A conexão profética de Gog e Magog entre a Rússia e o Hamas

Clique aqui para baixar A conexão profética de Gog e Magog entre a Rússia e o Hamas

 

“Pois eles fugiram diante das espadas: Diante da espada afiada, Diante do arco que foi desembainhado, Diante do estresse da guerra”. ISAÍAS 21:15

(A BÍBLIA DE ISRAEL)

ADAM ELIYAHU BERKOWITZ

23 DE JANEIRO DE 2024

 

O primeiro [artigo], de uma série de duas partes, Efraim Palvanov, professor e autor do blog Mayim Achronim (águas finais), traz profecias bíblicas e fontes judaicas, que descrevem as guerras atuais, na Ucrânia e em Israel, como sendo consistentes com o fim dos tempos. Previsões de dias registradas na literatura judaica clássica.

“Há algumas semanas, descobri algo que realmente me surpreendeu, e estou muito animado para compartilhar isso”, disse Palvanov no vídeo. “Mas vou deixar isso para o fim. Deixaremos o melhor para o final.” Então não adormeça.”

(Palvanov referiu-se a palestras que proferiu há dois anos, durante a pandemia, nas quais sugeriu que o mundo estava no período Pré-Messias).

“Quando voltei para ver isso, foi incrível que, o que sugerimos há três anos, tenha se tornado realidade, exatamente ano após ano”, disse Palvanov.

Ele se referiu a uma famosa profecia, que aparece em vários lugares no Talmud e na Midrash, [Livros sagrados de interpretação dos rabinos famosos], sobre os últimos sete anos antes da vinda de Mashiach (Messias). E sugerimos, então, que estamos dentro deste período de sete anos.” Palvanov então começou a ensinar, a partir do Talmud (Sanhedrin 97a):

“Os Sábios ensinaram com relação ao período de sete anos, [ou seja, o ciclo sabático], durante o qual o Messias, filho de Davi, vem:

– Durante o primeiro ano, este versículo será cumprido: “E farei chover sobre uma cidade e não faça chover sobre outra cidade” (Amós 4:7).

– Durante o segundo ano desse período, flechas da fome serão disparadas.

– Durante o terceiro ano, haverá uma grande fome, e homens, mulheres, crianças, os piedosos e homens de ação morrerão, e a Torá será esquecida por aqueles que a estudam.

– Durante o quarto ano, haverá abundância, mas não muita.

– Durante o quinto ano, haverá grande abundância e eles comerão, beberão e se alegrarão, e a Torá retornará para aqueles que a estudam.

– Durante o sexto ano, vozes celestiais serão ouvidas.

– Durante o Ano Sabático, guerras, [por exemplo, a guerra de Gog e Magog], serão travadas envolvendo o povo judeu.

– Durante o ano após a conclusão do Ano Sabático, o filho de Davi virá.”

“Portanto, no primeiro ano do ciclo sabático, haverá secas em alguns lugares e inundações em outros”, explicou Palvanov. “Isso significa que haverá um clima severo, e um clima estranho em todo o mundoIsso é algo que vemos que é bastante comum em nossos dias.”

“E então, no segundo ano, as flechas da fome serão lançadas. Mas este é um prelúdio para o terceiro ano, quando haverá uma grande fome e muitas pessoas morrerão”, disse Palvanov. “Em 2021, sugerimos que se tratava de uma pandemia.”

Ele citou uma coleção de Midrash chamada Shir HaShirim (Cântico dos Cânticos) Rabbah (2:13) que afirmava, em nome do Rabino Chiya Bar Abba, que “antes dos dias de Mashiach, uma grande praga engolirá o mundo”.

“Se for esse o caso, então no segundo ano as flechas desta praga serão lançadas, mas ainda não será visível no mundo”, disse Palvanov. “E então, no terceiro ano, haverá uma catástrofe global total, na qual muitas pessoas morrerão.” 

Ele observou que, de fato, vários grandes rabinos faleceram como resultado da pandemia. O Talmud afirma, que as crianças também sofrerão e, embora os jovens fossem o grupo demográfico que não foi afetado pela doença, os confinamentos e outras “medidas de proteção”, que prejudicaram a sua educação e socialização, prejudicaram-nos talvez mais do que qualquer outro grupo etário.

Lembro-me daquele primeiro longo confinamento, quando as crianças não conseguiam, sequer brincar no parque, e foi muito angustiante, e conheço vários jovens que até tentaram o suicídio”, lamentou Palvanov. “Em muitos aspectos, a cura era pior que a doença.”

Ele também observou que Sinagogas e Igrejas foram fechadas, mesmo quando eventos sociais e protestos de esquerda foram autorizados.

“Então, quando esta profecia diz que a Torá será esquecida, que o estudo da Torá será menor, isso certamente aconteceu”, disse ele.

Ele explicou que o primeiro ano do ciclo sabático, de acordo com a profecia, correspondia a 2018 ou, no calendário judaico, 5778. Ele explicou que os calendários foram ligeiramente deslocados, porque o ano judaico começa no mês hebraico de Tishrei, que corresponde aproximadamente a setembro, enquanto o calendário secular começa em janeiro. Ele explicou que o segundo ano corresponderia a 2019, ou 5779. Segundo o Talmud, no quinto ano, correspondente a 2022, haverá abundância.

“Foi quando tudo voltou ao normal”, disse Palvanov.

Ele então continuou, no Talmud, que afirma que no sexto ano haverá “sons”, e no sétimo haverá guerra.

No sexto ano, ou seja, no ano passado, haverá rumores de guerra, e no sétimo, essas guerras explodirão como grandes guerras

“Então, do calendário judaico, que começou no final de setembro de 5784 [2024], isso corresponderia a [guerras]. E foi exatamente isso que testemunhamos, tragicamente, logo no início do ano judaico, no início de 5784, [07 de outubro de 2023], [começou] o que corresponderia a estes sete anos.”

Palvanov sugeriu que houve um claro aumento na guerra em Israel.

“Antes da guerra, o que dominava as notícias judaicas, era a divisão em Israel, quase uma guerra civil, com pessoas odiando-se umas às outras, e lutas internas loucas, protestos e soldados recusando-se a apresentar-se ao serviço. Este foi um momento muito perigoso para Israel e para o povo judeu, porque os nossos inimigos, viram que éramos fracos e divididosE sabemos que o que Deus odeia mais do que qualquer outra coisa, é quando o povo judeu se odeia, se divide e luta, e isso geralmente leva a alguma catástrofe.”

Palvanov notou uma ligação obscura, mas chocante, entre o ataque do Hamas em 7 de outubro de 2023, [já 5784 no calendário hebraico] e a Rússia.

“Em setembro, há apenas alguns meses, houve toda essa conversa sobre Israel e a Arábia Saudita, assinarem um acordo de paz, que era bastante abrangente, e incluía muito mais comércio entre os dois países, incluindo uma rede ferroviária, que ligaria, a partir da Arábia Saudita, através de Israel, para a Europa”, disse Palvanov.

“Mais significativamente, isto teria incluído oleodutos, permitindo à Arábia Saudita vender o seu petróleo à Europa. Além disso, Israel tem agora gás e quer construir gasodutos diretamente para a Europa. Isto era um problema para a Rússia, porque a sua principal fonte de rendimento era o petróleo e o gás para a Europa. O acordo entre Israel e a Arábia Saudita teria prejudicado a Rússia.”

“Portanto, a Rússia queria que este acordo fosse destruído e os palestinos, é claro, também queriam que este acordo fosse eliminado. Para a Rússia, esta guerra foi como uma vitória tripla, porque protegeram as suas receitas de petróleo e gás, e também, toda a atenção estava fora da Rússia. De repente, todo mundo estava falando sobre Israel e o HamasTodas as pessoas no Ocidente começaram a protestar em nome dos palestinos, enquanto há um ano todos protestavam em apoio aos ucranianos.”

Palvanov sugeriu que a Rússia pode ter encorajado, ou mesmo permitido o ataque do Hamas.

“Então a Rússia ganha com isso. E não só isso, mas agora a Ucrânia está a receber menos financiamento e menos dinheiroÉ interessante que, poucos dias após o ataque, a Rússia acolheu uma delegação do Hamas em Moscou, e voltou a acolhê-la algumas semanas mais tardeA Rússia não considera o Hamas uma organização terrorista. Abu Marzouk, um dos líderes do Hamas, disse abertamente à mídia, que a Rússia é a melhor amiga do Hamas.”

“Também é muito interessante que, coincidentemente, embora não acreditemos em coincidências, é que 7 de outubro seja o aniversário de Vladimir PutinÉ quase como se o Hamas tivesse dado um presente de aniversário a Putin.”

Palvanov observou que o Hamas atacou Israel, no último dia da festa de Sucot. [07 de outubro de 2023]. Em seu vídeo, Palvanov observou, que esta conexão entre a Guerra de Gogue e Magogue, ocorre porque, assim como todas as 70 nações foram representadas nos sacrifícios de Sucot, todas as 70 nações participarão da guerra.

“Este é o cumprimento da profecia, de que a guerra final, começaria em Sucot”, disse Palvanov. “E quanto tempo isso vai durar?”

Palvanov cita uma Mishna (Eduyot 2:10):

“[Rabino Akiva] costumava dizer que, há cinco coisas que duram doze meses:

O julgamento da geração do dilúvio [continuou] por doze meses; 

– O julgamento de Jó [continuou] por doze meses; 

– O julgamento dos egípcios [continuou] por doze meses; 

– O julgamento de Gogue e Magogue no futuro [continuará] por doze meses…”

Palvanov observa, então, que o ano atual no calendário hebraico, é um ano bissexto, e tem um mês adicional. [Adar I e Adar II].

“Esperamos que estejamos [vivos] nesse ano, pois todos queremos que o Mashiach venha em breve”, acrescentou. Ele então citou um midrash (Pirkei D’Rabbi Eliezer capítulo 30), que descreveu três guerras que os “filhos de Ismael” (isto é, os árabes), travarão no fim dos dias, com base em um versículo de Isaías:

“Pois eles fugiram diante das espadas: diante da espada afiada; diante do arco que foi desembainhado; diante do estresse da guerra”. Isaías 21:15

“Uma, na floresta da Arábia [ou seja, no Oeste]”, afirma o midrash. “Uma no mar, e outra em uma cidade grande.”

“Isto descreve o ataque do Hamas em 7 de outubro de 2023”, disse Palvanov. “Foi um ataque em três frentes; eles vieram do mar, em aeronaves ultraleves, e chegaram às cidades e aos kibutzim, e atacaram no deserto, na festa da natureza.”

“Este versículo é sobre espadas, e o nome da ofensiva israelense é Espadas de Ferro”, disse Palvanov.

……………………………………………………………………………………………………………..

[Segundo Artigo]

ESPECIALISTA: Estrela de Jacob aparecerá na sexta-feira, 27 de setembro

“O que vejo para eles ainda não é; o que vejo não será em breve: uma estrela surge de Yaakov; um cetro surge de Yisrael; Ele destrói a fronte de Moabe, o alicerce de todos os filhos de Shet”. NÚMEROS 24:17 (A BÍBLIA DE ISRAEL)

ADAM ELIYAHU BERKOWITZ

29 DE JANEIRO DE 2024

 

Um autor e professor brilhante, mas relativamente desconhecido, referiu-se a fontes judaicas clássicas, que descreviam o tumultuado fim dos dias, em termos perturbadoramente semelhantes, aos acontecimentos atuais.

O Zohar [Pr. Waltenir. Livro Místico de alguns Rabinos, que seguem a Cabala!], descreve um sinal inconfundível, que anuncia o aparecimento do Messias: a Estrela de Jacó, descrita pela primeira vez na Bíblia, por Balaão.

O Zohar dá um dia e data precisos, em que este corpo astral Pré-Messias, aparecerá, e recentemente, os astrônomos confirmaram que nessa data precisa, um cometa aparecerá nos céus.

Efraim Palvanov, professor e autor, escreve o blog Mayim Achronim (Águas Finais), batizado em homenagem ao ritual judaico pouco conhecido, de lavar os dedos após uma refeição. Assim, como a mitsvá de mesmo nome, o blog cobre assuntos judaicos, que são mal compreendidos, ou normalmente não discutidos.

Numa palestra recente, Palvanov descreveu as guerras atuais, na Ucrânia e em Israel, como sendo consistentes com as previsões do fim dos dias registadas na literatura judaica clássica. “Há algumas semanas descobri algo que realmente me surpreendeu, e estou muito animado, para compartilhar isso”, disse Palvanov no vídeo“Mas vou deixar isso para o fim. Deixaremos o melhor para o final. “Então não adormeça. Palvanov referiu-se a palestras que proferiu há dois anos, durante a pandemia, nas quais sugeriu que o mundo estava no período Pré-messias.

Esta parte da palestra foi descrita em um artigo do Israel365 News na semana passada. [veja o artigo acima]. Na palestra, Palvanov explicou que a guerra atual na Ucrânia, e a guerra mais recente em Israel, foram explicitamente descritas em fontes judaicas, como sendo parte da Redenção Final. Uma das fontes, uma midrash de Pirkei D’Rabbi Eliezer capítulo 30, descreveu três guerras que os “filhos de Ismael” (ou seja, os árabes), travarão no fim dos dias, com base em um versículo de Isaías:

“Pois eles fugiram diante das espadas: diante da espada afiada; diante do arco que foi desembainhado; diante do estresse da guerra”. Isaías 21:15

“Uma na floresta da Arábia, [ou seja, no Oeste]”, afirma o midrash. “Uma no mar, e outra em uma cidade grande.”

“Após o ataque de 7 de outubro de 2023, foi revelado que muitas das armas utilizadas pelo Hamas vieram da Coreia do Norte, frequentemente através da Rússia”, disse Palvanov. “Os rifles Kalashnikov são a arma terrorista preferida. Tudo isto faz parte do novo eixo do mal, constituído pela Coreia do Norte, apoiado pela China, Rússia e Irã. Muitas pessoas não percebem isso, mas a Coreia do Norte é considerada, por alguns, como a maior entidade criminosa do mundo, porque está envolvida em crimes em todo o mundo. São os principais produtores de dólares americanos falsificados. Eles estão envolvidos no tráfico de pessoas e são um dos maiores traficantes de drogas do mundo. Por estarem completamente fechados, eles não têm muita renda. A sua principal fonte de rendimento é, na verdade, o crime internacional, pelo que são uma entidade criminosa.”

Palvanov então citou o Zohar (32a), que descreve como o Anjo Ministro de Ismael implora a Deus, alegando que Ismael (ou seja, os Árabes) deveria ter uma participação em Israel, porque eles são circuncidados. 

“E no futuro, os filhos de Ismael estão destinados a governar a Terra Santa por um longo tempo, quando ela estiver vazia de qualquer coisa, como a sua circuncisão, que é vazia e imperfeita”, afirma o Zohar. “E eles impedirão que os filhos de Israel retornem ao seu lugar, até que a recompensa pelo mérito, dos filhos de Ismael seja concluída.”

O Zohar continua descrevendo o destino dos filhos de Ismael após o término deste período de graça.

“Os filhos de Ismael causarão grandes guerras no mundo, e os filhos de Edom se reunirão contra eles e farão guerra contra eles; um no mar, um em terra firme, e um perto de Jerusalém. E eles governarão uns sobre os outros, mas a Terra Santa não será entregue aos filhos de Edom.”

Kim Jong Un e Vladimir Putin (Coreia do Norte e Rússia) 1320×880-1.jpg

Os filhos de Edom são o Ocidente cristão, pois Edom é Roma (ver Números 24:19, Rashi), e Roma significa [a Civilização Ocidental Greco-Romana], Grécia-Roma, e a Igreja Católica Romana, os fundamentos da civilização ocidental.

Palvanov observou que os EUA, estão a liderar uma coligação marítima internacional, para combater os Houthis iemenitas, que disparam mísseis e drones, e bloqueiam o tráfego no Mar Vermelho.

“A descrição no Zohar, realmente se encaixa, no que está acontecendo aqui” observa Palvanov, continuando no Zohar.

“Naquele tempo, uma nação do fim da terra, se levantará contra a maligna Roma, e travará uma guerra contra ela durante três mesesAs nações se reunirão ali, e [Roma] cairá em suas mãos, até que todos os filhos de Edom, se reúnam contra ela, [aquela nação], de todos os cantos do mundo. Então Deus se levantará contra elesEle destruirá os descendentes de Ismael da terra, e quebrará todos os poderes de [todos os anjos da guarda [os Caídos] das nações] acima. Não restará nenhum poder, de nenhum povo na terra, exceto apenas o poder de Israel. Este é o significado de “Deus é a tua sombra à tua direita”. (Salmos 121:5)”

“Alguns podem dizer que ‘uma nação do fim do mundo’ se refere à Coreia do Norte, ou talvez à China, algures no Extremo Oriente, nos confins do mundo”, especulou Palvanov.

“Portanto, a Guerra de Gog e Magog durará um ano, e haverá uma guerra de três meses contra os filhos de Ismael, expulsando-os da terra de Israel”, resumiu Palvanov. “É isso que estamos vivendo hoje.”

“Mas esta é a parte que eu realmente queria chegar”, disse ele. “Sabemos que, provavelmente, uma das profecias e tradições mais antigas, que temos sobre o Mashiach (Messias), vem de Balaão, um profeta gentio que veio amaldiçoar Israel e não conseguiu amaldiçoá-los. Em vez disso, ele dá uma profecia que na verdade diz: ‘Eu lhe direi o que acontecerá no fim dos dias’.”

O que vejo para eles ainda não é; o que vejo não será em breve: uma estrela surge de Yaakov; um cetro surge de Yisrael; Ele destrói a fronte de Moabe, o alicerce de todos os filhos de Shet. Números 24:17

“É um dos poucos lugares onde a Torá usa a expressão ‘fim dos dias’”, observa Palvanov. “Balaão diz que está olhando para um futuro distante e profetiza que uma estrela surgirá de Jacó. É claro que os cristãos adotaram isso no presépio e na Estrela de Belém”, acrescentou Palvanov.

Igreja de Santa Catarina em Belém

Ele explicou que a profecia da Estrela de Jacó, foi aplicada a Simon bar Koshiba, líder da Segunda Revolta Judaica de 132 EC, cujo nome adotado, Bar Kochba, significava “Filho de uma Estrela” em aramaico. O fracasso da revolta de Bar Kochba – que foi considerado um Messias políticoteve um grande impacto na interpretação da Estrela de Jacó. O fracasso da revolta levou os sábios a menosprezarem a escatologia da Estrela de Jacó. Isso levou a uma preferência pela explicação de que a Estrela de Jacó não era mais relevante, uma vez que foi descrita como já acontecendo na época do Rei David.

“Sempre houve, mesmo nos tempos antigos, uma associação de Mashiach, ou um Messias em potencial, com a estrela de Jacó. “Balaão até profetiza que esta estrela marcará o fim de Amaleque.”

Ele viu Amaleque e, retomando o tema, disse: Uma nação líder é Amaleque; mas o seu destino é perecer para sempre. Números 24:20

O Zohar (212b) entra em detalhes, descrevendo a Estrela de Jacó:

“É ensinado que no futuro, o Santo, bendito seja Ele, reconstruirá Jerusalém e revelará uma estrela firme, brilhando com setenta pilares de fogo, e com setenta faíscas brilhando dela, no meio do Firmamento, e eles irão, será governado por setenta outras estrelas, e elas brilharão e queimarão por setenta dias.”

“E [a estrela] será vista no sexto dia, no 25º dia do sexto mês. Será recolhida no sétimo dia, ao final dos setenta dias. No primeiro dia será visto na cidade de Roma. Nesse mesmo dia cairão três altas estruturas daquela cidade de Roma e cairá um grande edifício. O governante daquela cidade morrerá. Então a estrela se espalhará para ser vista no resto do mundo.”

A data descrita no Zohar, como o dia em que a estrela aparecerá, corresponde à data hebraica 25 de Elul. O Zohar especifica que esta data cairá numa sexta-feira.

“Nesse tempo, grandes guerras surgirão em todos os quatro cantos do mundo e nenhuma fé será encontrada entre [seu povo].”

“No meio do mundo, quando aquela estrela brilhar no meio do Firmamento, um grande rei surgirá e governará o mundo, e seu espírito ganhará orgulho sobre todos os reis, e ele despertará uma guerra, entre ambos os lados, e ele se tornará forte contra eles.

“…No dia em que a estrela for escondida, a Terra Santa tremerá quarenta e cinco milhas ao redor do local do Templo Sagrado, revelando uma caverna subterrâneaDesta caverna sairá um fogo ardente para queimar o mundo. E desta caverna crescerá um grande ramo, que dominará o mundo inteiro e a ele será dado o reino. Os Seres Sagrados se reunirão nele. Então Mashiach será revelado ao mundo inteiro…”

O Zohar então descreve como será o mundo naquela era Pré-messiânica.

“O mundo, no momento em que Mashiach será revelado, terá passado por problemas após problemas, e os que odeiam Israel ficarão mais fortes. Então, o espírito de Mashiach será despertado contra eles, e o malvado Edom será destruído. Toda a terra de Seir será destruída pelo fogo.”

“Isso é o que temos vivido”, explicou Palvanov. “Uma crise vem logo após a outra. A pandemia que levou à hiperinflação, que levou à guerra na Ucrânia, que levou à guerra em Israel e à guerra com os Houthis.”

“E tal como o Zohar prevê, os ‘odiadores de Israel’ estão a aumentar”, disse Palvanov. “O antissemitismo está a atingir níveis que não atingia desde o Holocausto. Há até relatos de que, as redes sociais chinesas, estão cheias de antissemitismo, e de que não há judeus na China. Este tipo de ódio aos judeus não faz sentido.”

Palvanov observou então que, em 9 de janeiro de 2023, a manchete da astronomia, era que um novo cometa havia sido descoberto; C/’2023 A3 (Tsuchinshan – ATLAS).

“Os astrônomos dizem que estará mais próximo na sexta-feira, 27 de setembro de 2024”, observou Palvanov. “Esse dia corresponde ao dia 25 de Elul, tal como o Zohar previu. Eles estimam que ficará visível por pelo menos duas semanas.”

Palvanov observou que no Shabat, os judeus de todo o mundo lerão as porções da Torá de Nitzavim e VaYelech que incluem este versículo:

Então a minha ira se acenderá contra ele, e eu o abandonarei e esconderei dele o meu rosto. Ele será devorado; e muitos males e problemas lhe acontecerão. E dirá naquele dia: Certamente é porque o nosso Deus não está conosco, que estes males me sobrevieram. Contudo, manterei escondido o meu rosto naquele dia, por causa de todo o mal que ele fez, ao se voltarem para outros deuses. Deuteronômio 31:17-18

“Se olharmos para a profecia do Zohar, ela diz que quando a estrela aparecer, três estruturas da cidade de Roma cairão, e o líder daquela cidade morrerá”, disse Palvanov. “Se você pretende adotar a abordagem de que a Terceira Roma é Moscou, e então o líder daquela cidade morrerá, você deve saber que há rumores de que Putin está com a saúde frágil e até mesmo morrendo.”

“Imagine o que aconteceria se ele morresse”, disse Palvanov. “Isso teria sérias repercussões em todo o mundo, talvez até mais guerras.”

Palvanov sugeriu um entendimento alternativo.

“Se seguirmos a ideia de que a terceira Roma se refere aos Estados Unidos, já que é a ‘Roma’ mais poderosa de hoje, Biden está praticamente nas últimas e pode morrer a qualquer momento.”

“Ambos os líderes estão com a saúde frágil, e envelhecendo, e se algum deles morresse, se é disso que esta profecia fala, as repercussões seriam muito graves e apenas aumentariam todas as catástrofes que têm acontecido.”

Palvanov adicionou um aviso.

“Não sou profeta”, disse ele. “Estou apenas lendo o que o Zohar diz, e o que o Talmud diz. E há várias maneiras de interpretá-lo.”

“Espera-se que a estrela apareça em nove meses, então temos nove meses para nos preparar”, disse ele. “E agora é a hora de se preparar para ir ao ar. Espero que isso aconteça e se não, terei que retirar este vídeo do YouTube e fingir que nunca aconteceu. Mas esse é sempre o perigo de fazer previsões e esta é apenas uma interpretação. “Então você pode fazer o que quiser. Eu acho que é atraente.”

“Acho que todos devemos esperar e orar, para que realmente seja isso, porque quanto tempo mais podemos esperar?” concluiu Palvanov. “Já é suficiente. Todos devemos esperar que seja isso. Vamos sobreviver aos próximos doze meses, e ser aquela geração que passa pelo sofrimento, mas que depois traz um mundo melhor. Então, esperançosamente, todos nós podemos vivenciar isso, e ver isso e talvez nossas orações e nossas mitsvot (ações), e nosso estudo, e todo o bem que fazemos, farão a diferença. Então vamos fazer isso. Vamos aumentar tudo o que fazemos. Vamos fazer mais disso no próximo ano ou depois. E esperamos ver coisas boas.”

 

 

 

As visões do tempo do fim de Henry Gruver para a América e a Inglaterra CLIQUE AQUI PARA BAIXAR: As…

O PRIMEIRO E O ÚLTIMO [- Parte I] (Apocalipse 1:11) por Leland Earls   CLIQUE AQUI PARA BAIXAR O MATERIAL…

Espelho da Eternidade!!! [Texto Revisado definitivo] Clique aqui para baixar o material Espelho da Eternidade – TEXTO DEFINITIVO   Por…

Laura Maxwell compartilha sonhos proféticos e visões, que o Senhor lhe deu nos últimos 20 anos  CLIQUE PARA BAIXAR Laura…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *