a levantar-se, e aquilo que esteve escondido desde Eras e gerações anteriores, está agora a ser divulgado. Então preparem seus corações, pois vocês têm muito que aprender. Não posso dar-lhe tudo de uma vez, para que não tropece na magnitude da revelação, e não seja capaz de compreender ou assimilar.

 

 

A “COMPANHIA” FILHO VARÃO  

 

O Senhor está se movendo pelo Seu Espírito para realizar o cumprimento daquilo que está registrado em Sua Palavra. Um filho varão nascerá e será arrebatado ao trono de Deus (Ap. 12:5). Uma mulher é mostrada vestida com o sol e a lua sob seus pés, e uma coroa de estrelas em sua cabeça. O Senhor reunirá em uma só, uma Igreja gloriosa, que será revestida de poder espiritual, e com tudo o que é da alma, ou vida própria, colocado em sujeição sob seus pés. Ela funcionará na plenitude de Sua aliança, que é mostrada pela coroa de estrelas em sua cabeça. Isso tem seu arquétipo no céu, até mesmo uma Igreja gloriosa. Quando esta Igreja começar a funcionar na plenitude do Poder Divino, tendo sido conformada em todas as coisas, com o caminho e a ordem divina estabelecidos na Palavra de Deus, então do ventre daquela Igreja surgirá aquele que é descrito como “um filho varão” … “Este filho representa aquele grupo ou companhia maduro e aperfeiçoado que surgirá para ministrar com poder nestes últimos dias”. 

O homem é um tipo e uma imagem do espírito que habita o corpo físico, e a mulher é um tipo e uma imagem da alma, que envolve o espírito e interpenetra o corpo físico. Assim como Eva deveria estar sujeita a Adão, a alma, que é a sede do desejo e da emoção, deveria estar sujeita ao espírito residente que é gerado por Deus. Assim como a mulher representa a Igreja gloriosa, isto também retrata aquele estado ou condição entre o povo de Deus, que ainda não atingiu a maturidade. Embora seja mostrado que a mulher tem a lua sob seus pés (sendo a lua também um símbolo da alma), ela ainda está refletindo daquele poder espiritual no qual está vestida, o estado anímico ou lunar de imperfeição e imaturidade. Glorioso, sim, mas não totalmente aperfeiçoado. Assim, temos o duplo testemunho de sua condição, ainda um tanto anímica, pelo fato de a lua da alma, ainda estar na imagem e pelo fato de ela ser representada como uma mulher, o que também é um tipo de alma.

Agora você pode entender por que aquilo que vem da mulher é retratado como um filho varão. Mostra que o grupo ou companhia que surge, atingiu aquele mínimo de perfeição ou plenitude que o Senhor exige. E assim como o homem é um tipo do espírito residente, que deve governar a casa ou lar do corpo físico, o filho varão também representa aquela maturidade e plenitude que são necessárias, para surgir com poder naquele ministério ordenado para estes últimos dias. Também lemos que o filho varão será arrebatado ao trono de Deus (Ap 12:5). Um trono é um símbolo de poder e autoridade. Os que fazem parte do grupo de filhos varões serão investidos de poder para realizar uma obra poderosa para o Senhor nestes últimos dias.

Agora vou lhe mostrar um mistério que não é facilmente percebido por aqueles que entendem os propósitos de Deus para esta empresa. O grupo de filhos varões, sendo o primogênito daquele que surgirá com poder, deve ser dividido, assim como as “primícias” são divididas no molho que é cortado e retirado do campo de colheita, e as primícias que são deixadas no campo de colheita na terra para agir como um fermento de verdade e justiça, até que a obra da época da colheita esteja completa. O filho varão será elevado ao poder e à autoridade em duas empresas distintas. Primeiro, haverá aqueles das Primícias que serão transladados e arrebatados aos lugares celestiais, para receberem uma comissão para atuarem com poder nos reinos além do véu. Estes serão os 144.000 de Apocalipse 14:1. Eles não funcionarão mais em corpos físicos, mas em corpos glorificados, e ministrarão durante a Tribulação, da perspectiva do reino celestial, o Monte Sião, que é um tipo do Reino celestial e verdadeiro espiritual de Cristo. Eles estarão trabalhando com aquela outra parte do filho varão que resta na terra e que será arrebatada a uma posição de poder e autoridade e comissionada para fazer um trabalho na terra enquanto ainda está em seus corpos físicos. Este é o segundo cumprimento do filho varão, sendo arrebatado ao trono de Deus. Para ambos os grupos é uma recuperação, mas um para a autoridade e poder celestial, e o outro para a autoridade e poder terreno. 

Isto é retratado nas Escrituras quando o filho varão é arrebatado ao trono de Deus. Então, o dragão faz guerra ao remanescente ou remanescentes da semente ou descendência da mulher (Ap 12:17). Este remanescente é aquela porção do grupo de filhos varões que foi deixada na terra para avançar com poder nos últimos dias, e será ajudada pela outra porção ou grupo que foi arrebatado aos lugares celestiais. Aqueles que estão nos lugares celestiais terão o poder de aparecer e falar com aqueles que ainda estão na terra. E eles serão capazes de dar-lhes a proteção e a orientação de que precisarão naquele dia.

Isto é retratado pelo fato de que uma porção dupla foi dada ao primogênito (Deuteronômio 21:17). O Senhor também terá uma companhia de porção dobrada nestes últimos dias. Esta porção dupla é simbolizada pelo celestial e pelo terreno. Uma parte do filho primogênito estará nos lugares celestiais, operando com poder naquele reino, e a outra parte do filho varão operará no reino terrestre naquele ministério que será confiado a eles.

 

AS PRAGAS E AS TROMBETAS 

 

 

Aquilo que é mencionado nas Escrituras como o “Dia do Senhor” está agora próximo. Já começou a amanhecer. O Senhor está vindo ao Seu povo como o nascer do sol da manhã. Somente aqueles que estão acordados quando o amanhecer começa a nascer, são capazes de ver a luz. Outros ainda estão dormindo e, embora a luz esteja nascendo, eles ainda estão nas trevas. Está escrito na Palavra de Deus que Ele chama você para “Despertar e levantar-se, e Cristo te iluminará” (Efésios 5:14). Despertem, pois agora mesmo, o dia amanhece, e a estrela da alva está surgindo em seus corações, para dar luz e entendimento para este tempo (II Pedro 1:19). Para aqueles que não estão acordados para ver a luz, será um tempo de escuridão grosseira e intensa como o mundo nunca viu, assim como as trevas que cobriram a terra do Egito, durante três dias as trevas cobriram a terra. Assim haverá três anos de intensas trevas sobre a terra, pois o Senhor decretou um dia para um ano (Ezequiel 4:6). Os homens tatearão como cegos e não serão capazes de encontrar o caminho, pois o Senhor lhes enviará um espírito de ilusão, porque agora estão recusando a luz e a verdade. Portanto o julgamento cairá sobre eles naquela horaAssim como as pragas ocorreram na terra do Egito, as pragas também estarão nesta terraMas o Senhor separará um lugar para o Seu povo, assim como separou a terra de Gósen na terra do Egito. Haverá um lugar seguro e haverá luz (compreensão) de todos os caminhos do Senhor naquele dia, para que Seu povo não seja deixado nas trevas, sobre o que fazer e para onde ir.

 

Assim como o Senhor chamou os israelitas por meio de Moisés para se prepararem para as trevas, e invocarem o Nome de seu Deus, da mesma forma Ele nos chama nesta hora, para nos prepararmos para as trevas que estão por vir; pois este é o dia da preparação. Preparai o caminho do Senhor e endireitai as suas veredas para que vocês possam conhecer e ver o caminho naquele dia. Não tome providências para os caminhos carnais, mas tome providências para a vida do Espírito, e entregue-se totalmente a Ele, para que você possa ser uma trombeta nesta hora. As trombetas do Apocalipse estão agora sendo desdobradas, e uma trombeta de advertência está soando, para alertar as pessoas sobre o próximo dia de batalha. Então levante sua voz como uma trombeta e prepare Seu povo.

 

Está escrito que dez pragas caíram sobre o Egito. Assim também o Senhor está trazendo dez pragas sobre este mundo. Quatro das pragas aconteceram (apenas até certo ponto – o cumprimento completo aguarda a Tribulação). Seis ainda estão por vir. A última praga será a pior, à medida que as Taças da ira forem derramados e haverá uma grande destruição na terra. Um grande clamor e lamento surgirão. Assim como o Senhor libertou Seu povo, quando o anjo da morte atacou a terra do Egito, também nos últimos dias, o Senhor libertará aqueles que têm o sangue de seu Salvador aspergido em seus corações. Está escrito que Moisés conduziu o povo para fora do Egito naquele dia. Assim o Senhor liderará e retirará um grande exército do mundo para que se juntem a Ele no reino celestial. Agora é o dia da preparação. Aqueles levados a Ele verão Sua herança, e governarão e reinarão com Ele sobre a terra, à medida que Ele traz todas as coisas em harmonia com Sua Vontade.

 

Das seis pragas restantes que virão sobre o mundo, duas ainda virão antes da Grande Tribulação, e as últimas quatro ocorrerão simultaneamente durante toda a Tribulação, mesmo durante os três anos aproximados de grande terror e escuridão. E haverá uma grande matança na terra, à medida que multidões serão mortas na batalha do grande Dia de Deus. A batalha começará logo após a metade do caminho, nos três anos e meio descritos em Apocalipse 11-13. Ele continuará por um período de quase 21 meses até o final da idade. Depois que os três anos e meio terminarem, e o povo de Deus tiver sido atraído e elevado para fora do mundo, então as sete taças consumarão todas as coisas e trarão grande destruição, de modo que restarão poucos homens (Isaías 13:12).  Porque a terra será coberta com os seus mortos naquele dia (Ezequiel 39:12-14).

 

Agora deixe-me explicar-lhe as sete trombetas do Apocalipse. Embora ocorram pragas de destruição durante o toque das sete trombetas, as próprias trombetas anunciam estágios progressivos, do trato de Deus com Seu povo, durante esse tempo. As dez pragas que vêm sobre o mundo, não são mencionadas como tal no Livro do Apocalipse, mas ocorrem continuamente durante o tempo das sete trombetas. Aquilo que é descrito, como ocorrendo durante as primeiras seis trombetas, retrata o trato de Deus com Seu povo, para despertá-lo e trazê-lo ao lugar onde Ele possa usá-lo durante o período da Tribulação.

 

O próprio período da Tribulação é sinônimo do toque da sétima trombeta, pois este é o momento em que Seu povo sairá com poder, para colher uma grande colheita na terra. Este também é o momento em que as últimas quatro pragas cairão sobre os habitantes da terra.

Por meio dos eventos que se desenrolam durante o toque das sete trombetas, Ele está trombeteando uma mensagem de preparação ao Seu povo, pois, por meio de uma trombeta, o Seu povo de antigamente foi chamado para a batalha. As trombetas soam agora para a preparação da batalha do grande dia do Deus Todo-Poderoso. E enquanto as trombetas tocam, e vários eventos acontecem no cenário mundial, Ele está tentando despertar as pessoas com toques de trombeta. Mesmo agora, as forças do mundo inferior, estão a ser libertadas, para trazer um mal maior à terra, para que o povo de Deus veja os sinais dos tempos, e desperte para o seu tempo de preparação.

 

A Palavra de Deus é rica e multifacetada. Uma aplicação não esgota o seu cumprimento. Visto que Deus conforma tudo a um padrão básico, haverá muitas fases de cumprimento dos tipos-na-verdade, que são retratados nas Escrituras. A partir de um ponto de aplicação, há um cumprimento contínuo das pragas durante todo o período final. De outra aplicação mais curta e intensa, as pragas ainda são futuras, e ocorrerão durante o tempo da Grande Tribulação que ainda está por vir. O cumprimento das pragas, também pode ser visto de outras perspectivas, mas não tentarei explorar este assunto no momento. Escusado será dizer que, Deus está agora trazendo, e trará, julgamento sobre este mundo, que é tipificado pelo antigo Egito, que o grande Faraó (Satanás) será forçado a deixar o povo de Deus ir livre para que possam servÍ-Lo.

 

 

A QUINTA TROMPETA 

 

“Onde está o mundo agora, diz o Senhor? Não há ninguém que possa revelar, o que o Senhor quer revelar ao Seu povo, a respeito dos eventos que estão prestes a irromper na terra? Não há ninguém para proclamar que o tempo veio para que as hostes de Satanás saíssem em enxame do abismo, onde foram confinados? (Apocalipse 9:1-3) Você não sabe que eu limitei a atividade do mundo inferior, para que o homem não fosse corrompido além da medida? Mas você não percebe que agora vou liberar as forças do abismo, para que o homem possa ser testado, de uma forma que nunca aconteceu antes? Mesmo agora o caminho está sendo preparado, para os estágios finais daquilo que eu propus fazer. Mesmo agora estou preparando minha armada celestial para lutar contra as forças de Satanás, às quais será permitido livre acesso à humanidade, para trazer as cenas finais da batalha, de longa data, que tem sido travada desde os tempos da queda.

Onde, na minha Palavra, você encontra uma imagem deste desencadeamento das hostes satânicas da maldade, que foram restringidas até agora? Pois eu digo, que limitei o número e a atividade dos espíritos malignos em tempos passados, para que meu plano não fosse subvertido. Mas agora estou pronto para permitir, que todo o número de legiões de Satanás, tenha pleno reinado sobre a terra, para levar a efeito a plenitude da iniquidade nestes dias. E muito medo tomará conta dos habitantes da terra, ao verem os resultados deste desencadeamentoPois do abismo eu permitirei, que as hostes do mundo inferior, venham e ataquem os habitantes da terraA maldade do homem tornar-se-á grande, à medida que ele sucumbir às subtilezas do inimigo, e grandes serão as perversões da verdade, e as distorções da justiça, à medida que o mundo inferior exerce o seu impacto final, sobre uma humanidade insuspeita e não preparada. 

Você não lê na minha Palavra que, quando a quinta trombeta soar, o abismo será aberto e as hostes invisíveis das trevas terão liberdade para atacar os habitantes da terra? (Apocalipse 9:1-11).  E não têm sobre eles um rei chamado Abadom? (Apocalipse 9:11), E não é este rei um tipo de Satanás que está liderando os espíritos malignos em sua guerra? E você não leu que a semelhança daquelas criaturas, que foram libertadas, era como a semelhança de gafanhotos? (Apocalipse 9:3). E os gafanhotos não devastam tudo em seu caminho?  E a libertação destas hostes satânicas não trará um grande flagelo à humanidade, até que não reste nada de valor? (da perspectiva estritamente humana). Eu digo a você, ouça o que eu falo com você, pois agora mesmo, a quinta trombeta está soando, e mesmo agora, os espíritos malignos estão sendo libertados da cova. Eles estão sendo liberados gradualmente, para que o que pretendo não seja precipitado muito cedoE continuarão a ser liberados durante o toque da quinta trombeta. Pois o número cinco é o número da liberdade. Assim, estou dando maior liberdade às forças de Satanás, para subverter as massas do mundo, para que o meu plano alcance a sua consumação neste momento

Consideremos agora os efeitos desses espíritos atormentadores, sobre os habitantes da Terra. A escritura não diz, que eles foram atormentados por cinco meses? (Apocalipse 9:5). E não é isto novamente uma imagem, da liberdade de acesso, que os espíritos malignos terão durante um período de tempo? E a Palavra não diz que, os atormentados procurariam a morte e não a encontrariam? (Apocalipse 9:6). Não é esta uma imagem do grande medo, que se apoderará dos habitantes da terra, e a sua busca pela morte, não é um símbolo do seu desejo de escapar destas coisas, mas sendo incapaz de fazê-lo? Eu lhe digo que, a morte, nem sempre significa a cessação da vida física, mas sim, uma fuga para um reino, onde os tormentos da vida não podem chegar.  Assim, neste dia, muitos tentarão escapar dos efeitos atormentadores da atividade dos espíritos malignos, mas não serão capazes de encontrar um lugar para se esconder, pois toda a terra sentirá o impacto do desencadeamento das hordas satânicas.   

Ouça minha voz, meu povoVocê acha que escapará do ataque desses espíritos malignos?  Você acha que conseguirá ficar de pé, sem minha ajuda?  Portanto, você deve olhar para mim e confiar em mim. Você deve gastar muito tempo buscando minha face, e estudando minha Palavra. Pois eu o apoiarei apenas, na medida em que você confiar em mim para fazê-lo, e na medida em que estender a mão para receber minha força. Pois estes são tempos terríveis, meu povo, e somente aqueles que olham para mim, serão capazes de evitar cair no pântano da maldade e da impiedade, que engolirá toda a humanidade. 

E agora, o que mais eu gostaria que você soubesse sobre este dia? Acontece mesmo que as hordas malignas do mundo inferior, chicotearão as massas das terras pagãs, numa orgia de derramamento de sangue, sem precedentes na história desumana. Pois grande será o massacre de vidas humanas, à medida que as massas se levantarem para clamar pelos seus direitos, e procurarem tomar as coisas nas suas próprias mãosE multidões frenéticas governarão muitas terras, e farão com que todos os que se opõem a elas sejam mortos. E muitos perecerão em tumultos e revoluções, enquanto os homens procuram exigir aquilo que lhes foi negado. Ninguém será capaz de impedir o aumento das massas, à medida que se levantam neste diaE grande será o medo que tomará conta dos corações das pessoas, ao verem o caos e a ruína, que varrerão muitas terras. [Países]. 

Ouça minha palavra, meu povo. Não deveriam esses espíritos malignos atacar todas as fraquezas humanas, e trazer à tona, todos os instintos básicos da raça humana? Pois a luxúria e a ganância do homem, atingirão um grau nunca alcançado antes. A perversão será grande na terra, à medida que os espíritos do mundo inferior atormentarem os homens, com desejos e anseios profanos, e à medida que os incitam à avareza e à cobiça, e à medida que agitam as suas emoções ao nível febril com inveja, ódio, malícia e todos os outros sentimentos sinistros.

 E agora considere a quinta trombeta, no que se refere aos eventos sucessivos. Aquilo que é desencadeado sob a quinta trombeta, traz um tal espírito de inquietação na terra, que multidões são atormentadas por todos os desejos e anseios profanos, e o caos resultante, levará os homens a procurar alianças, com algum tipo de governo todo-poderoso, que será capaz de manter a ordem e a paz na terraAssim, serão lançadas as bases para o surgimento de um governo todo-poderoso, que prometerá paz e segurança, a todas as nações que estiverem sob o seu domínio. E, assim, surgirão os poderes bestiais de Apocalipse 13, [o governo do Anticristo], para controlar os habitantes da terra, e fazê-los prestar lealdade ao deus da força materialista. Pois haverá dois animais [duas Bestas], que surgirão. A primeira [Besta], já teve a sua origem no conjunto comunista de nações. A segunda [Besta], vai emergir como uma coligação de nações comunistas e não comunistas que procurarão impor um domínio socialista mundial às nações, imposto por uma força policial mundial. Tentarão fazer com que todos os homens adorem, e se curvem à imagem que criarão, que é, na realidade, a imagem da primeira Besta ou do socialismo mundial. Aproveitando o caos dos tempos, a segunda Besta surge para impor uma ditadura socialista mundial sobre as nações da terra, apresentando-lhes a imagem de uma ordem, e de uma economia planeadas, que proporcionarão paz e abundância para todos.

Devido ao desespero dos tempos, o povo estará pronto para receber esta promessa da Utopia, e receberá a marca da besta na testa e nas mãos. E assim, darão assentimento mental à sua imagem ou idealismo, acreditando numa mentira em vez da verdade, e serão forçados a trabalhar para a sua realização, dando-lhe o poder da sua mão. Quando for demasiado tarde, as nações descobrirão que renunciaram aos seus direitos, e à sua liberdade, por algo que é apenas uma ilusão. Mas ficarão irremediavelmente presos numa teia, que eles próprios criaram, e não conseguirão libertar-sePois os poderes bestiais terão os meios de impor o seu domínio sobre todos

Somente quando as condições chegarem ao ponto em que, a terra da Palestina estiver ameaçada de tal forma, que o judaísmo mundial fica alarmado, que o jugo começar a ser quebrado. Quando as nações ocidentais, que se tornaram parte da coligação da segunda Besta, descobrirem que os seus interesses no Médio Oriente estão ameaçados, então os judeus mundiais, em cujo poder as nações ocidentais foram em grande parte entregues, começarão a resistir aos avanços da a primeira Besta [o Anticristo], no Oriente Médio e Palestina. Então a coligação começará a desfazer-se, e a segunda Besta [o Falso Profeta], perderá o seu poder de fazer com que todos os homens adorem a imagem da primeira besta [o Anticristo]. As nações ficarão divididas e o conflito começará a intensificar-se, à medida que as nações ocidentais, lideradas pelas potências financeiras dos judeus mundiais, começarem a combater a invasão comunista da PalestinaEntão uma centelha de patriotismo renovado, começará a ser acesa nas nações ocidentais, e o Espírito de Deus começará a vivificar, nos corações daqueles que viram a loucura da imagem do socialismo mundial, baseado no governo monolítico. O fogo do reavivamento, que arderá nas nações ocidentais da cristandade começará, a influenciar os que ocupam posições elevadas, e a vontade de resistir aumentará rapidamente. Os meios de conter a onda de expansão comunista na Palestina, serão reunidos rapidamente, e os corações das pessoas serão tocados como nunca antes. A batalha de todos os tempos começaráPorque não está escrito que todas as nações serão reunidas contra Jerusalém para batalhar? (Zacarias 14:2). Assim, deve a Palestina ser o fósforo, que acenderá a chama da conflagração, que envolverá o mundo inteiro, e não haverá trégua, até o clímax final, quando o próprio Senhor será revelado em fogo flamejante. (II Tes. 1:7-8). Então, tudo o que foi desencadeado na fúria satânica, alcançará a sua consumação, e a batalha de todos os tempos encontrará a sua conclusão. Então aquelas hostes que vieram do abismo retornarão ao seu próprio reino, para não mais atormentarem [os Homens], até que mil anos de justiça tenham deixado sua marca nos habitantes da terra

[Pr. Waltenir Porto. Com muito temor e tremor, por se tratar de uma Palavra de Profecia dada, eventualmente, pelo Senhor Jesus à Sua Igreja, vejo claramente a influência do irmão Pastor J. Leland Earls, quando atribui ao Comunismo/Socialismo e “potências financeiras dos Judeus Mundiais”, o controle da situação reinante em todas as nações da terra… A Bíblia é enfática ao afirmar que, tanto o Anticristo (1ª Besta), como o Falso Profeta (2ª Besta), receberão o PODER e Autoridade do Dragão, e não da ONU ou quaisquer potências mundiais… Apocalipse 13:2,3-4 diz: “[…] e o dragão deu-lhe o seu PODER e o seu TRONO e grande autoridade… e continua nos versos 3 e 4 dizendo: […] Toda a terra se maravilhou seguindo a besta, e adoraram o dragão, porque deu à besta a sua autoridade; e adoraram a besta, dizendo: quem é semelhante a besta? Quem poderá batalhar contra ela?”. Assim, estará armado o cenário para a BATALHA DO ARMAGEDOM, ao final do governo dos Homens sobre a terra…].  

Então, meu povo, agora mesmo as agências do abismo estão começando a se multiplicar na terra, e a sorte está lançada, para os habitantes da terra. Ninguém será capaz de deter a mão do Todo-Poderoso, até que o fomento do mal, tenha seguido o seu curso, e a epidemia da iniquidade, tenha terminado a sua obra. Então virá a libertação do alto, quando as hostes do Todo-Poderoso vierem para derrotar as forças de Satanás, e lançá-las no abismo de onde vieram. 

E agora considere a imagem final daquilo que você leu na minha Palavra. Acontece mesmo que muitos meses se passam, enquanto as forças do mundo inferior realizam suas atividades atormentadoras. Mesmo assim, moverei, pelo meu Espírito, durante esses muitos meses, para trazer um avivamento e libertação na terra, para aqueles que têm fome do seu Deus. E poderoso será o poder espiritual que estará na Terra, à medida que Meus servos, especialmente preparados, saírem para confrontar o inimigo, com o poder de seu Deus. Enquanto o mundo fervilha de agitação, sob a influência atormentadora das hordas de Satanás, aqueles que se voltam para mim, encontrarão uma grande libertação, e uma poderosa vitória naquele dia.  Portanto, regozije-se por poder conhecer a verdade que o libertará de todo o medo, e lhe dará grande confiança e segurança, para os dias que virão. E agora não se preocupe […] por causa do que foi revelado, pois estou com você para guardá-lo e protegê-lo de todo mal, diz o Senhor.”

(fim da profecia.)

………………………………………………………………………………………………………………..

 

 

Elias vem primeiro

Versão completa

(não datado)

 

         [Um olhar profundo sobre os tipos proféticos e as sombras do ministério de Elias aplicado ao fim dos tempos]

 

 

ELIAS VEM PRIMEIRO

 

INTRODUÇÃO

 

Foi profetizado sobre João Batista, antes de seu nascimento, que ele iria diante do Senhor “no espírito e poder de Elias” (Lucas 1:17). No entanto, quando João começou seu ministério de pregação, ele foi questionado à queima-roupa pelos sacerdotes: “Você é Elias?” João respondeu com a mesma insistência: “Eu NÃO sou” (ver João 1:21). Vivendo antes, deveria ser um exemplo e um aviso para nós. Qualquer pessoa que afirma ser ELIAS, ou alguém do passado, é certamente FALSA! Aqueles que são verdadeiramente chamados por Deus, não fazem afirmações presunçosas. No entanto, nós iremos, veja neste estudo que João Batista cumpriu as profecias de “Elias” para seus dias, e que haverá um cumprimento dessas mesmas profecias de “Elias” para nossos dias, não por algum homem que afirma ser Elias que voltou, mas por um movimento preparatório do Espírito de Deus.

João Batista deveria PREPARAR O CAMINHO do Senhor da seguinte forma: “E ele converterá muitos dos filhos de Israel ao Senhor seu Deus… para converter os corações dos pais aos filhos, e os desobedientes à SABEDORIA. dos justos; PREPARAR um POVO preparado para o Senhor” (Lucas 1:16-16). Preparar O CAMINHO é preparar um POVO que VOLTARÁ dos seus caminhos para o CAMINHO DE DEUS. Isto exige um ARREPENDIMENTO (um Retorno) e uma RESTAURAÇÃO (do CAMINHO). Este povo (um “remanescente das primícias”) que se voltará de todo o coração para ser estabelecido em SEU CAMINHO, se tornará então, O CAMINHO para multidões durante o tempo da grande colheita que está por vir. Para compreender mais aspectos dessas verdades, não abordados neste estudo, encomende o livreto “A Voz do Noivo do mesmo autor. Um estudo desse livreto será útil para obter o quadro completo de um ministério Elias-João Batista preparando o caminho do Senhor nestes dias, e nos dias que estão por vir. O ministério de João como “amigo do Noivo” para preparar a Noiva é apresentado em detalhes.

 

ELIAS ESTÁ AQUI

 

Profeta de Deus“Eis que Elias está aqui!” Estas são as palavras surpreendentes que deveriam ser transmitidas a Acabe, o Rei de Israel, por Obadias, o governador de sua casa (I Reis 18:7-8). Elias estava escondido por ordem de Deus, durante o tempo de seca, que havia chegado como um julgamento sobre a nação, por causa da maldade do rei e de sua esposa estrangeira, Jezabel. Mas havia chegado a hora de a seca acabar, e Deus mais uma vez enviaria chuva sobre a terra. Elias, portanto, tinha de emergir para preparar as pessoas para o que estava por vir,

Um Drama Vivo. O que acontece na história de Elias, conforme registrado nos capítulos 17 e 18 de I Reis, é extremamente significativo para os dias em que vivemos.   Deus operou um “drama vivo” para nós, para que possamos aprender com as coisas que estão escritas de antemão, para nossa admoestação (1Co 10:11). Esta história assume um significado especial à luz daquilo que é dito pelo profeta Malaquias: “Eis que eu vos enviarei o profeta Elias, antes que venha o grande e terrível dia do Senhor; e ele converterá o coração dos pais aos filhos, e o coração dos filhos aos pais, para que eu não venha e fira a terra com maldição” (4:5-6). Os sinais indicam que o grande “dia” dos julgamentos do Senhor nesta terra e Seu retorno em poder e grande glória (Mt. 24:30) estão próximos. Portanto a profecia de Malaquias deve ser cumprida antes que Ele venha.

Cumprimento preliminar.  Muitas profecias na Bíblia têm um cumprimento preliminar, e um cumprimento final. Às vezes há ainda mais de um cumprimento preliminar, antes que a profecia encontre seu cumprimento final e completo. A Palavra de Deus é rica e multifacetada, tendo muitas facetas de aplicação, como os muitos lados de uma bela joia, cada um refletindo a luz à sua maneira, e contribuindo para a simetria do todo. Paulo fala da “multiforme (multifacetada) sabedoria de Deus” (Efésios 3:10), e certamente isso é incorporado em Sua Palavra, à medida que a história (Sua história), se desenrola em harmonia com as palavras preditivas dos profetas, pulsando em cumprimentos rítmicos, tanto preliminares quanto finais, mas em conformidade com o padrão básico de cada declaração profética.

João Batista. Os discípulos fizeram uma pergunta a Jesus. “Por que os escribas dizem que primeiro Elias deve vir?” Jesus respondeu: “Elias vem e vai restaurar e preparar tudo; mas eu vos digo que Elias já veio, e eles não o conheceram nem o reconheceram, mas fizeram-lhe o que quiseram”. […] Então entenderam os discípulos que lhes falava a respeito de João Batista” (Mt. 17:10-13 Amplificado). Os escribas conheciam a lei e estavam familiarizados com a profecia de Malaquias, de que Elias seria enviado antes do dia do aparecimento do Senhor, mas porque estavam cegos pelas suas próprias tradições, estes líderes religiosos não reconheceram o cumprimento da profecia diante dos seus próprios olhos. Mas Jesus disse que João Batista foi o cumprimento da profecia de Elias para os seus dias.

Aviso.   O que foi dito acima deve ser um aviso para nós. A menos que tenhamos “olhos para ver e ouvidos para ouvir” (Mt. 13:16), é possível que eventos proféticos importantes, estejam acontecendo ao nosso redor, e nem sequer tenhamos consciência disso. Jesus disse: “O reino de Deus não vem com observação (com exibição externa e exibição para que todos estejam cientes disso): nem dirão: eis aqui! ou eis ali! Pois eis que o reino de Deus está dentro você (ou, no meio de vocês)” (Lucas 17:20-21). O funcionamento do reino de Deus, e o cumprimento progressivo, podem estar ocorrendo até mesmo no meio de pessoas religiosas, e ainda assim, elas podem não estar cientes disso, ou de seu significado espiritual em relação ao desenvolvimento dos propósitos de Deus. A respeito de João Batista, Jesus falou em outra ocasião: “Todos os profetas, e a lei, profetizaram até João. E se quereis aceitar, este é Elias que havia de vir. Quem tem ouvidos para ouvir, ouça” (Mt. (11:14-15). Ah, querido amigo, ore por percepção espiritual e sintonia com a Palavra divina e seu cumprimento ainda neste dia, para que você tenha graça para receber o que será revelado aqui.

Preliminar e parcial. Para mostrar como uma escritura profética pode ser cumprida em parte, mas não totalmente, num cenário histórico específico, vamos dar uma olhada em Isaías. 40:3-5: “A voz daquele que clama no deserto. Preparai […] o caminho do Senhor, endireitai no deserto uma estrada para o nosso Deus. Todo vale será exaltado, e todo monte e colina serão abatidos; e os tortuosos serão endireitados, e os lugares ásperos, planos; e a glória do Senhor será revelada, e toda a carne juntamente a verá, porque a boca do Senhor o disse”. Esta passagem é citada em Mateus. 3:3 e Lucas. 3:4-6, como sendo cumprido no ministério de João Batista, quando ele preparou o caminho para a vinda de Jesus, e apontou o povo para Ele. Embora muitos tenham visto a “glória” do Senhor na pessoa de Jesus (João 1:14), dificilmente se pode dizer que “TODA A CARNE juntamente a verá” foi cumprida. Além disso, as escrituras deixam claro que, a plena GLÓRIA do Senhor, não se manifestará, até que Ele apareça pela segunda vez (Lucas 21:27).

Padrões dos profetas. Antes de olharmos mais profundamente para o ministério de Elias para os nossos dias, vamos examinar a história de Elias nos capítulos 17 e 18 de I Reis, e contemplar o drama profético. Deus deixa clara Sua maneira de falar por meio dos profetas em Oséias. 12:10: “Eu também falei pelos profetas, e multipliquei visões, e usei semelhanças (padrões) pelo ministério dos profetas.”  A última afirmação significa que Deus fez com que os profetas representassem “dramas simbólicos” por meio de coisas que Ele exigia que fizessem. E através de tais “parábolas vivas” Deus FALA ao Seu povo.   Vamos usar esta CHAVE para desvendar o significado daquilo que Deus disse a Elias para fazer.

 

 

[ELIAS VEM PRIMEIRO – PARTE II]

 

 

Perto do riacho. Elias repentinamente surge em cena nos dias do rei Acabe e diz: “Tão certo como vive o Senhor Deus de Israel, diante de quem estou, não haverá orvalho nem chuva nestes anos, mas conforme a minha palavra”. Imediatamente depois, Deus disse-lhe para “voltar-te para o oriente e esconder-te junto ao ribeiro de Querite, que está diante do Jordão” (I Reis 17:1-3). Por que Elias deveria se esconder? Poderíamos supor apenas do ponto de vista prático que foi para escapar da ira de Jezabel que estava destruindo os verdadeiros profetas do Senhor (I Reis 18:4). Mas se isso é tudo que vemos, estamos “limitando o Santo de Israel” (Sl 78:41) e ignorando, deliberadamente, Sua palavra de verdade, que Ele nos fala em PADRÕES, pelo ministério dos profetas. Para compreender o drama profético devemos compreender o significado dos nomes envolvidos“Elias” significa o poder ou força de Jeová. “Querite” significa um desfiladeiro ou trincheira. Foi durante o período sem chuva, e consequente seca, que Elias (a força ou poder de Jeová) foi escondido do povo no desfiladeiro.

Vendo a foto.  O Israel natural, é um tipo de Israel espiritual ou Igreja. O que aconteceu na história do Israel natural, foi repetido na história da Igreja (no que diz respeito ao padrão básico de cumprimento). Deus prometeu a Israel que se eles O obedecessem, Ele sempre lhes daria chuva na estação apropriada, para que nunca conhecessem a seca, (Deut. 11:14; Lev 26:4). Na linguagem simbólica de Deus, a chuva é um tipo de refrigério ou derramamento do Espírito Santo (Joel 2:28-29). A “chuva” espiritual ou a efusão do Espírito de Deus, é absolutamente necessária para que a Igreja cumpra a sua comissão divina, e para que sejam produzidos frutos aceitáveis ​​a Deus (Luc 24:49; At 1:8; Ef 3:16; Gálatas. (Tiago 5:22-25; Tiago 5:7). Se a Igreja tivesse sido fiel e obediente ao Senhor, não teria faltado o poder do Espírito de Deus, e a bênção perpétua de Deus, do alto, teria continuado sobre ela.   Mas porque a Igreja “se afastou” do seu primeiro amor (Ap 2:4) e da obediência à verdade (II Tessalonicenses 2:3), Deus reteve a “chuva” do revestimento espiritual, e o resultado foi a seca espiritual, e esterilidade dos frutos. Exceto por ocasionais “épocas de refrigério pela presença do Senhor” (Atos 3:19), trazendo avivamento e renovação à Igreja, tais condições de “seca” têm prevalecido mais ou menos ao longo da história da Igreja.

O desfiladeiro.  Assim como Elias deveria se esconder no desfiladeiro durante o tempo de seca, também esta imagem simbólica foi cumprida na Igreja, à medida que o poder e a força do Senhor, através do poder do Espírito Santo, foram “escondidos” do povo de Deus, por causa da incredulidade e apostasia do clero, e do sacerdócio da Igreja. Tal apostasia é retratada por Acabe, rei de Israel, tomando em seu seio, através do casamento, a filha de um rei estrangeiro chamado Jezabel (I Reis 16:31).   Isto era contrário à lei de Deus, pois o povo de Deus não deveria casar-se com as nações pagãs, para não serem arrastados para a sua idolatria (Deut. 7:3-4). Desde que Acabe era rei, ele simboliza o espírito “governante” que dominou amplamente a Igreja ao longo desta época; o espírito de compromisso com aquilo que é “estranho” ao Espírito de Cristo.  Por causa disso, “Elias” (o poder do poder de Deus através do Espírito Santo) foi escondido no “desfiladeiro” do cerimonialismo, das formas sem vida e sem poder, do sectarismo, do desejo de poder, da conveniência política, da incredulidade e da negação modernista das escrituras, verdade, justiça própria fundamentalista e muitas vaidades “carnais” estupefantes, de modo que grande parte do mundo da Igreja tem sido culpada de “ter aparência de piedade, mas negar o seu poder” (II Timóteo 3:5). Este é o lado negativo do quadro é claro, e em breve daremos uma olhada no lado positivo, ao vermos o ministério de Elias à mulher viúva; um tipo de remanescente espiritual.

Para o Leste.  Para se esconder no riacho de Querite, Elias foi para o Leste (I Reis 17:3). Na linguagem simbólica de Deus, o oriente retrata o afastamento de Deus para a falsa luz do raciocínio, e dos caminhos do homem. Muitas evidências bíblicas poderiam ser fornecidas para ilustrar esta verdade, mas mencionaremos apenas o seguinte:

Adão e Eva foram expulsos do jardim em direção ao Leste (Gn 3:24). Depois que Caim pecou, ​​ele foi enviado da presença do Senhor para o Leste (Gn 4:16). Quando Jacó fugiu de seu irmão Esaú, e deixou a Terra Prometida para trás, ele foi para a “terra do povo do Oriente” (Gn 29:1), para ser enfrentado pelo Senhor através de muitas provações. Quando Jacó retornou à Terra Prometida em resposta à vontade revelada do Senhor, e encontrou um novo lugar de submissão e obediência a Ele, ele virou as costas para o Leste e viajou para o Oeste. Mais tarde, quando os filhos de Jacó/Israel cruzaram o Jordão e entraram na Terra Prometida, foi do Leste na terra de Moabe em direção ao Oeste. A entrada no tabernáculo sagrado que Deus ordenou aos israelitas, que construíssem era pela porta oriental, com progressão em direção ao Oeste, onde o Senhor habitava no Santo dos Santos. Assim, o Oeste fala de ir em direção a Deus.

Querite e Jordão.  Já vimos que Elias se escondeu na garganta do riacho de Querite, mas o registro diz que isso foi “antes do Jordão” (I Reis 17:3). O riacho desaguava no rio Jordão. Jordão significa “descendente” [ou que ‘desce’] e simboliza a morte. Assim, o esconderijo de Elias, também retrata a morte espiritual que sobrevém ao povo de Deus, quando ele se desvia da luz e da verdade, dos caminhos de Deus, para os caminhos do homem. E quantas vezes na história da Igreja a admoestação de Paulo foi necessária: “Desperta [tu que dorme] e levanta-te dentre os mortos, e Cristo te iluminará” (Efésios 5:14). Elias também foi alimentado por corvos no desfiladeiro (I Reis 17:4). O corvo era uma ave impura segundo a lei de Deus, portanto fala da impureza que entrou nas coisas sagradas como resultado da apostasia da Igreja. Os corvos são pretos e atacam os olhos de suas vítimas, falando ainda mais da escuridão; ou a falta de compreensão espiritual (cegueira) que permeou a Igreja durante grande parte da sua história.

A mulher viúva.  Depois de se esconder no riacho de Querite, Deus ordenou que Elias continuasse a retratar, através do drama vivo do seu ministério, um aspecto adicional do plano de Deus. Deus disse-lhe: “Levanta-te, vai para Sarepta, que pertence a Sidom, e habita ali; eis que ordenei a uma mulher viúva que te sustente.” (I Reis 17:9). Esta viúva era gentia, e o papel que desempenhou no drama profético de Deus, foi tão importante, que Jesus fez referência pessoal a ela em Lucas 4:24-26, na Sua primeira mensagem na Sua cidade natal, Nazaré. Foi em conexão com Sua consciência divinamente revelada, de que Seu próprio povo e nação O rejeitariam, com a resultante rejeição do Israel natural, e a abertura da porta para os gentios se tornarem parte do povo da aliança de Deus (Romanos 11:7). -11, 25; 1 Pedro 2:9-10).   Esta mulher viúva, então, é um tipo da Igreja gentia desta época; isto é, o remanescente espiritual e fiel que sempre existiu no meio do “igrejismo” nominal até esta época. Assim como a mulher viúva sustentou e manteve vivo Elias, também este remanescente fiel “manteve vivo” a evidência e o testemunho verdadeiro, vital e vivo de Cristo, e o poder do Seu Espírito, nas terras da cristandade. Deus agiu muitas vezes através desses remanescentes fiéis, para trazer reavivamento e restauração, com movimentos poderosos do Seu Espírito, tanto dentro como fora das Igrejas organizadas.

Por que uma viúva?  Nas escrituras, a Igreja é retratada como unida a Cristo, num relacionamento de aliança matrimonial, (Efésios 5:25-32). Mas visto que o Noivo (Cristo) foi levado, (Mateus 9:15), e a Igreja, que é a Noiva, não está agora vivendo pessoalmente com seu Marido, a Igreja é simbolicamente retratada como uma “viúva”, esperando por ele. O noivo deve retornar, e levá-la para habitar com Ele em Sua própria casa ou Reino (João 14:1-3). Enquanto isso, a Noiva (esposa da aliança) está se preparando (Ap 19:7-8), para que ela possa ser apresentada a Ele como uma “virgem” “casta” e fiel (2Co 11:1-3; Ap 17:14). Que destino glorioso é o dela!

Jezabel.   Em contraste com a mulher viúva que sustentava Elias, outra mulher, Jezabel, estava no trono, procurando destruir Elias (1 Reis 16:31; 18:4; 19:1-2). Jezabel representa simbolicamente o “espírito de carne”, sedutor e comprometedor, que entra na Igreja, e sempre “guerreia” contra o Espírito (Elias). O infiel “espírito de Jezabel”, começou a crescer na história da Igreja, depois que a Igreja “perdeu o seu primeiro amor” (Apocalipse 2:4). Quando chegou o período histórico representado por Tiatira (a 4ª das 7 igrejas da Ásia – 600 DC e depois), o espírito era tão forte, que Cristo ordenou à Igreja que se arrependesse, dizendo: “Tenho alguns coisas contra ti , que permites que aquela mulher Jezabel, que se autodenomina profetisa , ensine e seduza meus servos a cometer fornicação (infidelidade a Cristo – veja Apocalipse 17:1-2), e a comer coisas sacrificadas a ídolos (participar daquilo que é profano – ver 1 Coríntios 10:20-21, 2 Coríntios 6:14-18) Como a igreja não conseguiu se arrepender (Apocalipse 2:21), o espírito de Jezabel continuou a crescer [e] surgiu a mãe prostituta e suas filhas de um “igrejismo” comprometedor e infiel (Apocalipse 17:5). Em contraste com a “viúva” do remanescente fiel, o espírito da prostituta de Jezabel se vangloria: “Eu sento como rainha, e não sou viúva (Ap 18:7), porque ela é “guardada” por muitos “amantes” mundanos (Ap 17:2).

Refeição e óleo.  A viúva não apenas sustentou Elias, mas Elias ministrou à viúva e providenciou os meios para que ela continuasse a viver. Mas só porque ela o colocou em primeiro lugar. Este é um exemplo de como o Espírito de Cristo tem ministrado e mantido vivo, o testemunho dos Seus fiéis, ao longo desta era, e especialmente, como Ele está ministrando àqueles que procuram, diligentemente, fazer a Sua vontade neste tempo final. Como a viúva estava disposta a obedecer à ordem de Elias de “fazer primeiro um bolinho para mim”, Elias prometeu a ela que “¹³ Ao que lhe disse Elias: Não temas; vai, faze como disseste; porém, faze disso, primeiro para mim, um bolo pequeno, e traze-me aqui; depois o farás para ti e para teu filho.¹⁴ Pois assim diz o Senhor Deus de Israel: A farinha da vasilha não se acabará, e o azeite da botija não faltará, até o dia em que o Senhor dê chuva sobre a terra.¹⁵ Ela foi e fez conforme a palavra de Elias; e assim comeram, ele, e ela e a sua casa, durante muitos dias. 1 Reis 17:13-15. A refeição nos fala da PALAVRA de Deus e do óleo do Seu ESPÍRITO. Verdadeiramente o Senhor está sendo fiel neste dia para visitar Seus santos famintos com “pão vivo” (ver Rute 1:6), e o óleo do Seu Espírito está fluindo livremente, para aqueles cujos corações estão voltados para Ele. Isto é uma antecipação e preparação para a “chuva serôdia” que o Senhor enviará à terra.

Depois de muitos dias.  I Reis 17:15 nos diz que a viúva foi sustentada “muitos dias” com farinha e azeite. Então, em I Reis 18:1, lemos que “depois de muitos dias, no terceiro ano, veio a palavra do Senhor a Elias, dizendo: Vai, mostra-te a Acabe, e enviarei chuva sobre a terra”. No relato a seguir, vemos retratada num drama simbólico, outra fase do plano de Deus para se preparar para a vinda da “chuva serôdia”. Elias não foi usado apenas para ministrar e sustentar a mulher viúva, mas também saiu do esconderijo e começou a ser usado por Deus, para manifestar Seu poder e poder ao povo, deu uma demonstração da realidade de seu Deus. Certamente este também é um padrão para nossos dias, à medida que um ministério de Elias, surge no poder do Espírito, para tornar conhecida a vinda do Senhor, e preparar um povo com uma manifestação, daquilo que é vital, real e poderoso através de Deus.

No Monte Carmelo.  Elias convocou todo o povo para se reunir no monte Carmelo, junto com os falsos profetas de Baal e de Aserate, que comiam à mesa de Jezabel.  Lá ele os desafiou com estas palavras: “Até quando vocês hesitam entre duas opiniões? Se o Senhor é Deus, sigam-no; mas se for Baal, sigam-no.” Mas embora eu tenha certeza de que Elias colocou toda a sinceridade de seu coração e a “unção” do Espírito que estava sobre ele nesta mensagem, o registro diz que “o povo não lhe respondeu palavra alguma” (1 Reis 18). :19-21). Como isso é característico das pessoas; e quão profético é o dia em que vivemosAs massas populares ouviram tantos sermões, e receberam tantas pregações, e ainda assim, em geral, permanecem indiferentes à ação. Foi somente depois que Deus enviou fogo do céu em resposta à oração de Elias, que o povo caiu sobre seus rostos e disse: “O Senhor, ele é o Deus; o Senhor, ele é o Deus” (I Reis 18:38). -39).  O FOGO é um tipo do Espírito Santo movendo-se com poder sobrenatural para batizar, libertar e capacitar o povo de Deus, para um testemunho da realidade de um Cristo vivo.  Amados, será necessário mais do que apenas pregar nestes dias, para uma geração “endurecida pelo evangelho”; será necessário que o FOGO do Espírito Santo de Deus se mova com “sinais e prodígios, e por vários milagres e pelos dons do Espírito Santo, segundo a Sua própria vontade” (Hebreus 2:4), a fim de mover um grande número de pessoas para fora de indiferença no “vale da decisão” (Joel 3:14).

O altar.  Antes de o fogo cair, Elias teve que fazer um trabalho preparatório. Lemos em I Reis 18:30 que “ele reparou o altar do Senhor que estava derrubado”. Um altar, não era apenas o local designado por Deus, para o sangue ser derramado como expiação pelos pecados, mas o altar, também, simbolizava a consagração e dedicação, daquele que oferecia o sacrifício. Como cristãos, nossos corpos são um “sacrifício vivo” que oferecemos a Deus em Seu “altar” (Romanos 12:1).   O fato de o altar ter sido derrubado nos dias de Elias, fala simbolicamente, da falta de consagração do coração do povo de Deus, para fazer a Sua vontadeOnde não há altar, não há poder do Espírito de Deus (fogo).   O fogo só pode cair sobre aquilo que está no altar; onde não há nada no altar, não haverá fogoQue lição esta é para nós hoje. Antes que Deus possa agir de maneira maior em nosso meio, o “altar” da consagração deve ser reparado (restaurado) entre os santos. Por esta mesma razão, um ministério de “Elias”, está acontecendo nestes dias, para “despertar” os corações, daqueles que estão dispostos a fazer o sacrifício necessário, para que Deus cumpra aquilo que é retratado na história de Elias, para os nossos dias, para [o que] DEVE ACONTECER!

Para todo Israel. Ao reparar o altar, lemos em I Reis 18:31, que Elias pegou doze pedras, conforme o número das tribos dos filhos de Jacó. Isto deve ser muito    significativo, quando percebemos que na época do ministério de Elias, Israel estava dividido em duas facções ou nações, e havia muitos conflitos e guerras entre elas. Elias estava ministrando no reino do norte, que consistia nas dez tribos, que se revoltaram e se separaram da casa governante de Davi em Jerusalém, sob a liderança de Jereboão (ver I Reis 11:26-37; 12:19-20) …, Mas Elias não estava disposto a “descartar” o reino do Sul e as tribos de Judá, Benjamim e Levi.  Em outras palavras, ele não era “sectário” em seu pensamento.   Seu altar e sacrifício foi para TODA a casa de Israel. Não há uma lição nisso para nós? Os cristãos não estão divididos como estava o povo de Israel? Qual é a nossa visão e o propósito do nosso sacrifício e consagração? É apenas para “nosso grupo”, “nossa denominação”, “nossa igreja” ou é PARA TODO O CORPO DE CRISTO? Na nossa tendência para julgar e condenar, podemos pensar que certos cristãos são tão cegos ou “indignos”, que temos a certeza de que nunca farão o que o Senhor está a fazer.  Mas em vez de pensar “nós somos isso” e orgulhosamente “descartar” todos os demais filhos de Deus, precisamos orar e nos consagrar para que muitos ainda despertem e se levantem para o desafio desta hora, e deixem o “fogo” do Espírito de Deus caia sobre eles, para que também possam ajudar a “preparar O CAMINHO do Senhor”. [Amém e Amém].

Água.  Depois que Elias colocou o sacrifício no altar, ele o saturou com água, de modo que a água escorreu ao redor do altar e entrou na vala que ele havia cavado ao redor dele (I Reis 18:32-35). Foram quatro barris cheios e despejados três vezes. Três é o número da PALAVRA de Deus e quatro é o número da FRUCIDADE. No estado natural, a água limpa, quando a usamos para nos lavar e refrescar, quando a bebemos (limpando também o interior do corpo ao eliminar os resíduos). É a PALAVRA de Deus que purifica (João 15:3; Efésios 5:26). É o ESPÍRITO que refresca o “homem interior” do coração à medida que “bebemos” da provisão de Deus (João 7:34-38; 1 Coríntios 12:13), para que não haja apenas uma limpeza e purificação mais profundas interiormente, mas há também uma transmissão e capacitação, para que através de tal “rega”, o FRUTO possa ser produzido para o louvor de Deus (Efésios 3:16-20; Gálatas 5:22-23). Assim, Elias estabeleceu o padrão para nós, à medida que esse tipo se cumpre em nossos dias. Como um “sacrifício aceitável” ao Senhor, devemos estar completamente saturados pela Palavra e pelo Espírito.

Sacrifício Vespertino.  Quando Elias terminou de preparar Seu holocausto, chegou a hora do sacrifício da tarde (I Reis 18:36). Quando Deus deu Sua lei a Israel, Ele exigiu que os Sacerdotes oferecessem dois holocaustos todos os dias, um pela manhã e outro à noite, em favor de todo o povo (Êxodo 29:38-39). Este tipo não deveria também ser cumprido neste “dia” (ou era) de graça? Os 120 que se reuniram no cenáculo no dia de Pentecostes constituíram o “sacrifício matinal” deste “dia”. Eles se colocaram no “altar” da consagração de Deus, total e completamente, e o FOGO do Espírito de Deus desceu sobre eles (Atos 2:1-4). À medida que nos aproximamos do fim desta era, agora é hora de um povo de Deus se ofereça a Deus como o “sacrifício da tarde”, para que o FOGO do Espírito de Deus, possa vir sobre nós, de uma forma maior do que jamais conhecemosIsto DEVE ser, ou o padrão que Deus nos deu não é verdadeiro.  Amado em Cristo, VOCÊ está disposto a fazer parte deste “sacrifício noturno”, para que o mundo saiba que Deus é real, vivo e poderoso?   Mesmo agora, Deus está “respondendo com fogo”, à medida que mais e mais pessoas famintas e dedicadas, se colocarem no altar, e receberem o batismo do Espírito Santo. Mas, estes são apenas os estágios preparatórios, de uma maior operação e manifestação do “fogo” do Espírito de Deus, naqueles e através daqueles, que Ele está preparando através de um ministério de “Elias”.

Abundância de chuva.  Depois que Deus respondeu a Elias com fogo, o profeta foi ao topo do Monte Carmelo, onde o grande mar a Oeste podia ser visto à distância. Lá ele se lançou ao chão e começou a orar. Ele disse ao seu servo para subir mais alto e olhar para o marEle fez isso seis vezes em resposta à ordem do profeta de Deus; todas as vezes voltando com o relatório de que não viu nada. Mas na sétima vez que ele foi e olhou, ele trouxe de volta a mensagem: Eis que surge do mar uma pequena nuvem, como a mão de um homem” (I Reis 18:42-44). Na linguagem simbólica de Deus, as águas do mar representam “povos, e multidões, e nações, e línguas” (Apocalipse 17:15). As nuvens podem simbolizar pessoas (Heb. 12:1). Uma pequena nuvem, como a que o servo de Elias viu, simbolizaria um pequeno remanescente que SE LEVANTA PARA DEUS das nações no atual movimento preparatório do Espírito. Esta é outra maneira de retratar aqueles que se colocaram no altar de Deus como o “sacrifício da tarde”.  Deus os está atraindo para Si, assim como, as nuvens representam as águas tiradas do mar, e Ele os está preparando para uma visitação poderosa.   Elias enviou uma mensagem a Acabe e disse: “Há ruído de chuva abundante” (I Reis 18:41). O que um “remanescente” do povo de Deus está experimentando agora, à medida que Deus se move pelo Seu Espírito, é apenas uma antecipação e primícias daquilo que está por vir, quando o Senhor “derramar do Seu Espírito sobre toda a carne” (Joel 2 :28), e haverá chuva abundante.

 

[ELIAS VEM PRIMEIRO – PARTE III]

Restauração primeiro.   Na passagem de Joel que acabamos de citar, quando lida no contexto em que foi dada, o profeta inspirado disse: “E acontecerá depois que derramarei o meu espírito sobre toda a carne”. Depois do quê? Leia os versículos anteriores no capítulo 2 de Joel e você descobrirá que Deus prometeu uma restauração. Nos dias de Joel, o povo de Israel, por causa de sua infidelidade ao Senhor, sofria com a seca, a fome e uma praga de gafanhotos. A terra estava definhando e sendo devastada (ver Joel, cap. 1), mas Joel deveria levantar a voz como uma trombeta e chamar o povo a retornar ao Senhor com jejum e oração (Joel 2:1, 12-18). Então o Senhor prometeu RESTAURAR o que havia sido perdido (Joel 2-25), enviando chuva e abençoando-os novamente com “grãos, vinho e azeite”, bem como expulsando o “exército de gafanhotos” (ver Joel 2: 19-30). Na linguagem simbólica de Deus, “grão” representa a PALAVRA (o Pão vivo), o vinho representa ALEGRIA e BÊNÇÃOS, e o azeite representa o ESPÍRITO.   A nação natural de Israel, perdeu recursos naturais através de desastres naturais. Este é um exemplo de como o Israel espiritual perdeu recursos espirituais através de desastres espirituais. Mas assim como Deus restaurou ao Israel natural o que foi perdido, Ele também restaurará à Igreja o que foi perdido. Vejamos mais adiante. . .

Gafanhotos.   A praga de gafanhotos que devastou a terra de Israel, é um tipo das hostes demoníacas de Satanás, vindo contra a Igreja. Através das “artimanhas” de Satanás (Efésios 6:11), a Igreja foi gradualmente enganada e “seduzida” a abandonar o seu primeiro amor e a afastar-se da verdade (Ap 2:4; II Tessalonicenses 2:3). Depois seguiram-se, com o tempo, condições de seca (falta da “chuva” do Espírito) e fome (falta de ouvir a Palavra de Deus – ver Amós 8:11). Na terra da Palestina, os gafanhotos sempre aparecem em épocas de seca, despojando a terra de sua vegetação remanescente. Fiéis a este tipo, quando a Igreja começou a experimentar a seca e a fome espirituais, as doutrinas inspiradas satânicas de Balaão (compromisso com o mundo pagão – Apocalipse 2:14), a doutrina dos Nicolaítas (poder político do clero e sujeição dos povos na ignorância e na superstição – Apocalipse 2:16), e as táticas sedutoras de Jezabel (misturando ideias e práticas religiosas pagãs com o cristianismo – Apocalipse 2-20), começaram a despojar a IGREJA de sua vida e poder espiritual remanescente. Ceder a “espíritos sedutores e doutrinas de demônios” tornou-se comum; dois dos quais Paulo menciona como “proibindo (ao clero) casar-se, e ordenando a abstenção de carnes (em certos dias, etc.)” – 1Tm 4:1-3).

Abertura do poço.  Apocalipse 9:1-4 mostra, definitivamente, que os gafanhotos são um tipo de espírito satânico.   A gravura simbólica mostra o poço sendo aberto e os espíritos demoníacos de Satanás, na forma de gafanhotos, saindo para “atormentar” a humanidade. Em 9:2, lemos que o sol foi escurecido pela atividade deles. O sol é um tipo de cristianismo e de Igreja, que foi “escurecido” (roubado de sua luz e poder em relação ao povo), por causa das táticas corruptoras dos espíritos satânicos. Mas embora o “sol” do “igrejismo” tradicional esteja a escurecer, há um outro lado da imagem, e ele enquadra-se no padrão da promessa de Deus de libertar Israel dos gafanhotos, e da sua devastação, e restaurar o que tinha sido perdido, quando eles atenderiam ao Seu chamado de “voltar para mim de todo o coração, e com jejum, e com choro, e com pranto (arrependimento)” — Joel 2:12.

Sete vezes mais brilhante.   Isaías fala de um dia em que “a luz do sol será sétupla, como a luz de sete dias, no dia em que o Senhor curará a ferida do seu povo e sarará a chaga da sua ferida” (Isaías 30). :26). O número sete simboliza a Igreja e também fala do ciclo completo ou consumação desta era. Portanto, ao atingirmos o clímax do plano de Deus para esta era, um segmento do povo de Deus irá brilhar na glória e no poder de Cristo, SETE VEZES MAIS BRILHANTE do que nunca. Isto acontecerá quando o Senhor “curar a brecha” (restaura a UNIDADE) entre Seu povo, e “curar o golpe de sua ferida (restaura a SAÚDE ESPIRITUAL)” e a VITALIDADE, através da limpeza e refrigério de Sua Palavra e Espírito. O início desta obra já é evidente naquilo que o Senhor está fazendo agora entre muitos cristãos cheios do Espírito, de todas as origens. Certamente estamos começando a ver a profecia de Oséias cumprida em nossos dias: “Vinde, e voltemos para o Senhor; porque ele despedaçou e nos sarará; feriu e nos ligará. Depois de dois dias (2.000 anos – 11 Pedro 3:8) ele nos vivificará: no terceiro dia (o ‘dia do Senhor’ – agora amanhecendo) ele nos ressuscitará, e viveremos à sua vista; prosseguimos em conhecer o Senhor; a sua saída está preparada como a alva; e ele virá a nós como a chuva, como a chuva serôdia e anterior sobre a terra.” (Oséias 6:1-3.)

Recuperação. “Restauração” significa a recuperação daquilo que foi perdido; para trazer de volta ou colocar de volta no estado anterior ou original. Deus se move pelo Seu Espírito, não apenas para que possamos ser abençoados, mas para que Sua Igreja (Sua “casa” ou “templo” espiritual), possa mais uma vez ser CONSTRUÍDA e RESTAURADA, a partir da “ruína” em que caiu. A recuperação das verdades e práticas espirituais da Igreja do Novo Testamento, resulta em renovação e poder espiritual.   A ordem de Deus conforme dada em Atos 3:17-21: é REVELAÇÃO, ARREPENDIMENTO, REFRESCAMENTO, RESTITUIÇÃO (restauração) e RETORNO de Cristo. Cristo deve permanecer nos céus até os “tempos da restauração de todas as coisas”, que Deus falou pela boca de todos os seus santos profetas desde o princípio do mundo” (Atos 3:21). Isso não significa que Cristo permaneça no céu, até todas as coisas ditas pelos profetas serão restauradas, pois o grande milênio que se aproxima, é em si um tempo de restauração, quando muitas coisas, incluindo as condições paradisíacas nesta terra, serão restauradas. Mas a restauração começa com a Igreja, a casa de Deus, através dos julgamentos de Deus (1 Pedro 4:17). Estamos agora no início dos tempos de restituição ou restauração, e uma vez que a Igreja, é o instrumento de Deus, durante esta era de graça, então a Igreja deve ser restaurada à sua glória e poder primitivos, antes que esta era termine.

Profeta da restauração.  O espírito e o ministério de Elias estão especialmente associados à restauração.   Em sua oração em I Reis 18:37, ele usa uma expressão que significa restauração: “retornaram o seu coração”. João Batista deveria sair no “espírito e poder de Elias” (Lucas 1:17). Quando os discípulos perguntaram a Jesus sobre Elias, Ele disse: “Elias vem e restaurará todas as coisas; mas eu vos digo que Elias já veio, e não o reconheceram, mas fizeram-lhe tudo o que quiseram. . . Então os discípulos entenderam que Ele lhes falara de João Batista” (Mt 17:10-13). Mas já vimos que o ministério de João Batista, foi apenas um cumprimento parcial e preliminar, da profecia de Elias, veja o cumprimento final e completo do ministério de restauração de Elias. João Batista foi “cheio do Espírito Santo, desde o ventre de sua mãe” (Lucas 1:15). João trouxe um mover preliminar e preparatório, do Espírito diante de Jesus, veio ao Seu povo. Mesmo assim, neste tempo final; Deus está se movendo agora pelo Seu Espírito, no que poderíamos chamar de “chuva de restauração”, que culminará na chuva de “porção dobrada” falada pelo profeta Joel: “Alegrai-vos então, […] filhos de Sião (somos filhos da Sião celestial – Gl 4:26, Hb 12:22-23), e regozijai-vos no Senhor vosso Deus: porque ele vos deu moderadamente a chuva anterior (esta é a restauração da chuva “primitiva” ou pentecostal, que caiu sobre a igreja no seu início), e ele fará descer para você a chuva, a chuva anterior e a chuva serôdia no primeiro mês (a ‘porção dupla ‘).” Joel 2:23.

Profeta da revelação.  A restauração só pode ocorrer, por meio da revelação da verdade. Jesus disse: “Conhecereis a verdade e a verdade vos libertará” (João 8:32). Livre das corrupções de Satanás que trazem escravidão. Quando João entrou em cena, ele encontrou uma nação que estava em cativeiro porque a Revelação Divina que Deus lhes havia dado estava “incrustada”, e coberta pelas “tradições dos anciãos” (Marcos 7:3-II), e como resultado a Palavra de Deus foi feita “sem efeito” (sem vida e poder). Assim, “O CAMINHO” da verdade e da justiça que Deus havia dado a Israel, não era mais um “caminho” reto e nivelado, para a nação viajar em direção ao seu destino designado. A tarefa de João era renovar e restaurar o caminho Divino, fazendo com que o povo voltasse à verdade dos caminhos de Deus. Sua mensagem, conforme predita por Isaías, foi: “Preparai […] O CAMINHO do Senhor, endireitai no deserto uma estrada para o nosso Deus; sejam endireitados, e os lugares acidentados, planos” (Isaías 40:3-4).   Ele só poderia endireitar os caminhos “tortos” em que eles estavam andando, chamando-os de seus caminhos, de volta aos caminhos de Deus.

Profeta do arrependimento.   Ao chamar o povo de volta aos caminhos de Deus, ele ordenou-lhes que se arrependessem; e o povo ia ser batizado por ele, “confessando os seus pecados” (Mt. 3:6). Arrependimento significa uma mudança de mente e de coração, levando a uma mudança de ação. João falou assim ao povo: “Produzi, pois, frutos dignos de arrependimento, e não comeceis a dizer dentro de vós: temos Abraão por pai; porque eu vos digo que Deus é capaz de, destas pedras, suscitar filhos a Abraão”. … E agora também está posto o machado à raiz das árvores; toda árvore, pois, que não produz bom fruto, é [cortada] e lançada no fogo” (Lucas 3:8-9). Esta mensagem é aplicável aos nossos dias, pois a Igreja tem seguido o “caminho” de Israel: substituindo os caminhos de Deus pelos caminhos do homem, “incrustando” a Palavra de Deus com tradições religiosas, e deixando de entrar na “terra da aliança” da espiritualidade, bênção e poder através da incredulidade. O “machado” da verdade e julgamento divinos, está agora colocado na raiz de todos os métodos, e sistemas religiosos criados pelo homem. Todos serão “[cortados]” e lançados na tribulação “ardente” que está vindo sobre a terra, (veja Apocalipse 2:22; 3:16). O “fogo” (da tribulação) testará o trabalho de cada homem, seja qual for o tipo (veja 1Co 3:12-15). A questão, não é tanto com quem estamos trabalhando em nossa afiliação, (dentro ou fora de uma denominação), mas sim, QUÃO LIVRES somos para CONSTRUIR com o “ouro, prata e pedras preciosas” da verdade e dos caminhos de Deus, em vez de a “madeira, feno e restolho” das tradições e costumes do homem.

Chamado de Deus.   O chamado de Deus para aqueles que têm ouvidos para ouvir, é ARREPENDER-SE e SAÍR dela, (Babilônia religiosa – a confusão e escravidão dos caminhos do homem) MEU POVO, “para que não sejais participantes dos seus pecados, e para que não incorras nas suas pragas” (Apocalipse 18:4). Não se vanglorie de seu pedigree físico OU religioso. Não digam consigo mesmos: “Temos Abraão (ou algum grupo religioso ou denominação), como nosso pai, (colocando sua CONFIANÇA em tal relacionamento): pois eu lhes digo que Deus é capaz de, destas pedras, suscitar filhos a Abraão”.  E ISSO é exatamente o que Ele está fazendo!   Ele está “levantando” e “moldando” PEDRAS VIVAS (I Pedro 2:5) que são “edificadas sobre o fundamento dos apóstolos e profetas, sendo o próprio Jesus Cristo a principal pedra angular. num templo santo no Senhor” (Efésios 2:20-21). E ao fazê-lo, Ele está a romper todas as barreiras religiosas que o homem ergueu, e os cristãos de todas as origens, estão a começar a “fluir juntos”, como nunca antes, independentemente de qual possa ser a sua “afiliação”, no que diz respeito à comunhão e à adoração.

Ninguém, cara.   Elias e João Batista foram chamados para ministrar a uma pequena nação dentro de uma localização geográfica muito pequena na terra. Por quanto tempo o ministério de João Batista continuou, não sabemos. Mas aquele único homem, poderia cobrir a terra, através da pregação itinerante, e preparar o povo para a vinda do Messias.   Contudo, quando Cristo voltar, Ele retornará ao mundo inteiro, não apenas a uma pequena nação, de modo que será necessário um ministério preparatório mundial através de muitos vasos escolhidos. Assim, o “Elias” para os nossos dias não é um homem, mas sim um movimento que envolve muitos servos do Senhor.   Nenhuma pessoa ou grupo pode dizer que “eu” ou “nós” somos “isso”. “É” um mover do Espírito que abrange muitos. Quando perguntaram a João Batista quem ele era, ele respondeu: “Eu sou a VOZ daquele que clama no deserto” (João 1:23). Ele indicou com essa resposta. que quem ele era (pessoalmente) não era importante. Ele não tinha o menor desejo de se exaltar como indivíduo, ou de construir algo em torno de si mesmo.   Ele não sentia ciúme ou rivalidade com ninguém.  Sua resposta àqueles, que vieram até ele com informações que Jesus estava batizando, e todos os homens estavam vindo a Ele era isto: “Um homem não pode receber nada, a menos que lhe seja dado do céu. . . Ele (Cristo) deve crescer, mas eu devo diminuir.” O mesmo espírito de auto-anulação deve ser manifestado hoje, entre aqueles que estão clamando esta mensagem de preparação, para os últimos dias. As   personalidades individuais são de pouca importância, mas a VOZ (de autoridade) deve ser ouvido na terra. Qualquer ministério que possamos ter, nos foi dado do céu, e não há ocasião para vanglória ou exaltação própria. Não devemos chamar atenção para nós mesmos, mas MAGNIFICAR CRISTO.

Unidade. João Batista estabeleceu o PADRÃO de unidade ou UNIDADE, quando disse: “Eu sou a voz do UM que clama”. Não muitas vozes, mas UMA. Se quisermos “preparar um povo preparado para o Senhor” (Lucas 1:17), devemos perceber que, este povo é UM CORPO NO SENHOR, e que devemos estar “nos esforçando para manter a unidade do Espírito em o vínculo da paz. (Pois) há um só corpo e um só Espírito, assim como vocês foram chamados em uma só esperança de sua vocação: Um só Senhor, uma só fé, um só batismo. Um só Deus e Pai de todos, que é acima de todos, e através de todos, e em todos vocês” (Efésios 4:3-6). Não deve haver rivalidades, ciúmes ou espírito sectário, entre aqueles que procuram avançar nesta mensagem e ministério dos últimos dias; mas UM CORPO começando a funcionar na ordem divina de Deus, com cada ministério e cada membro do Corpo, funcionando conforme o Espírito equipa e dirige, e em sujeição uns aos outros em amor (Efésios 5:21; 1 Pedro 5:5).

Deixe Cristo crescer.  Nossas ambições pessoais devem ser substituídas pelo desejo de ver o Senhor AUMENTAR na “Igreja que é o Seu Corpo” (Efésios 2:22-23), à medida que CADA MEMBRO se desenvolve em seu ministério. … 4:11 são “para equipar os santos, para a obra de serviço (ministério), para a edificação do corpo de Cristo” (Novo Padrão Americano). Cada ministério deve cumprir sua função, e ainda assim estar disposto a diminuir, para que o Senhor cresça EM TODO O CORPO. “Mas falando a verdade em amor, cresça em todas as coisas naquele que é a cabeça, a saber, Cristo: de quem todo o corpo, bem unido e compactado por aquilo que cada junta supre, de acordo com o trabalho eficaz, na medida de cada parte, faz o crescimento do corpo para sua edificação em amor” (Efésios 4:15-16).

Virando os corações.   Vejamos novamente a profecia de Elias em Malaquias 4:5-6. “Eis que eu vos enviarei o profeta Elias, antes que venha o grande e terrível dia do Senhor. E ele converterá o coração dos pais aos filhos, e o coração dos filhos a seus pais, para que eu não vá e golpeie a terra com uma maldição.” Deus dá grande importância à Sua ordem divina, seja no lar ou na Igreja. Não podemos ignorar a importância da liderança e da responsabilidade dos pais, e da devida submissão à autoridade no arranjo divino da família e da Igreja. É a QUEBRA do lar (e o consequente efeito em toda a sociedade), que está fazendo com que a “maldição” do julgamento divino, caia sobre a terra. A “ilegalidade” é galopante em todos os segmentos da sociedade, tal como Jesus disse que seria (Mateus 24:12). Não é apenas o aumento do crime e da violência que reflete este espírito de ilegalidade, mas a “militância”, que é evidente no “espírito exigente” de “Vou conseguir o que está a chegar a mim OU ENTÃO”, com greves, marchas, manifestações, perturbações, destruição dos direitos e propriedades de terceiros, desafiando e desobedecendo à lei de várias formas não violentas ou semiviolentas; e muito disso foi até mesmo auxiliado e encorajado por algumas Igrejas e Ministros. Depois, há o colapso moral, também auxiliado e encorajado por muitas Igrejas e Ministros que rejeitam a autoridade divina da Palavra de Deus, ensinam a “nova moralidade”, a “ética da situação”, etc., todos cumprindo as palavras proféticas de Jesus em Mateus … 7:21, a respeito daqueles que DIRIAM “Senhor, Senhor”, mas não faziam a vontade de Seu Pai celestial. Tais, disse Ele, são aqueles que “cometem iniquidade” (a palavra grega significa “ilegalidade”).   São os “pais”, que têm autoridade e responsabilidade sob Deus, cujos corações precisam se voltar para seus filhos, para ENSINAR, LIDERAR e DAR o EXEMPLO correto.

 

Pais espirituais.  Os “pais” mencionados na declaração profética, cujos corações serão “retornados” por um ministério de Elias, podem ser tanto os pais naturais, [como] os pais espirituais (pastores) da Igreja. Os corações dos pastores devem estar voltados para seus filhos espirituais (seu rebanho).   Deus é muito severo em Sua Palavra, ao denunciar os pastores ou pastoras, que não têm cuidado adequadamente de seus rebanhos (leia Ezequiel 34 e Jeremias 23).   Este é um assunto muito amplo para ser abordado aqui; mas há muitos “mercenários” nos púlpitos das Igrejas (João 10:12-13). Eles não alimentam o povo com a “carne” da Palavra de Deus, e não têm o coração voltado para o povo como deveriam, mas sim para sua própria carreira, sucesso, popularidade aos olhos das pessoas, etc. afirma desta forma: “todos olham para o seu próprio caminho, cada um para o seu ganho, do seu bairro” (Isaías 56:11). Mas Deus fez uma promessa, e creio que Ele a está cumprindo neste dia: “E reunirei o restante do meu rebanho de todas as terras para onde os conduzi, e os trarei novamente aos seus apriscos; e eles se frutificarão e aumentarão. E constituirei sobre eles pastores que os apascentarão; e não temerão mais, nem se espantarão, nem lhes faltarão, diz o Senhor” (Jeremias 23:3-4). Podemos louvar a Deus porque Ele está voltando os corações dos pais (pastores) de volta aos seus rebanhos. E isso está realizando a outra metade da promessa, “e o coração dos filhos aos seus pais (pastores)”, à medida que os corações famintos procuram os verdadeiros pastores que irão alimentá-los e cuidar deles, e então retribuir a esses pastores a verdadeira submissão e apoio que Deus deseja.

Outra fase da verdade.  A “volta do coração dos filhos para os pais” tem outra fase de verdade. Às vezes nos referimos aos homens que Cristo escolheu e nomeou como apóstolos como “pais da igreja”. Paulo indica que ele era um pai espiritual da Igreja de Corinto (1Co 4:15). Os primeiros cristãos “permaneceram firmes” na doutrina dos APÓSTOLOS (Atos 2:42). Em outras palavras, seus corações estavam voltados para seus pais espirituais no Senhor.   Nestes dias, acredito que um “ministério de Elias” está voltando os corações do povo de Deus ao NOVO TESTAMENTO e ao ENSINAMENTO dos APÓSTOLOS. O desejo é ver a verdade, a ordem e o poder apostólicos regressarem à Igreja, e isso requer ignorar todas as tradições acumuladas, e métodos criados pelo homem, nos últimos 1900 anos e regressar à “fonte” da verdade que Cristo confiou aos Seus apóstolos.

A Casa.  Podemos ver ainda outra fase da verdade de que os corações dos pais se voltariam para os filhos e os corações dos filhos para os pais. Entre aqueles que procuram avançar naquilo que o Senhor está a fazer hoje, há uma nova ênfase no lugar do lar, no plano de Deus, e um desejo renovado de ver a ordem divina de Deus para os maridos, esposas e filhos implementada no lar. Não podemos nos estender sobre o assunto aqui, pois está além do escopo deste artigo. Mas estamos começando a ver, como nunca antes, que a Igreja só será tão forte quanto as unidades familiares individuais que a compõem. Muitos têm a estranha noção de que podem ser “espirituais” e ainda assim não cumprir o seu “papel” adequado no lar como marido e pai, ou esposa e mãe. DEVEMOS voltar à verdade básica de que se uma pessoa é casada, seu PRIMEIRO e mais IMPORTANTE ministério sob Deus é para sua família. A forma como tratamos aqueles que estão mais próximos de nós, em nosso círculo familiar imediato, determina em grande parte o quão “espirituais” somos aos olhos de Deus. Há muitos, tanto homens como mulheres, que tentam ministrar aos outros, quando não conseguem cumprir as suas responsabilidades, e ministrar aos seus próprios cônjuges e filhos, na sua própria famíliaDeus nos ajude a definir nossas prioridades corretamente, e a colocar as coisas mais importantes em primeiro lugar. Isto faz parte do ministério de “restauração” que ocorre em nossos dias.

 

 

[ELIAS VEM PRIMEIRO – PARTE IV]

 

Elias no Monte.  Há outra evidência de que um “ministério de Elias” deve surgir e “preparar o caminho” do Senhor nestes últimos dias. É-nos apresentado através de um drama simbólico.   A história é contada nos três evangelhos sinópticos, por isso sabemos que é de grande importânciaRefiro-me a Jesus levando três de Seus discípulos a um alto monte e sendo transfigurado diante deles. Em Mateus 17:3, lemos: E eis que lhes apareceram Moisés e Elias conversando com ele”. Moisés foi impedido de entrar na Terra Prometida pelo Senhor, por ter ferido a rocha com raiva, (Números 20:11-12), mas lá no Monte da Transfiguração nós o vemos NA Terra Prometida, conversando com JesusIsto fala do fim dos tempos desta era, quando Deus conduzirá o Seu povo à plenitude da sua herança espiritual. Embora a Igreja tenha falhado muitas vezes ao “golpear a rocha” (Jesus), na sua incredulidade, teimosia e apostasia, ainda estamos para ver a Igreja no “monte espiritual” da bênção, poder e vitória prometidosVisto que Elias estava lá com Moisés e Jesus, ele retrata o ministério do fim dos tempos e o mover do Espírito de Deus que está PREPARANDO a Igreja, para a hora destinada de plena glória. Os três discípulos (apenas um quarto dos doze escolhidos), que subiram ao monte com Jesus, retratam o fato de que, apenas uma PARTE da Igreja, estará disposta a “ascender”, para aquele reino espiritual mais elevado, que o Senhor preparou para Suas pessoas, neste tempo final.

Elemento de tempo.  Quero apresentar duas evidências da história do Monte da Transfiguração, para mostrar que elas retratam eventos que acontecerão neste tempo final, em que estamos vivendo. Primeiro, em Mateus 17:1, lemos que foi “depois de seis dias” que Jesus levou Pedro, Tiago e João ao alto monteSeis dias depois de quê?  Lendo o capítulo 16 de Mateus, vemos que o evento, a partir do qual a transfiguração é datada, é a primeira menção do Senhor aos Seus sofrimentos. Em outras palavras, seis dias depois de lhes dizer que seria morto em Jerusalém, Ele os leva ao monte. Em II Pedro. 3:8, lemos que, de acordo com o cálculo do tempo de Deus, um dia equivale a mil anos; assim, os seis dias representam seis mil anosContudo, não devemos contar os seis mil anos, a partir do momento em que Jesus foi historicamente crucificado, mas a partir do momento em que Ele foi crucificado, no plano e propósito preordenados de Deus, pois foi quando Deus considerou que isso aconteceria. Precisamos, então, fazer a pergunta: QUANDO Jesus foi assim crucificado? De acordo com Apocalipse 13:8, Jesus era “o Cordeiro que foi morto desde a fundação do mundo”. A palavra grega traduzida como “fundamento” aqui é katabole, que significa “derrubar”.  NÃO é a palavra normalmente usada para denotar a fundação de uma casa ou edifício: essa palavra é themelios, conforme usada em Luc. 6:48-49; 14:29; Em I Cor. 3:10-11, etc. Aponto isso porque acredito que katabole (usado em Apocalipse 13:8) não deve ser traduzido como “fundamento”, mas sim como “derrubar” ou “queda”.  QUANDO foi NECESSÁRIO o sacrifício pelo pecado?  Quando Adão CAIU e foi “lançado” de sua perfeição imaculada e unidade com Deus, e toda a criação caiu com ele. Assim, Apocalipse 13:8 deveria ler que Jesus era o “cordeiro de Deus morto pela derrubada ou QUEDA do mundo. Katabole (e a forma verbal kataballo), é traduzida incorretamente como “fundamento” em uma série de passagens do Novo Testamento, como como Mateus 13:35, Lucas 11:50, Efésios 1:4, etc., mas em II Coríntios 4:9 e Apocalipse 12:10, temos a tradução correta, “derrubados”.

[Nota do Editor – A exegese de “katabole” do irmão Earls, deve ser considerada mais profeticamente interpretativa, do que gramaticalmente definitivaGramaticalmente, a palavra também significa “deitar” (como alguém coloca ladrilhos no chão), portanto, “fundar”. Em certas passagens, “katabole” não pode ser sensatamente traduzido como uma derrubada destrutiva (por exemplo, Hebreus 4:3; 11:11).]

Preordenado antes.   Em 1ª Pedro. 1:20, lemos que Jesus foi “preordenado ANTES da fundação do mundo”. A palavra “fundamento” aqui vem novamente da palavra grega katabole (derrubar). No plano e propósito preordenados de Deus, Jesus foi escolhido para se tornar o cordeiro sacrificial, morto pelo pecado, ANTES da queda de Adão e Eva, e da “derrubação” do mundo, por causa do pecado ocorrido; mas Ele foi realmente “morto”, no propósito de Deus, DESDE o tempo daquela queda, pois foi quando o sacrifício foi necessário. O próprio Deus dramatizou simbolicamente esta verdade, matando alguns animais e vestindo Adão e Eva com as peles, (Gênesis 3:21). Esses animais mortos no momento da queda foram os primeiros a derramar seu sangue pela expiação do homem, iniciando a longa sucessão de sacrifícios de animais para tipificar o sacrifício final do próprio Jesus Cristo como o “Cordeiro de Deus.”

Padrão da Páscoa.   O modelo para a matança do Cordeiro de Deus foi estabelecido nos ritos que foram dados a Moisés, quando a Páscoa foi instituída pela primeira vez na terra do Egito. Deus disse ao povo para “levar” um cordeiro para cada família, no dia 10 do primeiro mês, e depois “guardá-lo” até o dia 14 do mês, quando deveria ser morto à noite. Assim, o Cordeiro foi “marcado” para a morte (“morto” no propósito de Deus) no 10º dia, mas não foi realmente morto até o 14º dia, sendo guardado por 4 dias. Como um dia é para o Senhor como mil anos, vemos como isso retrata o fato de que, Jesus, (embora “morto”, no propósito de Deus desde o tempo da queda de Adão), foi mantido nos lugares celestiais, por 4.000 anos, antes de vir para a terra realmente morrer.

Conhecendo a hora.  Com base no padrão acima, sabemos que o tempo anterior à cruz de Cristo, foi de 4.000 anos, e isso deixa apenas 2.000 anos, deste lado da cruz para “preencher” a “semana de trabalho” de 6 dias do homem (6 dias). 1.000 anos antes do “dia do Senhor”, o sétimo dia começa. O tempo pode ser calculado como lunar (mais de 354 dias por ano), ou profético (360 dias por ano) ou solar (mais de 365 dias por ano): 2.000 anos de tempo lunar terminaram no ano de 1941; 2.000 anos de tempo profético terminaram em 1972; e 2.000 anos de tempo solar terminaram no final deste século. Visto que os dias devem ser “abreviados” (Mateus 24:22, ou seja, o “Sábado” do DESCANSO de Deus: o milênio de mil anos.

[Nota do Editor – Obviamente já estamos em pleno século XXI sem que o cumprimento destes padrões temporais tenha ocorrido. Ao referir-se à cruz como o seu ponto de referência temporal, o irmão Earls, erroneamente, faz todos os seus cálculos a partir do nascimento de Cristo – que era o ponto de partida comum, para qualquer pessoa que calculasse o regresso do Senhor, no final do século XX.  Na verdade, se usarmos o Calvário, como ponto de referência inicial para os cálculos, dois mil anos solares não ocorrerão, de fato, até aproximadamente 2030 DC.] [Pr. Waltenir. Parece ser essa interpretação a melhor!]

Outra evidência.  O que foi dito acima, mostra que agora é a hora de acontecer, aquilo que é retratado no drama do Monte da Transfiguração. Mas queremos dar uma olhada, em uma segunda evidência. Os 6 dias de Mateus 17:1 equivalem a exatamente 144 horas. Esse número não fala conosco? Multiplique 144 por 1000 (o número de Cristo em Seu ministério Sumo Sacerdotal: sendo o número do Santo dos Santos no Tabernáculo – 10 x 10 x 10 = 1000) e obtemos 144.000 – o número das Primícias de Apocalipse 14: 1. Estas “primícias” são vistas COM o Senhor no monte Sião, ANTES da colheita principal de Apocalipse 14:15.   Assim, após 6 dias, ou 6.000 anos, a partir da queda de Adão, 144.000 estarão PRONTOS para serem levados por Jesus, ao “alto monte” do Seu Reino, e entrarão nos poderes da “vida glorificada”.  Se 144.000 deve ser considerado um número exato, ou apenas um símbolo, de uma companhia maior de primícias, faz pouca diferença.  A verdade é a mesma: que um “remanescente” do povo de Deus, está agora sendo preparado para “subir MAIS ALTO” – como fez Moisés (Êxodo 24:18), enquanto o povo permaneceu no sopé da montanha. Subir o monte com Jesus, como fizeram Pedro, Tiago e João, simboliza tanto aquele lugar ou reino espiritual “mais elevado” que o Senhor está AGORA; conduzindo-nos a: andar nos Seus caminhos e ser conformados à Sua imagem, e também, à entrada literal no Seu Reino celestial, através da trasladação do corpo físico, para um corpo glorificado como o Seu (Filipenses 3:21). Elias está aqui! – “conversando com Jesus” no monte espiritual, e chamando um povo para ascender à sua herança espiritual.

Uma voz no desertoDaremos agora uma última olhada no ministério preparatório de João Batista, que saiu no “espírito e poder de Elias” (Lucas 1:17). Quando questionado pelos sacerdotes e levitas, que vieram até onde ele estava batizando, “Quem és tu?”, João disse: “Eu sou a voz do que clama NO DESERTO, endireitai O CAMINHO do Senhor, como disse o profeta (Isaías).” (João 1:21, 23). Já vimos que Deus fala em “semelhanças” de (padrões) pelo ministério dos profetas. João estava pregando no deserto da Judéia (Mat. 3: 1-3), a fim de retratar a verdade de que em seus dias, os judeus estavam em um “deserto” espiritual, FORA da “Terra Prometida” da bênção e plenitude do Reino. Após o ministério de João, Jesus veio pregando “O TEMPO ESTÁ CUMPRIDO, e o Reino de Deus está próximo: arrependei-vos […] e crede no evangelho” (Marcos 1:15).   Assim, Ele lhes deu a chance de ENTRAR e ver as promessas feitas a Abraão cumpridas, e o reino totalmente estabelecido. Mas eles se recusaram a fazê-lo, a aceitá-lo: “Ele veio para o que era seu, e os seus não o receberam” (João 1:11). Paulo diz em Romanos 11:7: “Israel não obteve o que buscava; mas a eleição os alcançou, e os demais foram cegados.” “Mesmo assim, também neste tempo presente há um ‘remanescente’ de acordo com a eleição da graça” (Romanos 11:5). O dia de Pentecostes, quando o Espírito Santo foi derramado, para estabelecê-los em uma posição de bênção e poder espiritual. Mais   tarde, os gentios foram adicionados a este grupo eleito, quando a casa de Cornélio recebeu o Espírito Santo (Atos 10:44-48).

Não mantido.  A história mostra, contudo, que a Igreja primitiva não conseguiu manter o estado espiritual em que foi estabelecida; nem pressionaram para “possuir plenamente” o terreno que lhes foi dado “em Cristo”. Pelo contrário, mesmo antes da morte dos apóstolos, instalou-se um declínio geral que acabou por levar a Igreja a um “deserto” de empobrecimento espiritualComo já vimos, embora tenha havido tempos de “renovação espiritual” e reavivamento, a Igreja esteve, e ainda está, em grande medida, num “deserto” espiritual, FORA da plenitude da bênção, e do poder espiritual, manifestados no início. Mas Deus agora está se movendo pelo Seu Espírito, e dando ao Seu povo uma oportunidade, de mais uma vez, de ENTRAR e POSSUIR plenamente sua herança espiritual. Assim como João Batista levantou a sua voz no “deserto” dos seus dias, AGORA há aqueles que Deus levantou, para serem uma VOZ no “deserto” da confusão religiosa, do sectarismo e da apostasia. POR QUE? Porque “o Reino dos Céus está próximo”. A “travessia” dos santos de Deus para a Terra Prometida, primeiro em poder espiritual, e depois em glória de trasladação, ESTÁ PERTO.

De volta ao Governo de Deus.  Vimos que João Batista pregou uma mensagem de arrependimento para restauração.  A palavra grega traduzida como “restaurar” em Mateus 17:11 é apokatastasis. As três primeiras letras são um prefixo. O grego apo significa “de” ou “longe de”. O resto da palavra é definido da seguinte forma: “configuração, nomeação, instituição e introdução; um estado ou condição; para trazer embaixadores perante a assembleia.”  O prefixo e a palavra juntos indicam, portanto, um afastamento (apo) das condições de governo NOMEADAS PELO HOMEM.    A “restauração” de João foi a do REGRA DE DEUS.   Ele era um pregador da JUSTIÇA. Ele pregou o REGIMENTO DE DEUS dentro do coração humano, e em todos os assuntos da vida e da nação.   Ele era um REVOLUCIONISTA espiritual. A maioria das pessoas de sua época estavam NO mundo, DO mundo e PARA o mundo. Enquanto ele estava FORA do mundo. neste mundo, NO Espírito de Deus e PARA o Deus de seus pais. Todas as deliberações do homem eram apenas uma abominação para ele.   Ele corrigiu o coração de incontáveis ​​multidões, e em seus corações ele “endireitou o caminho” de seu Senhor, para que um CAMINHO nos corações humanos possa ser preparado para Jesus Cristo. Assim deve ser a nossa mensagem: RESTAURAR A JUSTIÇA dentro do coração humano e DEUS REINAR em todas as coisas. Devemos estar tão no FOGO no zelo de SEU ESPÍRITO que todas as tradições e práticas do homem seja expulso, que SOMENTE CRISTO REINARÁ supremo no coração do indivíduo e nos assuntos de Sua igreja.

Preparando o Caminho.  “Passa, passa pelas portas: prepara […] O CAMINHO do povo: levanta, levanta a estrada; recolhe as pedras; levanta um estandarte para o povo.  Eis que o Senhor proclamou até ao fim do mundo. Dize […] à filha de Sião: Eis que vem a tua salvação; eis que com ele está o seu galardão, e a sua obra diante dele. E eles os chamarão. O POVO SANTO, os redimidos do Senhor; e tu será chamada, procurada, uma cidade não abandonada”. (Isaías. 62:10-12). A imagem nesta passagem é a dos exilados RETORNANDO do cativeiro para à Terra Prometida. O orador exorta o povo a sair da Babilônia e voltar rapidamente para casa. Eles estão removendo obstáculos, trazendo materiais para construir uma ESTRADA, ao longo da qual um fluxo de emigrantes possa marchar, removendo pedras que possam causar tropeços, e erguendo um PADRÃO, para orientar a marcha. Mesmo assim, o Senhor gostaria que preparássemos um CAMINHO no deserto (de desolação espiritual), para que outros pudessem segui-lo e entrar na “Terra Prometida” de bênção e poder que Deus tem para Sua Igreja. Não são muitos os que gostam de ser pioneiros, preparando o caminho para outros, mas alguns devem ouvir Sua voz e obedecer, dizendo à “filha de Sião”: “Eis que vem a tua salvação; eis que com ele está o seu galardão, e diante dele a sua obra.” Se formos FIÉIS em buscá-Lo e obedecê-Lo em tudo o que Ele nos mostrou, então ELE FARÁ A OBRA, e chegará o tempo em que o povo de Deus será chamado de “O Povo Santo, Os redimidos do Senhor. PROCURADA, Uma cidade (povo) não abandonada.”

Você está disposto?  Caro leitor, você está disposto a deixar o Senhor PREPARAR UMA ESTRADA em seu coração? Você está disposto a deixá-lo “endireitar” todos os seus caminhos e juntar as pedras do tropeço?    Você está disposto a LEVANTAR UM PADRÃO para os outros, para que um CAMINHO possa ser preparado e um POVO preparado para Sua vinda?  Em Isaías. 40:4 lemos: “Todo vale será exaltado, e todo monte e colina serão nivelados; e o que é tortuoso será endireitado e os lugares acidentados serão planos!” Os pobres e humildes de espírito devem ser elevados; os orgulhosos e hipócritas, deprimidos; os caminhos “tortuosos” da vaidade e do engano religioso, devem ser mudados para aqueles de simplicidade e integridade; os lugares “ásperos” (rudes) causados ​​pelas “táticas dificultadoras” (Lucas 11:52), de líderes egoístas, devem ser suavizados. ENTÃO a GLÓRIA do Senhor será revelada. Louvado seja o Seu Nome! Então que Ele apresse o dia!

 

Pós-escrito.  Finalmente, ao apresentar a evidência de um ministério de “Elias” para este tempo final, devemos incluir a visão de João, das duas testemunhas de Apocalipse 11:1-12.   No versículo 6, lemos que essas testemunhas têm poder para “fechar o céu, para que não chova nos dias da sua profecia; e têm poder sobre as águas para convertê-las em sangue, e para [ferir] a terra com todas as pragas, como quantas vezes quiserem”. Os milagres aqui mencionados foram realizados por Elias e Moisés no Antigo Testamento, e isso tem levado muitos a acreditar que Elias e Moisés retornarão literalmente a esta terra para serem as duas testemunhas neste tempo finalNão consigo ver que isso é necessário. Já vimos que Elias e Moisés eram TIPOS daquilo que Deus faria através de outros mensageiros especiais, e através de Sua Igreja, pelo poder do Seu Espírito. Minha convicção pessoal, é que as “duas testemunhas”, representam o “remanescente fiel”, que tem testemunhado a verdade de Deus através desta era, durante o sistema de duas Igrejas. O sistema de duas Igrejas foi representado primeiro pelos ramos Ortodoxo Oriental e Católico Romano, e depois reabastecido pela divisão entre os grupos Católico Romano e Protestante.  Deus sempre teve um remanescente espiritual como testemunhas fiéis, dentro e no meio dos sistemas eclesiásticos organizados, e esse testemunho será intensificado no tempo final, à medida que Deus unge aqueles, cujos corações estão totalmente voltados para Ele, para “preparar o caminho” para Sua chegada. De suas bocas sairá o “fogo” de Sua Palavra (ver Jeremias 5:14; 20:9) para “devorar seus inimigos”, como lemos em Apocalipse 11:5. Acredito, também, que a profecia das duas testemunhas, encontrará cumprimento especial neste tempo final, no ministério duplo dos apóstolos e profetas, que Deus está restaurando à Igreja (Efésios 2:20; Apocalipse 18:20; Lc. 11:49).

Dois homens.  Mas por causa do testemunho especial necessário, (particularmente para os judeus), as duas testemunhas também serão certamente dois homens individuais, profetas de Deus, nascidos no tempo estratégico, para fazerem as obras de Apocalipse 11:6, e serem martirizado nas ruas de Jerusalém (Ap 11:7-8).

Se Deus vai trazer de volta dois homens, em vez de Moisés e Elias, seriam os profetas da era do Novo Testamento. Jesus disse aos Seus discípulos: “Sereis minhas testemunhas” (Atos 1:8).   Isso era verdade então, e tem sido verdade para todos os Seus discípulos, através desta era até o fim. Mas há uma maneira especial pela qual as duas testemunhas de Apocalipse 11 poderiam ser testemunhas de Jesus. Eles poderiam ser homens que realmente viram Jesus, ouviram-no ensinar e realizar milagres, e também testemunharam Sua morte e ressurreição. [Pr. Waltenir. Em outra revelação chamada “Os Filhos Manifestado de Deus”, o Senhor afirma que serão o Apóstolo João e Lázaro que estão vivos até hoje!]. Seria impossível que Moisés e Elias fossem testemunhas Dele neste sentido. Visto que a Nova Aliança é uma aliança melhor, com promessas melhores, (Hebreus 7:22, 8:6), por que o Senhor deveria trazer de volta dois homens que viviam sob uma aliança inferior para serem Suas testemunhas?  A palavra grega “melhor” nestas passagens na verdade significa “mais forte” ou “mais poderoso”. Estas testemunhas especialmente escolhidas, que ministrarão sob a Nova e mais poderosa aliança do que a antiga, certamente não terão problemas em fazer obras semelhantes, ou até mais poderosas do que Moisés e Elias, quando o Senhor se preparar para usá-los. Jesus falou a João: pouco antes da visão das duas testemunhas, e disse: “É necessário que você profetize novamente diante de muitos povos, e nações, e línguas, e reis.” João, então, será uma das duas testemunhas?  Só o tempo dirá. Maranata! Mesmo assim, venha Senhor Jesus! (ver Apocalipse 10:11; 22:20) Nota do Editor – O irmão Earls fala mais detalhadamente sobre as identidades das testemunhas na profecia intitulada “ As Duas Testemunhas.

………………………………………///……………………………………..

Na Coletânea que postei no meu Site, www.waltenirporto.com com o título “Os Filhos Manifestados de Deus”, você encontrará o tópico sobre “As Duas Testemunhas”.

 

[FIM]

 

………………………………………………………………………………….

 

 

A AGITAÇÃO DE TODAS AS COISAS

Versão completa

(não datada)

 

Um extenso estudo dos abalos naturais e espirituais de Hebreus. 12:27-38 que ocorrerá no fim dos tempos

 

A AGITAÇÃO DE TODAS AS COISAS

 

 

INTRODUÇÃO

Jesus disse: “Conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará” (João 8:32). Quando conhecemos a verdade sobre as coisas que estão por vir na Terra, e vemos como tudo o que Deus propôs se encaixa num padrão sincronizado, isso nos liberta de muitas das ansiedades e incertezas, que de outra forma, quase certamente nos atormentariam. Quando vemos essas coisas acontecerem, podemos atender à admoestação de Jesus de “olhai para cima e levantai as vossas cabeças, porque a vossa redenção está próxima” (Lucas 21:28).   Neste estudo mostraremos o propósito e o processo de Deus de “abalar” TODAS as coisas que podem ser abaladas, em preparação para a plena inauguração daquele Reino que não pode ser abalado, (Hb 12:27-38). Este abalo será literal e simbólico. Envolverá o abalo deste planeta e da sua atmosfera por perturbações sísmicas e explosões nucleares. Mas também envolverá o abalo de todos os sistemas sociais, políticos, religiosos e económicos do homem. Por último, mas não menos importante, envolve o trato de Deus em nossas vidas individuais, lares e igrejas, à medida que Deus põe tudo à prova, para que tudo o que não é Dele seja “sacudido” de nós, para que possamos nos unir, apenas para o que nos levará até a nova era que está chegando.

Que o Senhor vivifique essas verdades em seu coração.

 

 

A AGITAÇÃO DE TODAS AS COISAS

 

 

Todas as coisas novas.  “E disse aquele que estava sentado no trono: Eis que faço novas todas as coisas. E ele me disse: Escreva: porque estas palavras são verdadeiras e fiéis” (Apocalipse 21:5). Em uma varredura majestosa de triunfo absoluto e final; em completo desafio a todo fator ou força contrária; o decreto divino sai do trono do Altíssimo: “Eis que faço NOVAS todas as coisas”. Para torná-lo mais enfático para aqueles que receberão esta mensagem dada por Deus, João é instruído a escrever que essas palavras são “verdadeiras e fiéis.” Lemos em Apocalipse 21:1 que incluídas em “todas as coisas” a serem renovadas, estão “um novo céu e uma nova terra”. Neste versículo, não creio que o Senhor estivesse falando em trazer à existência um planeta diferente, mas sim que a própria terra em que vivemos, incluindo o seu “céu” ou atmosfera, será mudada, renovada, transformada e trazida para um novo reino, no plano e propósito de Deus.

Não há mais maldição  Em Apocalipse 22:1-2, vemos um rio puro de água da VIDA, procedendo do trono de Deus, que flui para a árvore da VIDA, cujas folhas fornecem “cura para as nações” (da terra). Segue-se então uma declaração muito significativa: “E NÃO HAVERÁ MAIS MALDIÇÃO” (Apocalipse 22:3).  Foi esta terra atual que ficou sob maldição, por causa do pecado (Gn 3:17), afetando toda a vida nela, e todos os seus elementos. Em Isaías. 24:4-6 diz: “A terra pranteia e murcha … a terra também está contaminada pelos seus habitantes… Por isso a maldição devorou ​​a terra.”  Mas Paulo nos informa em Rom. 8:19-21, que toda a criação espera e antecipa, sinceramente, a libertação, através da “manifestação dos filhos de Deus”, e isso inclui a terra em que vivemos. Certamente, quando o vestígio final da maldição for removido desta terra, ela se tornará uma “nova” (renovada) terra. Em Apocalipse 20:11, lemos que quando uma certa época é alcançada no programa de Deus, que “o céu e a terra fugiram” (mudou-se para um local diferente no universo) e “não foi achado lugar para eles” (onde estavam antes). O mesmo é sugerido em Isaías 24:20, onde o profeta diz que a terra será “removida como uma rede de dormir”, “e cairá (será movido para um local diferente), e não se levantará novamente” (nunca retornará ao seu posicionamento anterior). Assim, parece que ao fazer novas todas as coisas. Deus moverá a terra e sua atmosfera circundante (talvez até mesmo o todo sistema solar do nosso sol e planetas) para uma nova órbita e posicionamento em relação ao Seu Trono e ao resto do universo.

O processo de Deus.  Primeiro, devemos considerar a questão de COMO Deus fará novas todas as coisas. As escrituras são muito claras a respeito deste assunto.   A “nova terra” não envolve apenas mudanças neste planeta físico e nos reinos animal, vegetal e mineral, mas envolve, em particular, uma nova humanidade.   Mas antes que o novo possa chegar, o velho deve ser eliminado.

A terra (e toda a humanidade) está a definhar sob os sistemas corruptos da civilização humana, e nada do que é antigo pode entrar no novo. Lemos em Isaías. 24:5: terra também está contaminada sob os seus habitantes; porque eles transgrediram as leis; mudaram as ordenança; quebraram a aliança eterna da terra, por isso a maldição devora a terra, e os que nela habitam sofrem por serem culpados; por isso são queimados os seus habitantes e poucos homens sobraram.”  Esta escritura descreve as consequências da loucura do homem, mas também descreve os meios, pelos quais Deus julgará e purificará a terra, daquilo que não pode permanecer, para estragar o reino justo que está por vir.  A única maneira pela qual a Terra poderia ser “queimada” e “sobrarem poucos homens” seria através de uma guerra atômica total. O tempo de Deus para isso é representado simbolicamente em Apocalipse 8:5, onde um anjo tira fogo do altar no céu e o lança na terra (após o que houve vozes, e trovões, e relâmpagos, e um terremoto). Sete vezes no livro do Apocalipse, a palavra “terremoto” é usada para descrever eventos catastróficos que põe fim à civilização corrupta do homem, e removem aquilo que o homem construiu à parte de Deus.

Ilustrar. Temos ouvido muito nos últimos anos sobre “renovação urbana”. Muitos programas foram iniciados nas grandes cidades para reconstruir certas áreas degradadas, com novos edifícios, paisagismo, etc. Mas antes que isso pudesse ser feito, os edifícios antigos tiveram que ser demolidosDeus, como arquiteto e mestre de obras, deve fazer o mesmo com o que o homem construiu à parte Dele. O plano de Deus é que o homem seja um colaborador Dele (1 Coríntios 3:9), mas o homem, como um todo, falhou em seguir o plano e desígnio de Deus e, ao longo de muitas gerações, corrompeu a terra com sua pseudo-civilização, sob o domínio e ardis de Satanás. Em Apocalipse 11:18, o escritor inspirado refere-se ao tempo em que Deus “destruirá os que destroem a terra”. A palavra grega traduzida como “destruir” nesta passagem é diaphtheiro, que significa literalmente “poluir completamente”, também pode ser traduzido como “estragar ou corromper completamente”. Quão bem Deus previu o tempo em que o homem iria estragar enormemente a terra, poluir o ar e a água, e corromper as mentes das massas, e o julgamento seria que, o homem COLHER as consequências trágicas de sua própria loucura, até mesmo para sua própria destruição

Deus treme.   Em Hebreus. 12:27, lemos sobre o propósito de Deus de “abalar” todas as coisas, para que aquelas coisas que podem sejam abaladas, sejam removidas. Leia todo o Heb. 12:18-29, e observe como o abalo final é contrastado com o abalo no Monte Sinai, quando Deus tirou Seu povo do velho (Egito) para que Ele pudesse conduzi-lo para a nova (Canaã). Isto é muito importante, pois o abalo (e eventos relacionados) no Monte Sinai, é um TIPO de abalo final de todas as coisas. Você pode ler a história em Êxodo 19. Não é nosso propósito aqui entrar em detalhes, mas observe em Êxodo. 19:11, 15-16, 20, que foi no início do TERCEIRO DIA que Deus desceu ao Monte Sinai. Isso aconteceu depois que Deus ordenou a Moisés que santificasse o povo e fizesse com que lavassem suas roupas por dois dias como preparação (Êxodo 19:10-11, 14). Sabemos que um dia é para o Senhor como mil anos (II Pedro 3:8). Durante os últimos dois dias (dois mil anos) nosso “Moisés” (Jesus Cristo), tem PREPARADO UM POVO para Sua descida ou RETORNO a esta terra, fazendo neles uma obra santificadora (separadora), e fazendo com que sejam purificados. “com a lavagem da água pela PALAVRA” (Efésios 5:26). Veja os períodos de tempo [abaixo] que mostram que estamos chegando ao fim de dois dias ou dois mil anos, desde o momento em que Cristo começou a preparar um povo, e estamos no alvorecer do terceiro dia.

Nota: Os períodos de tempo mencionados [acima] são os seguintes: Dois dias ou dois mil anos de tempo lunar, terminaram em 1941 (2000 x 354+ – 365,24 = 1941). Dois mil anos de tempo profético terminaram em 1971 (2.000 x 360 – 365,24 = 1971). Assim, a partir de duas perspectivas, já estamos no alvorecer do TERCEIRO dia desde Cristo. Cálculo solar vai até 2.000 DC

 

Nota do EditorObviamente já estamos em pleno século XXI sem que o cumprimento destes padrões temporais tenha ocorrido. Ao referir-se à cruz como o seu ponto de referência temporal, o irmão Earls erroneamente faz todos os seus cálculos, a partir do nascimento de Cristo – que era o ponto de partida comum para qualquer pessoa, que calculasse o regresso do Senhor no final do século XX. Na verdade, se usarmos o Calvário como ponto de referência inicial para os cálculos, dois mil anos solares não ocorrerão de fato até aproximadamente 2030 DC.] [Pr. Waltenir. Penso que esse período é o mais provável]

 

Agitação do céu.  Em Hebreus. 12:26, ​​a respeito destes últimos dias, Deus diz: “Mais uma vez abalo não só a terra, mas também o céu.”  Este “abalo” será literal e simbólico. Olhando primeiro para a aplicação literal, sabemos que um terremoto pode abalar a terra e também o mar (maremotos), mas não pode afetar o céu. Mas há um fenômeno que foi divulgado nos últimos anos que abala os céus. O próprio Jesus indicou que um dos grandes sinais da consumação dos tempos seria o fato de que “os poderes do céu serão abalados” (Lucas 21:26). A palavra grega traduzida como “céu” é ouranos, da qual obtemos a palavra urânio, cuja raiz é urano, a respeito da qual o Funk & Wagnalls Standard Universal Dictionary diz: “urano; do grego ouranos, céu: uma forma de combinação. Em química e palavras mineralógicas, refere-se ao elemento urânio.”  Sabemos que o urânio é a substância metálica fissionável utilizada na produção de bombas atômicas. A energia atômica é derivada da desintegração (ou do “tremor” ou divisão), do núcleo de átomos de elementos de alta massa atômica, por exemplo, urânio 235. Assim, quando Jesus disse que os “poderes do céu seriam abalados”, Ele estava falando daquilo que poderia ser parafraseado da seguinte forma: “Os poderes (energia) do céu (ouranos – átomo de urânio), serão abalados, (divididos através da fissão nuclear). “Os cientistas dizem-nos que um átomo consiste num pequeno e massivo “núcleo” nuclear composto de neutrões e protões, rodeado por uma região relativamente vazia na qual os eletrões giram em órbitas elípticas ou circulares em torno do núcleo. Assim, um átomo é um minúsculo “sistema solar” em si mesmo, com seu “sol” ou núcleo e “planetas” (elétrons) girando em torno dele. Assim, quando um átomo é dividido.

Perturbação atmosférica. Outra característica única das bombas atômicas que cumpre a profecia do “tremor do céu” é o fato de que uma explosão atômica ocorre no ar (céu atmosférico) e não através do impacto na terra, como nas bombas convencionais. E o dano resultante é em grande parte devido à ação do vento criado pela explosão. Temos uma alusão simbólica a isso em Apocalipse 7:1, onde quatro anjos são vistos nos quatro cantos da terra “segurando os quatro ventos da terra, para que o vento não sopre sobre a terra, nem sobre o mar, nem em nenhuma árvore.”  Esses ventos, sem dúvida, falam dos julgamentos completos e consumados que virão sobre a terra, e os versículos seguintes em 7:2-3 indicam que esses julgamentos devem ser “retidos” até que Deus faça uma certa obra espiritual de “selar os servos”. de Deus em suas testas.”  Em outras palavras, Deus deve terminar a obra de preparação do Seu povo antes que chegue o julgamento final. Certamente os “quatro ventos” podem indicar destruição causada por tempestades naturais, mas quando juntamos este simbolismo com outros em Apocalipse, onde os julgamentos de Deus vêm através do “fogo” (Apocalipse 16:8-9, 8:5-7), nós podemos ver que o fogo das explosões atômicas mais a ação terrível e devastadora do vento que surge como consequência preenchem o quadro. Também encontramos em Heb. 12:26-29 onde Deus diz que Ele irá abalar não apenas a terra, mas também o céu, que a declaração final dessa passagem é: “porque o nosso Deus é um fogo consumidor”. É o fogo ardente e consumidor de Deus, que é liberado quando uma bomba atômica explode; o “céu” dos átomos é abalado ou dividido, o céu atmosférico é violentamente perturbado, e os “ventos” do julgamento de Deus são liberados sobre a terra.

 

[A AGITAÇÃO DE TODAS AS COISAS – PARTE II]

 

Simbólico.  Demos uma olhada na verdade literal dos “céus sendo abalados”, mas precisamos também ver a aplicação simbólica. “Céu” fala daquilo que está mais acima, ou acima da terra, e, portanto, principalmente dos governantes e líderes da terra e de seus sistemas. Em Apocalipse 6:12, como resultado da abertura do sexto selo (número do homem), segue-se um “grande terremoto” (tremor), e então, no versículo 13, lemos que há uma grande perturbação nos céus, como “as estrelas do céu caíram na terra, assim como uma figueira lança seus figos prematuros quando é sacudida por um vento forte”. Uma parte dos fenômenos do fim dos tempos serão terremotos literais e perturbações cósmicas, mas como o livro de Apocalipse retrata muitas coisas, em linguagem simbólica, precisamos ver que “estrelas” se referem a governantes, líderes e aqueles em “lugares altos”. “nos “céus”, políticos, econômicos e religiosos. No microcosmo dentro de cada pessoa, o “céu” fala da mente e do pensamento, e geralmente aqueles que ocupam posições de liderança e governo nos sistemas deste mundo, são os pensadores: aqueles que são os intelectuais e educados em contraste com a “terra”. ” e “mar” das massas em geral da humanidade.

Estrelas cadentes.  Em Apocalipse 6:14, lemos que “o céu se retirou como um livro que se enrola; e todos os montes e ilhas foram removidos dos seus lugares”. Não se pode duvidar do fato de perturbações cósmicas e geográficas literais, serem descritas aqui. Mas através da Sua linguagem simbólica, Deus procura mostrar-nos algo mais. O “céu” com suas “estrelas” sendo “enroladas como um pergaminho” fala muito para nós, quando vemos que Deus está simbolicamente dizendo que Ele está “fechando o livro”, por assim dizer, sobre o mandato da liderança do homem sobre os assuntos desta terra. As montanhas e ilhas sendo removidas de seus lugares nos falam das nações sendo grandemente abaladas e mudadas, à medida que suas “estrelas” (líderes) caem de suas posições no dia da ira de Deus. As “estrelas” que caem estão simplesmente sofrendo o mesmo destino da “estrela” original (Lúcifer – que significa estrela brilhante ou estrela do dia), que foi expulsa do céu de Deus (João 12:31, Apocalipse 9:1), e ainda mais expulsa de seu próprio “céu” na atmosfera ao redor de nossa terra, quando o filho varão for arrebatado para Deus e Seu trono (Apocalipse 12:5, 9).   Voltando a Apocalipse 6:15, vemos uma lista das “estrelas” que caem como reis da terra, e os grandes homens, e os homens ricos, e os capitães-chefes, e os homens poderosos.” Aqueles que têm sido as “estrelas” do mundo político, comercial, religioso e social, encontram encontram-se nas mesmas circunstâncias terríveis que as massas, na fuga para se esconderem da ira dAquele que está sentado no trono (Apoc. 6:16-17).

Figos prematuros.  Outro fator interessante neste quadro simbólico é apresentado em Apocalipse 6:13, onde lemos que as estrelas do céu caíram “como quando a figueira lança fora os seus figos verdes, abalada por um vento forte”. Já vimos que o “vento” simboliza o julgamento de Deus, mas precisamos concentrar nossa atenção no fato de que Deus compara as “estrelas cadentes” à queda de figos de uma árvore durante uma tempestade de vento, antes que estejam maduros. Sabemos que a figueira é um tipo do povo judeu. Não está Deus, em linguagem simbólica, procurando nos mostrar aqui mesmo que, à medida que os últimos dias desta era alcançam sua consumação, que nas grandes nações comerciais, industriais e financeiramente importantes (que detém a chave para o destino do resto das nações do mundo), que os judeus seriam muito influentes em altos cargos de liderança (seja abertamente ou nos bastidores)? Quando Deus escolheu Israel, Ele sabia que eventualmente, em sua dispersão condição em todas as nações, que eles seriam um povo “inteligente” (também inteligente e intrigante em muitos aspectos – como Jacó, seu pai, que manobrou Esaú fora de seu direito de primogenitura). Isso não é de forma alguma uma tentativa de ser antijudaico ou envolver-se na tolice do bode expiatório, mas simplesmente apontar fatos que confirmam a Palavra de Deus.   A grande influência dos judeus nas nações é desproporcional ao seu pequeno número.   Foi também um judeu (Karl Marx) o pai do comunismo, que tanto influenciou muitas nações, dando origem ao sistema da Besta anticristo encabeçado na Rússia, e que está ganhando um poder tão impressionante nestes últimos dias (a primeira Besta de Apocalipse 13), e provavelmente será um Judeu que trabalhará de mãos dadas com o sistema Besta do Comunismo como o “falso profeta” para enganar o resto das nações. Esta segunda besta de Apocalipse 13 é retratada como tendo dois chifres semelhantes aos de um cordeiro (13:11), o que poderia indicar um judeu criado em uma nação cristã. Notamos que Henry Kissinger é judeu e realizou “milagres” (foi chamado de “fazedor de milagres” pelo Presidente Sadat do Egipto) para conseguir a abertura da “distensão” entre nações comunistas e não comunistas. E como a “distensão” faz parte da conspiração comunista para “enganar os olhos” dos ocidentais estúpidos e “induzir” as nações ocidentais a dar-lhes o máximo de ajuda financeira, técnica e industrial possível (então eles irão esteja melhor preparado para nos destruir), QUEM Henry Kissinger está realmente ajudando?? Se Kissinger é um candidato a “falso profeta”, só o tempo dirá, mas certamente será um homem capaz de realizar a “mágica” de unir o Oriente e o Ocidente mais estreitamente num “mundo único” sociedade. [Ele morreu em  2023].

 

Parábola.  A forma como os judeus se tornaram influentes nas nações gentias, em quase todas as áreas de atuação, é dada numa parábola que Jesus contou, conforme registrada em Lucas 16. Seria necessário um longo artigo para lidar completamente com o assunto, e isso está além do escopo deste artigo, desta escrita.   Mas observe brevemente que a parábola trata de um mordomo que foi infiel ao seu senhor. Na sua primeira e principal aplicação, esse mordomo representa a nação de Israel que Deus escolheu para ser o mordomo da Sua Palavra e dos seus convênios (ver Rom. 3:1-2, 9:4). Visto que os judeus falharam na sua confiança na mordomia, quando Jesus veio à terra, Ele declarou que a mordomia do Reino seria tirada deles e dada a outro povo (Mateus 21:43) que produziria os frutos (a igreja). Quando o mordomo de Lucas 16 foi exonerado de suas responsabilidades para com o Mestre, ele saiu e manipulou o dinheiro dos devedores de seu Mestre em benefício deles, para que o recebessem em suas casas (Lc 16:4-7) … Da mesma forma, os judeus, depois de serem dispensados ​​e expulsos de suas terras em 70 DC, foram aceitos nas “casas” das nações gentias para se tornarem financistas, cambistas, etc. de influência nas áreas científica, industrial e governamental das nações gentias. Uma das razões pelas quais os russos têm resistido à emigração de judeus instruídos para fora do país, para o Estado de Israel, é que eles constituem um reservatório de “cérebros” que os russos não querem perder.

O julgamento intervém.  Não podemos tentar tornar os Judeus mais culpados do que qualquer outro ser humano na sociedade corrompida do homem. Todos estarão sob o julgamento interveniente de Deus. Mas devido ao seu fracasso como “mordomo” de Deus, e à sua rejeição a Cristo, quando Ele veio até eles, eles se tornaram “inimigos de Deus” (Romanos 11:28) durante esta dispensação e, portanto, particularmente suscetíveis aos ardis de Satanás. na sua tentativa de moldar as nações numa sociedade mundial, e também Deus previu a influência muito além do seu pequeno número que os judeus exerceriam no final desta era. Mas visto que Deus disse que o “vento” do Seu julgamento removeria os “figos prematuros”, isso indica que a intervenção divina ocorreria antes que os planos para uma sociedade mundial sob o anticristo e o falso profeta, estivessem completamente maduros, e todos os “estrelas” (tanto judeus como gentios) cairão por terra em completa derrota diante daquele que está sentado no trono! Aleluia!

Mensagem agitada. Olhando novamente para o padrão no Monte Sinai, Heb. 12:26 diz que a voz de Deus “abalou a terra”. Deus falou audivelmente do céu naquela ocasião. Mas para nós isso é um tipo daquilo que Deus pretende fazer nestes últimos dias; tipicamente retrata uma MENSAGEM que será transmitida através da igreja e que irá “abalar” as nações da terra. Também lemos em Êxodo 19:19 que quando a glória do Senhor desceu sobre o Monte Sinai, “a TROMBETA tocou longamente, e foi ficando cada vez mais alto.” Na linguagem simbólica de Deus, uma trombeta representa uma voz transmitindo uma mensagem. Deus disse ao profeta Isaías para levantar sua voz como uma trombeta (Isaías 58:1).   O apóstolo João na ilha de Patmos, foi arrebatado no Espírito no dia do Senhor, e ouviu atrás dele “uma voz, como de uma trombeta”, a Igreja (Apocalipse 1:10-13). Uma das festas que Deus estabeleceu em Israel foi a Festa das Trombetas (Lev. 23:24). Isso acontecia no primeiro dia do sétimo mês, que inaugurava seu ANO NOVO. O sétimo mês era o início do ano civil ou agrícola, mas também a consumação do ano religioso com a festa dos Tabernáculos, a sétima e última das sete festas religiosas, que ocorria naquele mês.   Assim, o sétimo mês representou uma sobreposição, tanto como começo quanto como consumação. Quão adequado é este tipo do dia em que vivemos, já que uma mensagem de TROMBETA está saindo para declarar um NOVO DIA do Senhor, mas também apresentando a verdade da COLHEITA consumada (Tabernáculos) de todas as coisas. A trombeta do Ex. 19:19 anunciou a DESCIDA do Senhor no Monte Sinai, tipificando o RETORNO do Senhor a esta terra no final desta era. Assim, que aquela “mensagem de trombeta” declarando Sua vinda “cresça cada vez mais alto”, e que essa mensagem possa “sacudir” Seu povo, assim como o Monte Sinai “tremeu grandemente” (Êxodo 19:18)!

Voz como muitas águas.  Depois que o Apóstolo João ouviu a voz do Senhor como “uma trombeta” (Ap 1:10), ele em seguida ouve Sua voz “como o som de muitas águas” (Ap 1:15). “Águas” são um tipo de “povos, e multidões, e nações, e línguas” (Apocalipse 17:15). Assim, quando Sua voz é ouvida como o “som de muitas águas”, isso significa muitas pessoas respondendo à mensagem de Sua voz e compartilhá-la, tornando-se as “muitas águas” dessa voz para outros. O profeta Ezequiel lança considerável luz sobre o efeito da voz profética sendo elevada como uma “trombeta” e tornando-se o som de “muitas águas” (povos) no capítulo 37 de seu livro. Ele vê um vale de ossos secos, representando a condição dispersa e espiritualmente empobrecida de Israel em seus dias, e também retratando por tipo a condição geral do cristianismo em nossos dias. Ezequiel foi instruído a profetizar (falar a Palavra de Deus) aos ossos que estavam muito secos, e Deus prometeu colocar nervos e carne nos ossos e fazê-los viver. Então Ezequiel foi instruído a profetizar aos ventos, para que o fôlego pudesse entrar na casa reavivada de Israel: Quando Ezequiel obedeceu e falou a Palavra, ele diz: “Enquanto eu profetizava, houve um barulho, e eis um abalo, e os ossos se juntaram, osso com osso” (37:7). Enquanto Ezequiel contemplava a obra do Senhor à medida que a Palavra se espalhava, ele diz: “viveram e se puseram de pé, um exército muitíssimo grande (37:10). E através desse “grande exército” de Seu povo espiritual, SUA Voz e mensagem se multiplicarão como “muitas águas” fluindo com poder vivificante para as nações. Isto é retratado de forma simbólica mais tarde no livro de Ezequiel, quando o profeta vê a glória do Senhor retornando ao templo.  Em Ezequiel 43:2 o profeta descreve o que viu em visão: “E eis que a glória do Deus de Israel vinha do caminho do oriente; e a sua voz era como o ruído de muitas águas; e a terra resplandeceu com sua glória.”  Depois, no cap. 47:1-9, ele descreve ainda mais sua visão contando sobre as águas que viu saindo da casa ou templo do Senhor, aumentando em profundidade à medida que fluíam e trazendo VIDA aonde quer que fossem. Tenho certeza de que há mais de uma aplicação ou cumprimento desta visão de Ezequiel, e sem dúvida ela terá um cumprimento mais completo e literal depois que o Senhor retornar a esta terra e começar a inaugurar Seu Reino, mas acredito que o Senhor está AGORA. preparando Sua “casa” ou “templo” espiritual (a igreja) por meio de revelação e purificação, para que a GLÓRIA PLENA do Senhor possa ENCHA aquela igreja, e que águas espirituais vivificantes possam fluir para as nações em um poderoso avivamento neste fim tempo.

O propósito de Deus.  Amado, se pudermos ver como o propósito de Deus está progredindo agora.  Deus está “sacudindo” o mundo cristão hoje com o derramamento do Seu Espírito e com a mensagem da “trombeta” de arrependimento e renovação para que possamos “ganhar vida” da nossa morte espiritual (ossos secos), e também nos unirmos como um só corpo. em Cristo, respondendo à oração de Jesus, conforme registrado em João 17:21,” para que todos sejam um; como tu , Pai, és em mim, e eu em ti , para que também eles sejam um em nós; para que o mundo creia que você me enviou”.  Mas Deus sabe que, a fim de trazer a nova vida, vitalidade e poder que Ele tem para a igreja em unidade e unidade, Ele deve nos sacudir para fora de nossos velhos padrões, tradições e mentalidade “estática” de status quo. O “abalo” que Deus está fazendo agora é apenas um prelúdio para o “terremoto” espiritual que virá quando Deus derramar plenamente o Seu Espírito, para que possamos gradualmente estar preparados para esse dia.  Na língua hebraica, a palavra para “respiração, ar, vento e Espírito” é a mesma – ruach; então, quando Ezequiel profetiza que o vento “respirará” sobre os ossos secos sendo revestidos de carne, isso retrata por tipo como Deus está movendo seu Espírito sobre Sua Igreja, e quando a plenitude desse “sopro” do Espírito de Deus vem, então o povo de Deus “se levantará, um exército muito grande” (Ezequiel 37:10), para sair com poder para colher a colheita do fim dos tempos.

A glória ainda está por vir.  Outro retrato profético do abalo de Deus, nos é dado em Ageu 2:1-9. Ageu foi um dos profetas do remanescente judeu, que retornou da Babilônia, para reconstruir o templo do Senhor. A sua mensagem de “trombeta”, juntamente com a de Zacarias, foi transmitida pelo Espírito do Senhor para encorajar o povo a continuar a reconstrução, apesar da forte oposição, e de muitas dificuldades (ver Esdras 5:1-2, 6:14) … Muitas das pessoas que estavam reconstruindo o templo ainda se lembravam da glória do templo de Salomão, que havia sido destruído pelos babilônios, alguns anos antes, na época em que os judeus foram levados cativos. Parecia-lhes que o templo que estavam reconstruindo não iria se igualar a ele em glória e esplendor (Ageu 2:3). Da mesma forma, é difícil para muitos cristãos hoje acreditar que Deus ainda levará a Sua Igreja (o verdadeiro templo espiritual) ao plano de glória e poder, que foi manifestado na Igreja apostólica no início.   Mas lemos em Ageu 2:9 que “a glória desta última casa será maior do que a da primeira, diz o Senhor dos Exércitos: e neste lugar darei paz. A” última casa “será a igreja ou espiritual templo nos últimos anos desta dispensação, cuja glória será maior que a da “antiga casa” ou igreja do período apostólico.

O desejo de todas as nações.  Bem no meio da grande mensagem profética a respeito da glória da “última casa”, Deus declara Seu propósito de “sacudir” todas as coisas (Ageu 2:6-7).   Em outras palavras, Deus deve “sacudir” aquilo que pode ser abalado para que Seu propósito possa ser cumprido. Ele diz que abalará os céus (líderes), a terra (sistemas organizados de homens), o mar (massas de pessoas) e o SECO (os espiritualmente “secos”, como Ezequiel diz no capítulo 37). Então Ele diz que abalará todas as nações… é preparar o caminho para que o “desejado de todas as nações” (o próprio Senhor Jesus) RETORNE à esta terra. Esta frase “o desejado de todas as nações” em Ag. 2:7 pode parecer bastante estranha, pois é bastante óbvia, que no momento as nações certamente não estão “desejando” o Senhor. Mas isso mudará rapidamente à medida que o processo de “agitação” ganhar impulso. Lemos sobre isso no Salmo 110:3: “O povo estará disposto no dia do teu poder.” Esta “disposição” chegará a muitos através do derramamento de poder espiritual como o mundo nunca viu, pois verão a glória de Cristo manifestada em Sua Igreja numa mensagem de poder, com poderosos sinais e maravilhas.   Eles responderão a este “abalo” positivo recebendo a mensagem de salvação e voltando-se para o Senhor.   Outros se tornarão dispostos através da “pressão” dos acontecimentos, à medida que Deus abala (negativamente, em julgamento) tudo o que pode ser abalado. Desenvolver-se-á um tal caos na terra, com o total fracasso dos homens em controlar a situação e manter a segurança e a ordem, que o restante de todas as nações (que sobrevivem à loucura-no-conflito do homem) estará literalmente “ofegante” para que o Senhor o ajude. retornar e assumir.

Invasão do Leste.  Isaías cap. dois dá outra imagem profética do “abalo” que está por vir e as razões para isso. Em 2:19 lemos: “e entrarão nas cavernas das rochas e nas cavernas da terra, por temor do Senhor e para glória da sua majestade, quando ele se levantar para abalar terrivelmente a terra”. Ao lermos os versículos anteriores desse capítulo, podemos ver a razão do “tremor” de Deus no julgamento. Em 2:6, o profeta inspirado fala ao Senhor dizendo: “Por isso abandonaste o teu povo, a casa de Jacó, porque se reabastecem desde o oriente, e são adivinhos como os filisteus, e se agradam dos filhos dos estrangeiros”. “O que o antigo Israel fez, o mesmo fez a moderna cristandade. A palavra “estrangeiro” no versículo anterior pode ser traduzida como “estrangeiros” ou “estrangeiros”.  Foi a influência estrangeira das nações a Leste de Israel, que corrompeu o povo de Deus com suas práticas religiosas, idólatras, ocultas, místicas e metafísicas, incluindo adivinhação de inspiração satânica, leitura da sorte, astrologia, bruxaria, etc., é o que poderíamos chamar de uma “invasão” do pensamento religioso oriental e das práticas místicas e ocultas na América hoje.  Este influxo de influência oriental está preenchendo o vácuo deixado pelo fracasso das Igrejas em dar ao povo aquilo que é vivo, vital e poderoso…

Por ilustração.  Não perderei tempo aqui detalhando o que você pode ler em muitas fontes hoje, grande parte delas nos jornais diários e também em muitas revistas populares. O interesse pelo psíquico e pelo ocultismo está aumentando rapidamente. Muitas pessoas, incluindo generais do exército, corretores de Wall Street e legisladores, estão praticando técnicas orientais de meditação transcendental, agora popularmente conhecidas como MT. Há agora um movimento massivo em direção ao misticismo, e vários tipos de espiritismo estão fascinando milhares de pessoas, incluindo um grande número de jovens. Em novembro de 1973, o gigante Astrodome em Houston, Texas, foi alugado para apresentar um guru religioso de 16 anos da Índia, o Buru Jaharaj Ji, que conquistou milhares de devotos entusiasmados neste paísLi recentemente que Jerry Rubin, um dos notórios ativistas do Chicago Seven, proclamou publicamente a milhares dos seus admiradores, a sua fé absoluta em Buru Maharaj como o futuro salvador do mundo. Em Berkeley, o rei do acid-rock Carlos Santana, até recentemente conhecido por seus cabelos compridos até a cintura, surpreendeu o público quando subiu ao palco com o cabelo cortado e montou um altar com uma foto de seu guru, Sri Chimmay. Muitos ex-jovens de cabelos compridos agora usam cabeças raspadas, calças de pijama e turbantes, para se juntarem aos dançarinos que cantam, saltando para cima e para baixo enquanto jogam pétalas de rosa sobre ídolos de divindades hindus. Muitos outros exemplos poderiam ser dados para mostrar o cumprimento da profecia de Isaías de que nossa nação está sendo “reabastecida pelo Oriente”, à medida que a multitudinária variedade de antigas crenças e práticas religiosas e ocultistas de inspiração satânica inundam o vácuo religioso e psicológico deixado pelo fracasso. das Igrejas.

 

[O abalo de todas as coisas – PARTE III]

 

Homem abatido. O efeito abalo dos terremotos, geralmente resulta no colapso daquilo que é elevado e exaltado, nas coisas construídas pelo homem, como edifícios, torres, muros, obras hidráulicas e represas, etc. colapso à medida que a terra se move e abre grandes fendas. O abalo das coisas naturais é apenas um tipo e uma imagem de como Deus pretende “abalar” toda a sociedade do homem e todos os seus sistemas – religioso, político e económico; o propósito é derrubar aquilo que é elevado e exaltado, que se vangloriou contra Deus, com orgulho e auto-suficiência.   Olhando mais a fundo em Isaías 2:6-22, notamos que Deus repetidamente declara Seu julgamento sobre aquilo que é elevado e que Ele pretende rebaixar.   “Os olhares altivos dos homens serão humilhados, e a arrogância dos homens será humilhada, e somente o Senhor será exaltado naquele dia. Porque o dia do Senhor dos Exércitos será sobre todo aquele que é orgulhoso e altivo, e sobre todo o que se exalta, e ele será abatido; e sobre todos os cedros altos e elevados do Líbano, e sobre todos os carvalhos de Basã, e sobre todos os altos montes, e sobre as colinas elevadas, e em todas as torres altas, e em todos os muros cercados, e em todos os navios de Társis, e em todas as fotos agradáveis. E a altivez do homem será humilhada, e só o Senhor será exaltado naquele dia… Naquele dia, cada homem lançará às toupeiras e aos morcegos os seus ídolos de prata e os seus ídolos de ouro, que cada um fez para si, para adorar; para entrar nas fendas das rochas e no topo das rochas irregulares, por medo do Senhor, e para a glória de sua majestade, quando ele se levantar para abalar terrivelmente a terra”.

Cumprimento.  Na escritura anterior há muito simbolismo que podemos “descodificar” quando entendemos a linguagem simbólica de Deus e vemos o seu cumprimento neste tempo final. Os majestosos cedros que cresceram apenas nas montanhas do Líbano, são uma espécie de líderes; aqueles em lugares “altos” nas montanhas (nações) do mundo. O cedro era considerado o “rei das árvores” nas terras da Bíblia. O carvalho era uma árvore forte e é um tipo de homem forte e poderoso (Amós 2:9). Basã, onde abundavam os carvalhos, era em grande parte um planalto a leste da Jordânia, com algumas colinas e montanhas menores, indicando por tipo aqueles líderes em posições inferiores, mas fortes e influentes. Nos primeiros tempos, os carvalhos eram usados ​​como locais de encontro religioso. Altares eram frequentemente erguidos neles (Josué 24:26). A idolatria era praticada sob eles (Isaías 1:29; 57:5; Ezequiel 6:13), e os ídolos eram feitos de carvalhos (Isaías 44:14).   Assim, “carvalhos de Basã” poderiam referir-se aos líderes religiosos e às suas seitas – a cristandade em grande parte apóstata e grandemente “idólatra” de hoje. Em Isaías. 2:14-16, podemos ver retratado simbolicamente o sistema tríplice da civilização “babilônica” e o julgamento de Deus sobre cada um: no versículo 14 são mencionados os “montes e colinas”, simbolizando as nações maiores e menores e seus sistemas políticos; no versículo 15 as “torres altas e muros cercados”, retratando a Babilônia religiosa com os muitos “muros” denominacionais e “cercas” que separam o povo de Deus, e as “torres” nestas paredes representando as hierarquias sobre as denominações, zelando pelos seus “interesses adquiridos”; e no versículo 16 vemos a Babilônia comercial, simbolizada pelos “navios de Társis” (comércio entre nações) e pelos “quadros agradáveis” (publicidade). A referência marginal na versão King James dá “imagens de desejo” como uma leitura alternativa para “imagens agradáveis”. Poderia o profeta ter previsto as nossas telas de TV modernas, onde as “imagens do desejo” são exibidas constantemente diante de um público crédulo, e que são usadas tão habilmente para promover o comercialismo babilônico? Esta última afirmação não pretende transmitir que a TV em si é ruim, ou que todos os negócios estão errados. Temos uma grande mistura. Mas pela imagem de Apocalipse 18:12-13, vemos que o comercialismo babilônico coloca o “ouro” (dinheiro) em primeiro lugar, e as almas dos homens por último, traficando ambos.

O interior. Tudo o que pode ser abalado será abalado (Hebreus 12:27), e isso não significa apenas no macrocosmo do mundo exterior em que vivemos, mas também no microcosmo do nosso ser interior. Deus vai libertar você de todo ídolo que você possa ter em seu coração (veja Ezequiel 14:4, onde o profeta fala contra os “ídolos” que o povo tinha estabelecido em seus corações), e de tudo que você possa imaginar e estar apegado a isso não é Dele. Ele vai abalar tudo dentro de você que pode ser abalado, para que aquilo que não pode ser abalado possa permanecerHebreus. 12:28 declara que as coisas que não podem ser abaladas pertencem ao reino eterno de Deus (em contraste com as coisas que são feitas pelo homem, mencionadas no versículo 27). “Portanto, recebendo nós um reino que não pode ser abalado, retenhamos a graça pela qual possamos servir a Deus de maneira aceitável, com reverência e temor piedoso.” Observe que a declaração inspirada indica que AGORA estamos recebendo um Reino (um processo presente contínuo). Embora tenhamos nos tornados cidadãos do Reino de Deus através do novo nascimento, e o Reino de Deus esteja dentro de nós (João 3:3 e Lucas 17:21), há um sentido, em que esse Reino ou REGRA de Deus está aumentando em nossas vidas. E estamos entrando progressivamente nas realidades, bênçãos e poderes desse Reino.   Por causa deste recebimento contínuo do Reino, Deus está construindo dentro de nós pelo Seu Espírito, aquilo que dura para sempre e não pode ser abalado por nenhuma circunstância (1 João 2:17). Que revelação maravilhosa do propósito de Deus: enquanto Deus está no processo de abalar tudo o que pode ser abalado, estamos entrando mais plenamente naquilo que não pode ser abalado – ao receber o Seu Reino.

Novo.  “Eis que faço novas todas as coisas… E vi um novo céu e uma nova terra” (Apocalipse 21:1, 5).   Todo o propósito de Deus ao “abalar” é eliminar o velho, para que Ele possa fazer novas todas as coisas – até mesmo um novo céu e uma nova terra.   Mas não devemos pensar nestes novos céus e nova terra apenas em termos do macrocosmo do mundo exterior.   Deixe-me elaborar o pensamento do microcosmo do nosso ser interior, pois dentro de cada um de nós deve ser cumprido o padrão de um “novo céu e nova terra”. O seu “céu” interior é a sua mente, e a sua “terra” é à sua maneira de viver, ou poderíamos dizer, a resposta do seu coração às situações da vida e, portanto, à maneira como você vive. A ordem de Deus é primeiro um novo “céu” e depois uma nova “terra” – em outras palavras, sua mente e pensamento devem primeiro ser mudados.   Este é o padrão que Paulo dá em Romanos 12:2: “sejam transformados (na maneira de sua vida) pela renovação de sua mente”. Também em Efésios 4:23-24: “renovem-se no espírito da sua mente; e que vos revistais do novo homem, que segundo Deus é criado em verdadeira justiça e santidade.” Veja também Filipenses 4:8, onde Paulo mostra a importância do novo “céu” (vida de pensamento), como a chave para uma nova “terra” (nova vida).

Um processo.   Precisamos ver que um “novo céu e nova terra” interior para o cristão não surge repentina ou automaticamente.   É necessário o poder criativo de Deus e a nossa cooperação com Deus, “que opera em vós tanto o querer como o efetuar, segundo a sua boa vontade” (Filipenses 2:13). Só porque “nascemos de novo” e temos a vida eterna de Cristo habitando dentro de nós, e podemos até ter a dinâmica transformadora do batismo do Espírito Santo, isso não significa que somos automaticamente mudados em todos os aspectos de nossas vidas. Podemos ainda ter muitos dos velhos padrões de pensamento e ideias e conceitos errados incorporados nas nossas mentes; e isso afeta toda a nossa resposta às situações da vida e à maneira como vivemos.   Estas “fortalezas” do inimigo têm que ser destruídas e as nossas mentes renovadas pela Palavra (verdade) de Deus. Jesus disse: “conhecereis a verdade, e a verdade (recebida e aplicada interiormente) vos libertará” (João 8:32). Quando os israelitas entraram na terra prometida de Canaã, eles tiveram que obedecer à ordem de Deus de derrubar todas as fortalezas das nações inimigas na terra, e demolir os seus “altos” (onde praticavam adoração idólatra). Paulo, sem dúvida, tinha em mente esse tipo do Antigo Testamento quando declarou em II Cor. 10:4-5: “as armas da nossa guerra não são carnais, mas poderosas em Deus para destruir fortalezas; derrubar imaginações (raciocínios e pensamentos falsos), e toda coisa altiva que se exalta contra o conhecimento de Deus, e levando cativo todo pensamento à obediência de Cristo”.

Influência satânica. Satanás é chamado de “príncipe das potestades do ar” (Efésios 2:2); isto é, ele governa no reino celestial invisível ao redor da nossa terra, correspondendo aproximadamente à nossa atmosfera.  Pode ser um choque para alguns, que Satanás não esteja agora no abismo ou no “inferno” (isso está vindo – Ap 20:1-3, 10), mas esteja reinando em seu próprio “céu” (não no céu de Deus), a partir do qual ele controla os sistemas deste mundo.   Ele é assim chamado de “deus deste mundo” (II Coríntios 4:4). Assim como Satanás governa a terra a partir do seu ponto de vista no reino celestial, isso também é verdade no microcosmo do seu serSe Satanás governar o seu céu (mente), ele também governará a sua terra (modo de vida)Como príncipe do poder do ar, Satanás procura dominar os seus pensamentos (pois o ar simboliza os pensamentos da mente).

Pássaros.  Os pássaros que voam no céu atmosférico, são tipos de pensamentos que entram na mente. Na lei dada a Moisés, esses pássaros foram divididos em categorias de “limpos” e “impuros”, para simbolizar o fato de que pensamentos limpos e impuros entram em nossas mentes. Você provavelmente já ouviu o velho ditado: “você não pode manter os pássaros voem sobre sua cabeça, mas você pode evitar que eles façam ninhos em seus cabelos”!  A mente não é, e não pode ser, um vácuo. Os   pensamentos passam constantemente por nossas mentes, assim como respiramos ar continuamente sem qualquer esforço consciente. Mas podemos impedir que os pássaros (pensamentos) errados se alojem e “aninhem” em nossa mente, para que eles não “choquem” seus descendentes pérfidos e dominem nosso pensamento (e nossas ações).

Poder.  Os pássaros também são um tipo de “espíritos” angelicais.   Aves impuras são um tipo de anjos caídos ou demônios, que têm o poder de projetar pensamentos errados em nossas mentes. Esses são os “dardos inflamados” dos ímpios mencionados em Efésios 6:16, que devem ser afastados pelo escudo. de fé, em outras palavras, temos o poder, através da autoridade que nos foi dada “em Cristo”, de expulsar esses “pássaros” demoníacos (pensamentos) do nosso “céu” (mente). Isto é retratado em Apocalipse 12:7-11, onde lemos que houve “guerra no céu: Miguel e os seus anjos batalharam contra o dragão (Satanás); e o dragão e os seus anjos batalharam”. Esta não é apenas uma descrição da batalha macrocósmica que está ocorrendo nos reinos invisíveis ao redor da nossa terra, mas também retrata a luta que ocorre no reino interior da mente humana. A batalha no “céu” microcósmico interior está nos pensamentos (e nas emoções que são despertadas pelos pensamentos). Visto que o texto sagrado declara que “Miguel e seus anjos lutaram”, devemos saber que Deus não quer que lutemos a batalha; pois “a batalha é do Senhor” (I Sam. 17:48, II Crônicas 20: 15). Devemos apenas pronunciar a palavra ou ordem: “Satanás, saia em Nome de Jesus”, e se isso tiver sido falado com fé e sinceridade de coração, imediatamente os anjos entrarão em ação em nosso favor, para dispersar os pensamentos inspirados por demônios que procuram dominar nossas mentes. Aleluia! Então imediatamente comece a louvar ao Senhor pela vitória.

Sentinela. Talvez uma ilustração ajude. O dever de uma sentinela é ficar de guarda e vigiar qualquer intruso.  Ele deve determinar se alguém que se aproxima é amigo ou inimigo. E se ele discernir o inimigo chegando, ele soará o alarme pedindo ajuda; ele não tenta travar a batalha sozinho.   Nós (nosso espírito interior) somos como a sentinela. Quando discernimos pensamentos inimigos entrando em nossas mentes, devemos exercitar nossa vontade ordenando uma “parada”, e então clamar pelo Nome de JESUS ​​por ajuda. Paulo diz em Romanos 10:13 que “todo aquele que invocar o NOME do Senhor será salvo” (libertado).   Não tente lutar contra o inimigo sozinho; você será vencido. Peça ajuda e deixe os anjos de Deus irem para a batalha por você. O resultado de tal batalha é descrito em Apocalipse … 12:8-9, que diz que os anjos de Satanás “não prevaleceram; nem o seu lugar foi mais encontrado no céu. E o grande dragão (Satanás) foi precipitado na terra.”

Benefícios do Reino.  Imediatamente a seguir, em Apocalipse 12:10, vemos os benefícios de tal vitória em Cristo: “AGORA chegou a salvação, e a força, e o reino do nosso Deus, e o poder do seu Cristo; porque o acusador de nossos irmãos é humilhar.”  A nossa salvação é uma provisão contínua e completa de Deus para todas as nossas necessidades, e uma concessão contínua do Espírito em nosso favor, para que possamos experimentar a Sua força e o governo do Reino em todos os momentos.   Mas devemos conhecer a verdade dos nossos direitos e privilégios do trono em Cristo, enquanto estamos sentados em “lugares celestiais” com Ele, com o inimigo sob os nossos pés (Efésios 1:20-22, 2:6). E então precisamos tomar a iniciativa de reivindicar essa provisão, falando a palavra de autoridade contra os poderes satânicos, invocando o Nome de Jesus, e então louvando ao Senhor em todos os momentos, enchendo nossas mentes com pensamentos de gratidão e ação de graças, enquanto louve-O e adore-O, à medida que nossos pensamentos e afeições ascendem a Ele como doce incenso.   Apocalipse 12:11 diz que “eles o venceram (Satanás) pelo sangue do Cordeiro e pela palavra do seu testemunho (declarando a verdade); e não amaram as suas vidas até a morte (entregando a vida própria), ser ‘crucificado com Cristo’ – Gálatas. 2:20). “Amado, cada batalha é uma experiência “abaladora”, pois o Senhor expõe nossas áreas de fraqueza e nossa NECESSIDADE desesperada Dele. E isso faz parte do processo de fazer “novas todas as coisas” dentro de nós; até mesmo um novo “céu” (pensamento de vida) e uma nova “terra” (novo modo de vida, com uma nova resposta do coração a todas as situações da vida).

Não há mais mar.  A essência da aliança de Deus em Cristo é que Ele colocará Suas leis em nossas mentes e corações (Hb 8:10; 10:16), escrevendo-as ali pelo Seu Espírito (2Co 3:3), então não tema o “tremor”, pois o seu primeiro “céu” e primeira “terra” (dominados pelo pecado) devem passar (Apocalipse 21:1).   Em sua visão do novo céu e nova terra, João viu que “não havia mais mar”. ” (Apocalipse 21:1). A água é um tipo de alma com suas emoções, desejos e sentimentos instáveis. Jacó profetizou sobre seu filho, Rúben: “Instável como a água, você não será excelente” (Gênesis 29:4). A água é facilmente agitada pelo vento, e lembre-se de que Satanás é o “príncipe das potestades do ar” (Efésios 2:2). Quando Satanás influencia nossas mentes, ele também desperta nossos desejos e emoções, pois assim como um homem “pensa em seu coração (sentimentos e desejos em conexão com pensamentos), assim ele é” (Provérbios 23:7). Lemos em Isaías 57:20 que os “ímpios são como o mar agitado, quando se agita”. não podem descansar, cujas águas lançam lama e sujeira.” Isso ocorre porque eles são facilmente influenciados pelo “vento” das forças satânicas. Mas quando Deus terminar de aperfeiçoar dentro de nós um “novo céu e nova terra”, não haverá mais mar (turbado); isto é, não haverá mais emoções instáveis ​​ou desejos errados para nos precipitar no pecado. “e momentos “tempestuosos” em nosso ser emocional, pois o inimigo “sopra” e Deus permite que isso aconteça para “sacudir” o que pode ser abalado.

Deus nosso refúgio.  Enquanto ainda estamos enfrentando os ataques do inimigo e muitas mudanças em nossas vidas, lembremo-nos das palavras do salmista em 46:1-7: “Deus é o nosso refúgio e fortaleza, socorro bem presente na angústia. não tememos, ainda que a terra seja removida (as experiências abaladoras), e ainda que as montanhas sejam carregadas para o meio do mar (“montanhas” de provações que “se transportam” para o nosso ser emocional e causam agitação); embora as águas dela ruge e seja perturbada (turbulência interior), embora as montanhas tremam com o seu inchaço (experiências que quase nos oprimem). Há um rio, cujas correntes alegrarão a cidade de Deus. ela; ela não será abalada: Deus a ajudará, e isso logo cedo.”  VOCÊ é essa cidade, e o rio da vida e do poder de Deus flui em você, e você não será abalado, pois Deus o ajudará.  ESSA é a promessa de Deus, mesmo que haja tempestades e abalos no mundo ao redor e até mesmo alguma turbulência emocional interior.  Deus É o nosso REFÚGIO!  Ele não pode ser movido, embora todo o resto o seja. O restante do Salmo 46 é bom; leia e medite sobre ele, para que você possa conhecê-Lo como uma “ajuda sempre presente”.

 

[O abalo de todas as coisas – PARTE IV]

 

Consumindo fogo. Na passagem que enfatizamos a respeito do “tremor de todas as coisas” (Hb 12:18-29), observe que a última afirmação é: “porque o nosso Deus é um fogo consumidor”. Vamos dar uma olhada mais detalhada no papel do “fogo”. O apóstolo Pedro viu através da revelação profética a terra sendo renovada pelo fogo (II Pedro 3:10-13). É minha convicção pessoal que o que Pedro viu na verdade vem em duas fases. Muitas vezes, aqueles a quem as revelações proféticas do futuro foram dadas, não discerniram os elementos de tempo envolvidos, ou não era seu propósito na época tornar conhecidos tais elementos de tempo. Eles foram revelados a outros posteriormente.  Por exemplo, Jesus disse, conforme registrado em João 5:28-29, que “todos os que estão nas sepulturas ouvirão a sua voz e sairão; aqueles que fizeram o bem para a ressurreição da vida; e os que praticaram o mal, para a ressurreição do julgamento.”  Sua declaração parece que tanto a ressurreição para a vida quanto a ressurreição para o julgamento ocorrem ao mesmo tempo. Mas uma revelação posterior foi dada a João na ilha de Patmos, que separa essas duas ressurreições por mil anos (Apocalipse 20:4-5). Outras ilustrações poderiam ser dadas, mas acredito que isso seja suficiente para esclarecer o ponto. Pedro nos dá o quadro da renovação da Terra pelo fogo como segue: “Mas o dia do Senhor virá como o ladrão de noite; no qual os céus passarão com grande estrondo, e os elementos se derreterão com calor ardente, a terra também e as obras que nela há serão queimadas. . . esperando e apressando-se para a vinda do dia de Deus, onde os céus em chamas serão dissolvidos e os elementos derreterão com calor ardente. No entanto, nós, de acordo com a sua promessa, esperamos novos céus e uma nova terra, justiça.”

Duplamente.  Numa revelação posterior do apóstolo João, porém, vemos que o fogo (provavelmente atômico) da ira de Deus, sacode e purifica a terra de suas iniquidades no final desta era, pouco antes e no retorno de Cristo em poder e grandeza. glória (Ap 8:5-7; 13:13; 14:18; 16:8; 17:16; 18:8), e também que num tempo posterior (algum tempo depois do milênio de 1000 anos) a terra irá através de um “batismo de fogo” mais completo e transformador (Ap 20:9). Somente no momento deste posterior “batismo de fogo” haverá um completo “novo céu e nova terra” (Apocalipse 21:1), e os atuais “céus” (atmosfera) “que estão em chamas serão dissolvidos” e “passarão com grande estrondo”; e os próprios “elementos se derreterão com calor ardente” (II Pedro 3:10, 12). ENTÃO “não haverá mais mar” (Apocalipse 21:1); evaporado naquele holocausto de fogo completo. A Terra se tornará então, a arena para a educação final dos filhos glorificados de Deus, à medida que eles aprendem a transformar as próprias substâncias da Terra e, eventualmente, lançá-la em um plano superior de existência.

Padrão. Deus conforma todas as Suas obras com um padrão básico, e como a transformação externa da terra e dos céus ocorre em duas fases, conforme descrito acima, também existe uma dupla obra do “fogo” do Espírito Santo de Deus em nossas vidas individuais. A primeira é purificar-nos e refinar-nos interiormente, e é por isso que devemos receber o batismo do Espírito Santo e do FOGO (Mt. 3:11), que arde até o “âmago” do nosso ser e facilita a obra de Deus de remover a “escória” de nossa natureza carnal, ou “velho homem” do pecado. Isso é parte do processo de fazer um “novo céu e nova terra” dentro de nós.  Mas a renovação final de todo o nosso ser – espírito, alma, e corpo, onde se pode dizer que “as coisas antigas já passaram” e TODAS as coisas são feitas novas para o cristão vencedor, chega apenas na experiência que é chamada de “arrebatamento” ou trasladação dos santos, quando devemos estar COM o Senhor.

Aproximar.   A evidência aponta para o fato de que esta trasladação, quando seremos feitos semelhantes a Ele (I João 3:2), e receberemos um corpo glorioso semelhante ao Seu (Filipenses 3:21), está próxima.   É por isso que Deus está sacudindo tudo o que pode ser abalado DENTRO de nós, como um teste e como um catalisador, para “sacudir” e remover tudo o que não é Dele. Estamos sendo preparados para a mudança final, quando os próprios “elementos” dos nossos corpos serão “dissolvidos” (ou soltos, que é o significado literal da palavra grega luo), pois a própria estrutura atômica dos nossos corpos será alterada, à medida que são “soltos” na propriedade glorificadaSó então experimentaremos o completo “novo céu e terra”, com a transformação de todo o nosso ser.

Fogo do Espírito de Deus.  O TIPO Bíblico para a nossa mudança completa, que está por vir, é Elias sendo arrebatado ao céu por um redemoinho, e uma carruagem de FOGO. (II Reis 2:11).   Tanto o vento como o fogo falam do Espírito de Deus. “Vento” indica a ação de um poder invisível, mas “fogo” fala de uma MUDANÇA.  No natural, o fogo não destrói nada, apenas produz uma ação química pela qual os elementos são alterados (como, de sólido para gasoso). Mesmo assim o “fogo” do Espírito de Deus virá sobre nós no momento da nossa trasladação, e os elementos (ou átomos) dos nossos corpos serão reestruturados num corpo glorificado. A palavra “elementos” em II Ped. 3:10 e 12, vem de uma palavra grega que significa “um constituinte basal, fundamental, inicial; aquilo que é rudimentar; também algo ordenado em arranjo”. Não podemos ver nesta definição o que nossos cientistas chamam de “átomos”.  Em II Pedro 3:12 lemos que os “elementos” devem “derreter-se” com calor fervoroso. A palavra “derreter” aqui é novamente a palavra grega luo, também traduzido como “dissolvido” duas vezes em 3:11-12. O significado básico é “soltar ou quebrar” e pode se referir à mudança na estrutura atômica das substâncias.  Embora a passagem em II Pedro 3 se refira principalmente à mudança que ocorre este mundo material e sua atmosfera, como vimos, forma um padrão para a mudança que está por vir, à medida que cada um que está pronto recebe o “batismo de fogo” final, do Espírito de Deus, e estes corpos atuais serão mudados e moldados (feito semelhante ao corpo glorificado de Jesus (Filipenses 3:21). Até então, podemos estar dispostos a deixar o “fogo” do Espírito de Deus continuar a purificar e remover a escória interior, para que Ele possa terminar a obra que Ele começou. em cada um de nós (Filipenses 1:6). Agora vamos dar uma última olhada nos eventos que estão iminentes, e na nossa relação com eles enquanto Deus continua a “abalar tudo o que pode ser abalado”. 

Dia da Ira.  Em 6 de agosto de 1945, às 8h15 da manhã, três B-29 dos EUA se aproximaram da cidade de Hiroshima, no Japão, vindos da direção nordeste. Um deles desligou o motor enquanto deslizava sobre a parte central da cidade. Ele lançou uma única bomba e, fazendo uma curva abrupta em ângulo reto, disparou a toda velocidade.   A bomba caiu rapidamente e, um minuto e meio depois, acima do nível do solo, explodiu numa bola de fogo, depois lançou chamas azul-avermelhadas ou castanhas-escuras contra o solo a uma velocidade surpreendente, radioativando cerca de quarenta por cento do Área da cidade.  Simultaneamente, tornou-se visível um aglomerado de fumaça branca que, centrando-se em torno de uma massa de nuvem vermelho-escura, envolta em uma massa amarelada, cresceu rapidamente, encimada por uma crista de nuvem branca. Quinze minutos depois a chuva começou a cair e trouxe de volta partículas radioativas ao solo. As ondas de pressão da explosão destruíram praticamente todos os edifícios; incêndios eclodiram por toda a cidade. Neste holocausto sem precedentes, mais de 240 mil pessoas perderam a vida e mais de 165 mil ficaram feridas. A primeira bomba atômica que explodiu em uma cidade humana havia ocorrido. É minha convicção que este evento COMEÇOU o cumprimento de Apocalipse 6:17, onde lemos que “chegou o grande dia da ira de Deus”. Contudo, os primeiros versículos de Apocalipse 7 indicam que os “ventos” do julgamento seriam contidos por um tempo, e sabemos que isso aconteceu. Estamos agora neste período de “contenção”, embora o “fogo” da ira de Deus tenha sido lançado na terra (Ap 8:5), resultando na perda do poder de fogo do átomo.

O mal retorna.  Aponto o que foi dito acima para enfatizar o fato de que, o derramamento da ira de Deus sobre esta terra, ocorrerá principalmente através da instrumentalidade do homem; isto é, Deus permitindo que as consequências da maldade do homem RETORNEM SOBRE SUA PRÓPRIA CABEÇA (Joel 3:4). À luz deste fato, podemos compreender melhor o significado da pergunta feita em Isaías. 14:16-17 após a destruição de um certo homem poderoso: “É este o HOMEM que fez tremer a terra, que abalou reinos; que fez do mundo um deserto, e destruiu as suas cidades; que não abriu a casa de seus prisioneiros?” Se você leu Isaías. 14:12-20, você verá que a passagem fala sobre a rebelião de Lúcifer, por meio da qual ele procurou exaltar-se e tornar-se semelhante a Deus.   Mas a sentença de Deus sobre Ele, é que ele seja completamente abatido (veja também Apocalipse 12:9). Quando isso acontecer ele entrará e tomará posse de um certo HOMEM, e se MANIFESTATARÁ como um homem neste tempo final, assim como o “homem do pecado” [Anticristo], descrito em II Tessalonicenses. 2:3. Através deste homem ele procurará dominar completamente as nações do mundo, e através do seu “falso profeta”, ele punirá aquelas nações que se recusam a submeter-se, fazendo com que o fogo atômico caia sobre as suas cidades (ver Apocalipse 12:13) …, cumprindo assim a profecia de Isaías 14:16 de que um homem faria a terra tremer (com medo) e abalar reinos (com destruição atômica). Assim, em certo sentido, os reinos do homem serão julgados pela loucura de um homem … Além disso, na obra providencial de Deus, o mal deste “homem do pecado” também retornará sobre sua própria cabeça. Pois Deus capacitará certas nações a resistir ao seu domínio e retaliar, de modo que o fogo atômico cairá sobre o seu reino, como lemos em Apocalipse 16:10: “E o quinto anjo derramou a sua taça sobre o assento (trono) da besta; e o seu reino estava cheio de trevas; e eles roeram suas línguas de dor, e blasfemaram contra o Deus do céu por causa de suas dores e feridas, e não se arrependeram de seus atos.” Assim, o homem destrói o homem em um grande holocausto final, mas Deus dirige e cronometra isso, de tal maneira, que é o cumprimento de Sua ira e julgamento sobre o mal deste mundo. O homem “treme”, mas Deus está por trás do abalo, fazendo com que seja o cumprimento do conselho de Sua própria vontade.

Profecia vívida.  Não tenho tempo neste breve tratado para entrar em detalhes, mas li tudo de Isaías. 24, para uma descrição vívida do abalo do fim dos tempos. Observe especialmente os versículos 17-20: “¹⁷ O pavor, e a cova, e o laço vêm sobre ti, ó morador da terra. ¹⁸ aquele que fugir da voz do pavor cairá na cova, e o que subir da cova o laço o prenderá; porque as janelas do alto se abriram, e os fundamentos da terra tremem. ¹⁹ A terra está de todo quebrantada, a terra está de todo fendida, a terra está de todo abalada. ²⁰ A terra cambaleia como o ébrio, e balanceia como a rede de dormir; e a sua transgressão se torna pesada sobre ela, e ela cai, e nunca mais se levantará. (Isaías 24:17-20).   

O medo, e a cova, e o laço estão sobre ti, ó habitante da terra. Poço (abrigos antiaéreos); e aquele que sair do meio do poço será pego na armadilha (arrastado e forçado ao serviço público): pois as janelas (alçapões dos bombardeiros) do céu do alto são abertas, e os alicerces da terra tremem (com a explosão de muitas bombas nucleares). A terra está totalmente destruída, a terra está fendida, dissolvida (rasgada em pedaços), a terra é movida excessivamente (abalada violentamente). A terra cambaleará para lá e para cá como um bêbado, e será movida como uma rede de dormir (ou balançará para lá e para cá como uma rede); e a sua transgressão será pesada sobre ele; e ela cairá, e não se levantará novamente (sua órbita ao redor e inclinação em relação ao sol será alterada.

Final.   Há um abalo final mencionado nas escrituras que será totalmente obra do Senhor, e trará a conclusão final para a presente era. Lemos sobre isso em Zacarias. 14:4.  Quando Jesus Cristo, como o Senhor da glória, retornar pessoalmente à terra, Sua poderosa presença literalmente fará este planeta cambalear. ”E Seus pés estarão naquele dia no monte das Oliveiras, que está diante de Jerusalém, no Leste, e o monte das Oliveiras será fendido pelo meio para o oriente e para o ocidente, e haverá um vale muito grande; e metade do monte se afastará para o Norte, e a outra metade para o Sul. E acontecerá naquele dia, que não haverá luz nem escuridão; mas será um dia que será conhecido pelo Senhor, nem dia nem noite; mas acontecerá que ao entardecer será luz.” (Zacarias 14:4-7).  Aleluia! ESSE DIA será a noite da festa dos Tabernáculos, dia 15 de Tishri, no outono do ano, quando Jesus faz Sua descida a esta terra para tabernáculo com Seu povoA palidez da morte paira sobre a terra no dia 14 de Tishri.  Milhões foram mortos; as nações estão exaustas pela guerra atômica total; as cidades estão em ruínasTantos detritos foram lançados na atmosfera através de explosões massivas, juntamente com grandes bancos de fumaça gasosa misturada com os detritos, que a luz do sol foi apagada (Mateus. 24:29).  É um dia cinzento e escuro, nem claro nem escuro. Os poucos habitantes restantes de cada nação (Isaías 24:6) estão todos invocando desesperadamente o Nome do Senhor para preservação (Atos 2:20-21)À medida que a noite se aproxima (fechando no dia 14 de Tishri e abrindo no dia 15), no fuso horário onde Jerusalém e a Terra Santa estão localizadas, de repente os céus brilham com uma luz muito brilhante, pois os habitantes daquela área veem o SINAL do Filho do Homem nos céus – a nuvem de glória sobrenatural (Mateus 24:30), pois à noite vem a luz (Zacarias 14:7). Pouco depois eles verão Jesus pessoalmente vindo nas nuvens (Seus santos retornando com Ele) do céu com poder e grande glóriaAleluiaNão admira que Zacarias. 14:7 diz que será UM DIA que será conhecido pelo Senhor.

Tecido.  Deixe-me dar mais uma ilustração para mostrar como o Senhor vê a atual sociedade mundial. Suponhamos que você tivesse uma roupa velha e puída e percebesse que não havia como salvá-la. Se você tentasse remendá-lo com porções de material novo, ele apenas rasgaria e ficaria pior. Lembre-se de que Jesus contou uma parábola e disse: “Ninguém põe remendo de roupa nova em roupa velha;” (Lucas 5:36). Não apenas o novo destruiria o antigo, mas o novo material não combinaria com o antigo. Quando Deus olha para a nossa atual sociedade mundial babilónica, Ele vê uma roupa velha, gasta e puída, que não pode ser salva. Consertá-lo só iria piorá-lo, e o NOVO que Ele pretende introduzir NÃO COMBINA com os velhos (modos do homem). O “abalo” que estamos experimentando agora no mundo é simplesmente a “veste velha” dos caminhos do homem que começa a se rasgar. Ele simplesmente não suporta as tensões que lhe são impostas. Todo o “tecido” da sociedade na sua condição atual não é suficientemente forte para se manter unido. Deus propôs fazer novas todas as coisas, e agora estamos no período de transição. Aqueles de nós que são cristãos nascidos de novo tornaram-se “novas criaturas em Cristo”, e o “velho” aos olhos de Deus já passou (II Coríntios 5:17). provamos a boa palavra de Deus e os poderes do século vindouro” (Hebreus 6:5). Pertencemos a um novo reino que nunca passará (Hebreus 12:28). Nunca se desgastará (Isaías 52:1) Estejamos dispostos a deixar Deus nos despojar de todos os remanescentes do antigo.

Deus trabalhando. Já aludimos ao efeito de “agitação” da coisa nova que Deus está fazendo na terra, à medida que Ele se move pelo Seu Espírito. Deveríamos orar sinceramente por mais deste tipo de abalo. Em Atos 4:23-31, leia sobre os primeiros cristãos que se reuniam para orar depois de serem perseguidos. O versículo 31 diz: “E, depois de orarem, abalou-se o lugar onde estavam reunidos; e todos foram cheios do Espírito Santo, e anunciavam com ousadia a palavra de Deus”. Ah, amado. Deus quer agitar as coisas. O profeta clama: “Ai dos que estão tranquilos em Sião” (Amós 6:1). Há um abalo positivo e também negativo acontecendo no mundo. É o resultado do agir de Deus em favor do Seu povo. Não vamos resistir a esse abalo, mas antecipar e abraçar com alegria tudo o que o Senhor está fazendo para nos levar à plenitude do Seu propósito neste dia.

Pressões.  Na natureza, um terremoto é causado por um movimento da crosta terrestre ao longo de “linhas de falha”. O movimento é muito gradual e indiscernível até que uma certa quantidade de pressão seja acumulada – então algo tem que ceder; e uma mudança súbita ocorre à medida que segmentos de terra em ambos os lados da falha geológica, mudam repentinamente para liberar a pressão e se ajustar à   uns aos outros. Em Sua providência, Deus, que criou a Terra, conhece cada “falha” dela, os movimentos e pressões envolvidos, e é capaz de cronometrar terremotos, para cumprir uma parte de Sua vontade – como instrumentos de julgamento, etc., verdade à medida que nos aproximamos do fim desta era. Jesus disse que um dos sinais (presságios) indicando a proximidade de Sua vinda seriam “terremotos em diversos (vários) lugares” (Mt. 24:7).

Os assuntos dos homens.  Assim como na natureza, também na sociedade humana. Existem “falhas” (fraquezas) nos sistemas económicos, políticos e religiosos dos homens, e estamos a viver numa época de grandes mudanças (movimentos), que provocam o aumento das pressões; de modo que o homem está cada vez mais a experimentar mudanças repentinas na luta pelo poder, abalos e turbulências nos padrões sociais, tumultos e perturbações religiosas, instabilidade económica, etc. – tudo porque Deus, no Seu trabalho providencial, está MOVENDO a humanidade para uma nova era do Reino. Tudo o que não consegue suportar o abalo e se ajustar à vontade de Deus deve ser destruído.   “E houve um grande terremoto… e as cidades (sociedades, sistemas) das nações caíram (Apocalipse 16:18-19). O mesmo se aplica à sua vida individual. Deus conhece suas “falhas” (fraquezas); aquelas áreas que devem estar dispostas a “ceder” e ajustar-se à vontade de Deus.  Deus, em Seu amor, continuará a movê-lo (com pressões, se necessário), para Seu Reino inabalável.  Não tema os “abalos” em suas experiências; pois isso apenas indica o propósito de Deus de remover aquelas coisas que PODEM ser abaladas, para que aquelas coisas que não podem ser abaladas PODEM PERMANECER (Hebreus 12:27). Amém!

 

[FIM]

 

 

 

 

 

 

As visões do tempo do fim de Henry Gruver para a América e a Inglaterra CLIQUE AQUI PARA BAIXAR: As…

O PRIMEIRO E O ÚLTIMO [- Parte I] (Apocalipse 1:11) por Leland Earls   CLIQUE AQUI PARA BAIXAR O MATERIAL…

Espelho da Eternidade!!! [Texto Revisado definitivo] Clique aqui para baixar o material Espelho da Eternidade – TEXTO DEFINITIVO   Por…

Laura Maxwell compartilha sonhos proféticos e visões, que o Senhor lhe deu nos últimos 20 anos  CLIQUE PARA BAIXAR Laura…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *